A maior rede de estudos do Brasil

Em 1857 o cientista Claude Bernard enunciou em Paris que: Todos os mecanismos vitais, por mais variados que sejam, tem sempre uma só finalidade a de p


2 resposta(s)

User badge image

Estudante

Há mais de um mês

Claude Bernard foi um fisiologista francês, um dos mais importantes de todos os tempos, e é considerado o "pai" da moderna fisiologia experimental.

Ele nasceu em 12 de julho de 1813, em uma fazenda em Saint-Julien, no departamento de Rhône, e que hoje abriga o Musée Claude Bernard, estabelecido pela Mérieux Foundation. Seu pai era um modesto vinicultor, em terras de Beaujolais.

Em 1830 ele mudou-se para Paris para continuar seus estudos, obtendo seu diploma de bacharelado (correspondente ao colegial), e em seguida iniciando o estudo da Medicina em 1835. Ele graduou0se em 1843, aos vinte anos de idade, tendo trabalhado com o famoso fisiologista François Magendie, catedrático do Collège de France.

Os primeiros trabalhos mais importantes de Claude Bernard foram em fisiologia da digestão, particularmente sobre o papel do pâncreas exócrino, do suco gástrico e dos intestinos. O estudo do metabolismo também foi um dos seus principais campos de pesquisa, tendo Bernard contribuido poderosamente para a compreensão do mecanismo da glicogênese no fígado. Bernard também recebeu crédito por mais duas importantes realizações científicas: a descoberta do fenômeno de vasodilatação e vasoconstrição e seu controle pelos nervos vasomotores, e o estudo do efeito do curare no sistema neuromuscular. Além dessas, Bernard também fez outras contribuições importantes para as neurociências, tais como o estudo de nervos sensoriais, da corda timpânica e do líquido cefalorraquidiano. Dez anos após graduar-se em medicina, ele obteve de forma brilhante o título de doutor em ciências, com seus estudos sobre a fisiologia do fígado.

Claude Bernard foi o responsável por uma descoberta revolucionária quanto ao entendimento dos princípios fundamentais da vida orgância, o qual continua válido até hoje. É o conceito de homeostase, ou da estabilidade controlada do ambiente interno, composto pelas células e tecidos. Ele propôs que a "fixidez do ambiente interno é a condição para a vida livre", e explicou que:

"O corpo vivo, embora necessite do ambiente que o circunda, é, apesar disso, relativamente independente do mesmo. Esta independência do organismo com relação ao seu ambiente externo deriva do fato de que, nos seres vivos, os tecidos são, de fato, removidos das influências externas diretas, e são protegidos por um verdadeiro ambiente interno, que é constituido, particularmente, pelos fluidos que circulam no corpo. "

Na segunda metade do século, a visão que as células eram os blocos de construção fundamentais da estrutura e função do organismo era relativamente nova, e era proposta por cientistas como o patologista Rudolf Virchow, e os neuroanatomistas Camilo Golgi e Ramon y Cajal. Claude Bernard adicionou a isso o componente do pensamento fisiológico, completando a doutrina celular. As prolificas investigações experiemntais de Claude Bernard também foram responsáveis pela descoberta da correlação entre a atividade nervosa e o controle do meio interno através do metabolismo, da circulação e da respiração, introduzindo, desta forma, o conceito revolucionário (para a época) das alças de controle por retroalimentação, ou de como certos sistemas fisiológicos funcionam como dispositivos homeostáticos. Esse conceito deu origem, cem anos depois à cibernética, ou à ciência dos sistemas de controle.

Bernard foi um vigoroso paladino na necessidade da abordagem experimental rigorosa. baseada em um estrito casamento entre a fisiologia e as leis subjacentes da física e da química. que estavam sendo descobertas em uma velocidade prodigiosa na época. Ele também era considerado excelente com relação ao método, e foi um grande inventor de técnicas e aparelhos novos em fisiologia. É famosa a sua asserção que "o laboratório é o templo da ciência médica". Seu mais importante livro, "Introdução ao Estudo da Medicina Experimental", publicado em 1865, foi enormemente influente por muitas e muitas décadas a seguir.

Em virtude de suas descobertas e de sua influência na ciência e na medicina francesas, Claude Bernard tornou-se ainda em vida, um dos mais premiados cientistas de seu país, lado a lado com gigantes como o seu amigo e contemporâneo, Louis Pasteur. Em 1854 ele foi eleito membro da Academia Francesa de Ciências e catedrático de Fisiologia Geral da Faculdade de Ciências da Sorbonne. No ano seguinte, ele foi indicado para o cargo de professor titular de medicina no famoso Collège de France. Entre 1861 e 1865, ele foi sucessivamente nomeado para a Academia Francesa de Medicina, para a Academia Francesa, para a Legião de Honra (primeiro como cavaleiro, depois como comandante), e finalmente, foi eleito senador vitalício do império, em 1869. A Academia de Ciências deu a Claude Bernard o Grand Prix de Physiologie nos anos de 1849, 1851 e 1853, em honra às suas três maiores descobertas.

Claude Bernard morreu em 10 de fevereiro de 1878, em Paris. Uma das universidades desta cidade foi nomeada em sua honra.

Claude Bernard foi um fisiologista francês, um dos mais importantes de todos os tempos, e é considerado o "pai" da moderna fisiologia experimental.

Ele nasceu em 12 de julho de 1813, em uma fazenda em Saint-Julien, no departamento de Rhône, e que hoje abriga o Musée Claude Bernard, estabelecido pela Mérieux Foundation. Seu pai era um modesto vinicultor, em terras de Beaujolais.

Em 1830 ele mudou-se para Paris para continuar seus estudos, obtendo seu diploma de bacharelado (correspondente ao colegial), e em seguida iniciando o estudo da Medicina em 1835. Ele graduou0se em 1843, aos vinte anos de idade, tendo trabalhado com o famoso fisiologista François Magendie, catedrático do Collège de France.

Os primeiros trabalhos mais importantes de Claude Bernard foram em fisiologia da digestão, particularmente sobre o papel do pâncreas exócrino, do suco gástrico e dos intestinos. O estudo do metabolismo também foi um dos seus principais campos de pesquisa, tendo Bernard contribuido poderosamente para a compreensão do mecanismo da glicogênese no fígado. Bernard também recebeu crédito por mais duas importantes realizações científicas: a descoberta do fenômeno de vasodilatação e vasoconstrição e seu controle pelos nervos vasomotores, e o estudo do efeito do curare no sistema neuromuscular. Além dessas, Bernard também fez outras contribuições importantes para as neurociências, tais como o estudo de nervos sensoriais, da corda timpânica e do líquido cefalorraquidiano. Dez anos após graduar-se em medicina, ele obteve de forma brilhante o título de doutor em ciências, com seus estudos sobre a fisiologia do fígado.

Claude Bernard foi o responsável por uma descoberta revolucionária quanto ao entendimento dos princípios fundamentais da vida orgância, o qual continua válido até hoje. É o conceito de homeostase, ou da estabilidade controlada do ambiente interno, composto pelas células e tecidos. Ele propôs que a "fixidez do ambiente interno é a condição para a vida livre", e explicou que:

"O corpo vivo, embora necessite do ambiente que o circunda, é, apesar disso, relativamente independente do mesmo. Esta independência do organismo com relação ao seu ambiente externo deriva do fato de que, nos seres vivos, os tecidos são, de fato, removidos das influências externas diretas, e são protegidos por um verdadeiro ambiente interno, que é constituido, particularmente, pelos fluidos que circulam no corpo. "

Na segunda metade do século, a visão que as células eram os blocos de construção fundamentais da estrutura e função do organismo era relativamente nova, e era proposta por cientistas como o patologista Rudolf Virchow, e os neuroanatomistas Camilo Golgi e Ramon y Cajal. Claude Bernard adicionou a isso o componente do pensamento fisiológico, completando a doutrina celular. As prolificas investigações experiemntais de Claude Bernard também foram responsáveis pela descoberta da correlação entre a atividade nervosa e o controle do meio interno através do metabolismo, da circulação e da respiração, introduzindo, desta forma, o conceito revolucionário (para a época) das alças de controle por retroalimentação, ou de como certos sistemas fisiológicos funcionam como dispositivos homeostáticos. Esse conceito deu origem, cem anos depois à cibernética, ou à ciência dos sistemas de controle.

Bernard foi um vigoroso paladino na necessidade da abordagem experimental rigorosa. baseada em um estrito casamento entre a fisiologia e as leis subjacentes da física e da química. que estavam sendo descobertas em uma velocidade prodigiosa na época. Ele também era considerado excelente com relação ao método, e foi um grande inventor de técnicas e aparelhos novos em fisiologia. É famosa a sua asserção que "o laboratório é o templo da ciência médica". Seu mais importante livro, "Introdução ao Estudo da Medicina Experimental", publicado em 1865, foi enormemente influente por muitas e muitas décadas a seguir.

Em virtude de suas descobertas e de sua influência na ciência e na medicina francesas, Claude Bernard tornou-se ainda em vida, um dos mais premiados cientistas de seu país, lado a lado com gigantes como o seu amigo e contemporâneo, Louis Pasteur. Em 1854 ele foi eleito membro da Academia Francesa de Ciências e catedrático de Fisiologia Geral da Faculdade de Ciências da Sorbonne. No ano seguinte, ele foi indicado para o cargo de professor titular de medicina no famoso Collège de France. Entre 1861 e 1865, ele foi sucessivamente nomeado para a Academia Francesa de Medicina, para a Academia Francesa, para a Legião de Honra (primeiro como cavaleiro, depois como comandante), e finalmente, foi eleito senador vitalício do império, em 1869. A Academia de Ciências deu a Claude Bernard o Grand Prix de Physiologie nos anos de 1849, 1851 e 1853, em honra às suas três maiores descobertas.

Claude Bernard morreu em 10 de fevereiro de 1878, em Paris. Uma das universidades desta cidade foi nomeada em sua honra.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes