A maior rede de estudos do Brasil

Quais as limitacoes da funcao de consumo de Keynes


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Keynes foi um famoso economista inglês que contribuiu significativamente para a construção da teoria macroeconômica.

O PIB (produto interno) de um país, também conhecido como renda, é definido pela soma de todos os bens e serviços finais produzidos por uma economia dentro do território nacional. Ele pode ser calculado pela soma do consumo privado do país, investimentos em máquinas e equipamentos, gastos do governo que são destinados ao consumo e balança comercial, que representa as exportações realizadas pelo país subtraída das importações. Porém o consumo não é um simples componente do PIB, mas a variável que representa a maior porcentagem do mesmo.

Por introspecção, Keynes deduziu uma função consumo representada pela fórmula abaixo:

C=Co+c(Yd)

Lendo a fórmula temos :

O consumo privado de uma economia é definido por um consumo autônomo (Co) mais uma propensão marginal a consumir (c ) vezes a renda disponível da economia (Yd).

O consumo autônomo é um consumo que independentemente da renda da população do país é fundamental para a sobrevivência das pessoas e da economia. É um nível mínimo de consumo. A propensão marginal a consumir é um valor entre zero e um , e representa o percentual da renda corrente do indivíduo que ele gasta consumindo em determinado período . É fácil ver que o valor está entre zero e um pelo fato de que as pessoas de uma economia não ficarão sem consumir absolutamente nada em um período, por isso é impossível que o c seja zero, e ao mesmo tempo não gastarão toda a sua renda corrente naquele mesmo período.

Keynes foi um famoso economista inglês que contribuiu significativamente para a construção da teoria macroeconômica.

O PIB (produto interno) de um país, também conhecido como renda, é definido pela soma de todos os bens e serviços finais produzidos por uma economia dentro do território nacional. Ele pode ser calculado pela soma do consumo privado do país, investimentos em máquinas e equipamentos, gastos do governo que são destinados ao consumo e balança comercial, que representa as exportações realizadas pelo país subtraída das importações. Porém o consumo não é um simples componente do PIB, mas a variável que representa a maior porcentagem do mesmo.

Por introspecção, Keynes deduziu uma função consumo representada pela fórmula abaixo:

C=Co+c(Yd)

Lendo a fórmula temos :

O consumo privado de uma economia é definido por um consumo autônomo (Co) mais uma propensão marginal a consumir (c ) vezes a renda disponível da economia (Yd).

O consumo autônomo é um consumo que independentemente da renda da população do país é fundamental para a sobrevivência das pessoas e da economia. É um nível mínimo de consumo. A propensão marginal a consumir é um valor entre zero e um , e representa o percentual da renda corrente do indivíduo que ele gasta consumindo em determinado período . É fácil ver que o valor está entre zero e um pelo fato de que as pessoas de uma economia não ficarão sem consumir absolutamente nada em um período, por isso é impossível que o c seja zero, e ao mesmo tempo não gastarão toda a sua renda corrente naquele mesmo período.

User badge image

Berto

Há mais de um mês

O modelo considera cenários de baixos indices de desemprego e alta inflação e vice-versa (ou cenários de desemprego e deflação), mas o modelo keynesiano não consegue operar em cenários de alto desemprego e inflação, em que a politica economica keynesiana é ineficiente. 

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas