A maior rede de estudos do Brasil

A Soberania dos Veredictos é absoluta em algum país?


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

DLRV Advogados Verified user icon

Há mais de um mês

A soberania dos vereditos traz o preceito de que a decisão dos jurados é soberana, sendo impossível um tribunal formado por juízes togados reformar no mérito a decisão dos jurados.

No Brasil, é uma garantia relativa, tendo em vista que contra ela cabe, por exemplo, apelação.

O tribunal do júri não é muito adotado nos países que adotam a Civil Law. Dentre os países europeus que são referência para o sistema jurídico brasileiro, apenas a Espanha se utiliza do tribunal do júri. O restante adota um tribunal misto, denominado escabinado, em que juízes e jurados atuam conjuntamente, exercendo as mesmas funções.

Nos Estados Unidos e na Inglaterra, que adotam a Common Law e o tribunal do júri, a soberania dos vereditos também é relativa. Nesses países, também há a figura chamada "appel", similar a apelação existente no ordenamento jurídico pátrio.

A soberania dos vereditos traz o preceito de que a decisão dos jurados é soberana, sendo impossível um tribunal formado por juízes togados reformar no mérito a decisão dos jurados.

No Brasil, é uma garantia relativa, tendo em vista que contra ela cabe, por exemplo, apelação.

O tribunal do júri não é muito adotado nos países que adotam a Civil Law. Dentre os países europeus que são referência para o sistema jurídico brasileiro, apenas a Espanha se utiliza do tribunal do júri. O restante adota um tribunal misto, denominado escabinado, em que juízes e jurados atuam conjuntamente, exercendo as mesmas funções.

Nos Estados Unidos e na Inglaterra, que adotam a Common Law e o tribunal do júri, a soberania dos vereditos também é relativa. Nesses países, também há a figura chamada "appel", similar a apelação existente no ordenamento jurídico pátrio.

User badge image

Tuany

Há mais de um mês

Beatriz, boa noite.

 

Sim, no nosso inclusive, de acordo com o Ministro do Supremo, Celso de Mello. Segue o link da fonte:

http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=289099

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas