A maior rede de estudos do Brasil

leis trabalhistas

Alguns produtores rurais, para não ficarem ociosos e sem trabalho no período entressafra, quando não têm café para ensacar, resolveram formar uma cooperativa de trabalhadores rurais para prestar serviços diversos, como cuidar de criações, limpar terrenos, plantar frutas ou hortaliças, e até mesmo serviços de manutenção em geral, nas propriedades da zona rural, de moradores e sitiantes, e nas casas de veraneio. Com isso, conseguiram, por meio da intermediação de mão de obra, aumentar os recebimentos dos seus cooperados e trazer recursos para a Cooperativa, porque ao realizarem diretamente os pagamentos descontava-se uma contribuição para a sociedade. No entanto, um cooperado, descontente com a gestão do negócio, resolveu procurar um advogado para reclamar seus direitos. Você acaba de ser contratado pelo cooperado reclamante. Diante desta situação descrita, o que diria ao seu cliente?

 

 


4 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Para responder esta questão precisaremos entender o que é uma cooperativa e quais são os direitos de um cooperado diante de uma situação de intermediação de mão-de-obra.
Uma cooperativa é uma organização feita por pessoas que possuem os mesmos objetivos e interesses e que se propõem a agir conjuntamente e que, por meio de uma ajuda mútua, pretendem atingir resultados benéficos para todas as partes.
Existem normas e diretrizes que regulamentam o funcionamento de uma cooperativa, estabelecendo os direitos e deveres de cada um dos cooperados. Neste sentido, se tratando dos direitos, os cooperados podem dizer e propor o que querem, podem votar em assembleias, podendo também se canditar a cargos dentro da cooperativa, tem direito a certa quantidade de resultados econômicos, além de ter direito à remunerações indiretas.
Num cenário de intermediação de mão-de-obra, em que estes trabalhadores não terão os mesmos benefícios e salários dos cooperados, estamos falando de uma aplicação errônea da lei, já que ela não permite este tipo de intermediação. Uma cooperativa não tem como objetivo o lucro, mas ajudar e realizar o melhor para seus associados, ao desviar da sua finalidade, a cooperativa perde seus direitos e poder público deve intervir em seu andamento.
Deste modo, visto que o associado não possui vínculo empregatício com a cooperativa, o melhor a fazer seria se desligar da cooperativa e procurar o poder público para denunciar a prática ilegal.
Para responder esta questão precisaremos entender o que é uma cooperativa e quais são os direitos de um cooperado diante de uma situação de intermediação de mão-de-obra.
Uma cooperativa é uma organização feita por pessoas que possuem os mesmos objetivos e interesses e que se propõem a agir conjuntamente e que, por meio de uma ajuda mútua, pretendem atingir resultados benéficos para todas as partes.
Existem normas e diretrizes que regulamentam o funcionamento de uma cooperativa, estabelecendo os direitos e deveres de cada um dos cooperados. Neste sentido, se tratando dos direitos, os cooperados podem dizer e propor o que querem, podem votar em assembleias, podendo também se canditar a cargos dentro da cooperativa, tem direito a certa quantidade de resultados econômicos, além de ter direito à remunerações indiretas.
Num cenário de intermediação de mão-de-obra, em que estes trabalhadores não terão os mesmos benefícios e salários dos cooperados, estamos falando de uma aplicação errônea da lei, já que ela não permite este tipo de intermediação. Uma cooperativa não tem como objetivo o lucro, mas ajudar e realizar o melhor para seus associados, ao desviar da sua finalidade, a cooperativa perde seus direitos e poder público deve intervir em seu andamento.
Deste modo, visto que o associado não possui vínculo empregatício com a cooperativa, o melhor a fazer seria se desligar da cooperativa e procurar o poder público para denunciar a prática ilegal.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas