A maior rede de estudos do Brasil

Quais as principais diferenças entre Neoconstitucionalismo e Pós-Positivismo?


3 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

DLRV Advogados Verified user icon

Há mais de um mês

O Neoconstitucionalismo consiste em um estilo mais aberto de raciocinar o direito, uma retórica e argumentação mais abrangente, a ponderação sobre a razão, os princípios se sobrepõe as regras, a Constituição como centro do ordenamento jurídico, a reaproximação entre o direito e a moral e como reflexo direto o judiciário concentrando um papel mais expressivo na sociedade, havendo o fenômeno chamado de constitucionalização das decisões.

Segundo Daniel Sarmento, “a percepção de que as maiorias políticas podem perpetrar ou acumpliciar-se com a barbárie, como ocorrera no nazismo alemão, levou as novas constituições a criarem ou fortalecerem a jurisdição constitucional, instituindo mecanismos potentes de proteção dos direitos fundamentais mesmo em face do legislador. Sob esta perspectiva, a concepção de Constituição na Europa aproximou-se daquela existente nos Estados Unidos, onde, desde os primórdios do constitucionalismo, entende-se que a Constituição é autêntica norma jurídica, que limita o exercício do Poder Legislativo e pode justificar a invalidação de leis. Só que com uma diferença importante: enquanto a Constituição norte-americana é sintética e se limita a definir os traços básicos de organização do Estado e a prever alguns poucos direitos individuais, as cartas europeias foram, em geral, muito além disso.”

Neoconstitucionalismo e Pós Positivismo, no entanto, são diversos entre si, ao contrário do que alguns pensam. O primeiro traz traços do segundo, este que vai além de uma teoria constitucional e engloba aspectos teóricos e filosóficos do universo jurídico.

Segundo Ronaldo José Paulino Filho, "o chamado Pós-Positivismo seria a superação do modelo positivista e seu confronto com o jus naturalismo. No entanto, não se teria como definir um conceito específico. Seria uma melhoria do legado deixado pelo positivismo, no qual o direito não se resumiria a um sistema fechado formal. Nesse sentido foi se desenvolvendo um novo campo com um pensamento mais aberto, com importância nos valores, ocorrendo assim uma aproximação entre o direito e a moral e uma crítica ao formalismo do positivismo jurídico".

Temos então que o Neoconstitucionalismo tem como marco histórico o pós-guerra, e traz traços filosóficos do Pós-Positivismo. No Neoconstitucionalismo houve a adoção de uma nova hermeneutica constitucional, na qual a Constituição é vista como dotada de força normativa, houve ampliação da jurisdição constitucional, e dos direitos fundamentais.

O Neoconstitucionalismo consiste em um estilo mais aberto de raciocinar o direito, uma retórica e argumentação mais abrangente, a ponderação sobre a razão, os princípios se sobrepõe as regras, a Constituição como centro do ordenamento jurídico, a reaproximação entre o direito e a moral e como reflexo direto o judiciário concentrando um papel mais expressivo na sociedade, havendo o fenômeno chamado de constitucionalização das decisões.

Segundo Daniel Sarmento, “a percepção de que as maiorias políticas podem perpetrar ou acumpliciar-se com a barbárie, como ocorrera no nazismo alemão, levou as novas constituições a criarem ou fortalecerem a jurisdição constitucional, instituindo mecanismos potentes de proteção dos direitos fundamentais mesmo em face do legislador. Sob esta perspectiva, a concepção de Constituição na Europa aproximou-se daquela existente nos Estados Unidos, onde, desde os primórdios do constitucionalismo, entende-se que a Constituição é autêntica norma jurídica, que limita o exercício do Poder Legislativo e pode justificar a invalidação de leis. Só que com uma diferença importante: enquanto a Constituição norte-americana é sintética e se limita a definir os traços básicos de organização do Estado e a prever alguns poucos direitos individuais, as cartas europeias foram, em geral, muito além disso.”

Neoconstitucionalismo e Pós Positivismo, no entanto, são diversos entre si, ao contrário do que alguns pensam. O primeiro traz traços do segundo, este que vai além de uma teoria constitucional e engloba aspectos teóricos e filosóficos do universo jurídico.

Segundo Ronaldo José Paulino Filho, "o chamado Pós-Positivismo seria a superação do modelo positivista e seu confronto com o jus naturalismo. No entanto, não se teria como definir um conceito específico. Seria uma melhoria do legado deixado pelo positivismo, no qual o direito não se resumiria a um sistema fechado formal. Nesse sentido foi se desenvolvendo um novo campo com um pensamento mais aberto, com importância nos valores, ocorrendo assim uma aproximação entre o direito e a moral e uma crítica ao formalismo do positivismo jurídico".

Temos então que o Neoconstitucionalismo tem como marco histórico o pós-guerra, e traz traços filosóficos do Pós-Positivismo. No Neoconstitucionalismo houve a adoção de uma nova hermeneutica constitucional, na qual a Constituição é vista como dotada de força normativa, houve ampliação da jurisdição constitucional, e dos direitos fundamentais.

User badge image

Reinanda

Há mais de um mês

O neoconstitucionalismo metodológico, por sua vez, sustenta a tese da conexão necessária, identificativa e/ou justificativa, entre direito e moral, contrapondo-se ao positivismo metodológico. Enquanto este defendia a possibilidade de se descrever o direito como ele é, de forma avalorativa, aquele abandona a postura descritiva e mescla a descrição com a avaliação do sistema jurídico, isto é, o ser do direito com referências ao dever ser ideaA teoria neoconstitucionalista sustenta que, do ponto de vista de uma teoria da norma, o neoconstitucionalismo se caracterizaria pela passagem da espécie normativa regra à espécie normativa princípio. Nos dizeres de Luis Roberto Barroso, “o reconhecimento de normatividade dos princípios e sua distinção qualitativa em relação às regras é um dos símbolos do pós-positivismo”. A ênfase nos princípios pode ser percebida numa miríade de autores, que alertam acerca da superação da regra pelo princípio9 .

User badge image

marli

Há mais de um mês

O NEOCONSTITUCIONALISMO  E UMA EXPRESSAO QUE SURGIU NO FINAL DA DECADA DE 1990, MUITO SE TEM ESCRITO , E DEBATIDO SOBRE O ASSUNTO . OBSERVA-SE QUE O NEOCONSTITUCIONALISMO  PARTIU DO SURGIMENTO DO ESTADO CONSTITUCIONAL INSTITUIDOS PELAS CARTAS POLITICAS PROMULGADAS  APOS A 2 GUERRA MUNDIAL,E APONTA PRA UMA PRATICA JURIDICA VOLTADA A CONCRETIZAÇÃO  DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS, UMA VEZ QUE O VELHO POSITIVISMO NÃO SERIA CAPAZ DE  EXPLICAR AS MUDANÇAS PROVOCADAS POR ESTE PARADIGMA  , E , E AQUI QUE RESIDE O PROBLEMA O NEO CONSTITUCIONALISMO APRESENTA-SE COMO UMA ALTERNATIVA AO POSITIVISMO JURIDICO.

      ENQUANTO QUE O POS POSITIVISMO E APELIDAO POR ALGUNS JURISTAS COMO UMA OPÇÃO TEORICA QUE CONSIDERA QUE O DIREITO DEPENDE DA MORAL, TANTO NO MOMENTO DE SEU RECONHECIMENTO DE SUA VALIDADE , COMO NO MOMENTO DE SUA APLICAÇÃO . NESSE VISÃO OS PRINCIPIOS CONSTITUCIONAIS, TAIS COMO A DIGNIDADE HUMANA, O BEM ESTAR DE TODOS OU  A IGUALDADE INFLUENCIARAM, A  APLICAÇÃO  DAS LEIS E DEMAIS NORMAS CONCRETAS, ESSA VISAO DO DIREITO E COMUM NAS CIENCIAS SOCIAIS E ESPECIALMENTE POR RAZÕES PRATICAS E CONCEITUAIS.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas