A maior rede de estudos do Brasil

Quais são as hipóteses de impenhorabilidade, em relação ao bem de família e salário mínimo? Quais são as regras e exceções prevista no Novo CPC?


1 resposta(s)

User badge image

Tuany

Há mais de um mês

Alex, a lei 8009/90 fala sobre as situações previstas para a impenhorabilidade do bem de família. Lembrando que essa parte é uma discussão não pacificada, temos pensamentos opostos no mundo jurídico quando se fala da penhorabilidade por questão de fiança, se você observar, no próprio STF vemos que a relação -> Credor (locatário) + Devedor (locador) e do outro lado Credor (locatário) + Fiador, perceberemos que, em caso do não pagamento da divida por parte do locador, a divida irá para o fiador, que, em caso de não possuir o dinheiro, poderá pedir que os bens do DEVEDOR (locador) sejam executados primeiro, e aí nos deparamos com as duas correntes:

1ª Mario Veloso - entende que isso não pode ocorrer desta maneira, pois a partir do momento em que o bem do REAL DEVEDOR está protegido e não pode ser executado, mas o do FIADOR que é um devedor subsidiário, que tem um contrato ASSESSÓRIO, poderá ser executado, estaremos diante de uma dúvida a respeito da constitucionalidade: pode-se pesar o contrato assessório mais do que o principal?

 

2ª Cezar Peluso - Este entende que poderá sim, pois essa é a unica forma de trazer uma maior garantia ao locatário, fazendo com que gere segurança jurídica para essa "figura" na relação, ou seja, ele entende que se por um acaso acabassem com a possibilidade de execução dos bens de ambos os devedores, essa modalidade de moradia estaria ameaçada, arriscando prejudicar diversas pessoas que dependem dessa modalidade de moradia.

 

Agora, com relação a questão do Novo CPC e do salário, achei este artigo bem pertinente: https://jus.com.br/artigos/45761/mudancas-na-penhora-conforme-novo-cpc fala sobre as mudanças do CPC antigo para o novo, trazendo algumas informações referente à sua pergunta.


espero ter ajudado!!

Alex, a lei 8009/90 fala sobre as situações previstas para a impenhorabilidade do bem de família. Lembrando que essa parte é uma discussão não pacificada, temos pensamentos opostos no mundo jurídico quando se fala da penhorabilidade por questão de fiança, se você observar, no próprio STF vemos que a relação -> Credor (locatário) + Devedor (locador) e do outro lado Credor (locatário) + Fiador, perceberemos que, em caso do não pagamento da divida por parte do locador, a divida irá para o fiador, que, em caso de não possuir o dinheiro, poderá pedir que os bens do DEVEDOR (locador) sejam executados primeiro, e aí nos deparamos com as duas correntes:

1ª Mario Veloso - entende que isso não pode ocorrer desta maneira, pois a partir do momento em que o bem do REAL DEVEDOR está protegido e não pode ser executado, mas o do FIADOR que é um devedor subsidiário, que tem um contrato ASSESSÓRIO, poderá ser executado, estaremos diante de uma dúvida a respeito da constitucionalidade: pode-se pesar o contrato assessório mais do que o principal?

 

2ª Cezar Peluso - Este entende que poderá sim, pois essa é a unica forma de trazer uma maior garantia ao locatário, fazendo com que gere segurança jurídica para essa "figura" na relação, ou seja, ele entende que se por um acaso acabassem com a possibilidade de execução dos bens de ambos os devedores, essa modalidade de moradia estaria ameaçada, arriscando prejudicar diversas pessoas que dependem dessa modalidade de moradia.

 

Agora, com relação a questão do Novo CPC e do salário, achei este artigo bem pertinente: https://jus.com.br/artigos/45761/mudancas-na-penhora-conforme-novo-cpc fala sobre as mudanças do CPC antigo para o novo, trazendo algumas informações referente à sua pergunta.


espero ter ajudado!!

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes