A maior rede de estudos do Brasil

Por que a boa-fé é conceitualmente dividida entre objetiva e subjetiva?

Procuro definições mais precisas.

 

Direito Civil II

Humanas / Sociais


1 resposta(s)

User badge image

Tatiane Nascimento

Há mais de um mês

Olá Fernando! Tudo bem?

Boa fé objetiva e subjetiva são princípios que regem o Direito Contratual. Entendem-se:

  • Boa fé objetiva: É aquela que impõe aos contratanes guardar em todas as fases que envolvem o contrato o respeito à lealdade. Ou seja, uma verdadeira regra de comportamento, de fundo ético: lealdade, confiança, assistência, informação, confidencialidade e sigilo. É o que se espera de toda relação contratual.
  • Boa fé subjetiva: É aquela que que deriva do conhecimento ou ignorância do agente acerca de detertminada coisa. Diz-se do estado de consciência do agente que realiza determinado negócio sem ter ciência do vício que o macula.

 

Bons estudos para você! :)

Olá Fernando! Tudo bem?

Boa fé objetiva e subjetiva são princípios que regem o Direito Contratual. Entendem-se:

  • Boa fé objetiva: É aquela que impõe aos contratanes guardar em todas as fases que envolvem o contrato o respeito à lealdade. Ou seja, uma verdadeira regra de comportamento, de fundo ético: lealdade, confiança, assistência, informação, confidencialidade e sigilo. É o que se espera de toda relação contratual.
  • Boa fé subjetiva: É aquela que que deriva do conhecimento ou ignorância do agente acerca de detertminada coisa. Diz-se do estado de consciência do agente que realiza determinado negócio sem ter ciência do vício que o macula.

 

Bons estudos para você! :)

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes