A maior rede de estudos do Brasil

explique como ocorre a diferenciação sexual dos animais? quando isto ocorre nos bovinos? relaciqobe com o fremartismo ?

Fisiologia IICAMPO REAL

4 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

A diferenciação sexual é o processo de desenvolvimento das diferenças entre machos e fêmeas de um zigoto indiferenciado . À medida que os indivíduos masculinos e femininos se desenvolvem dos zigotos em fetos , em bebês, crianças, adolescentes e, eventualmente, adultos, diferenças de sexo e gênero em vários níveis se desenvolvem: genes , cromossomos , gônadas , hormônios , anatomia e psique .


As diferenças entre os sexos variam muito e incluem diferenciação fisiológica. As diferenças dicotômicas do sexo são desenvolvimentos que são totalmente característicos de um sexo apenas. Exemplos de diferenças dicotômicas entre os sexos incluem aspectos dos órgãos genitais específicos de sexo, como ovários , útero ou uretra fálica . Em contraste, as diferenças sexo-dimórficas são questões de grau.


Algumas delas são principalmente estatísticas, com muita sobreposição entre as populações masculina e feminina. No entanto, mesmo as diferenças dicotômicas entre os sexos não são absolutas na população humana, e há indivíduos que são exceções ou fêmeas fenotípicas com cariótipo XY ou que exibem características biológicas e / ou comportamentais de ambos os sexos.

A diferenciação sexual é o processo de desenvolvimento das diferenças entre machos e fêmeas de um zigoto indiferenciado . À medida que os indivíduos masculinos e femininos se desenvolvem dos zigotos em fetos , em bebês, crianças, adolescentes e, eventualmente, adultos, diferenças de sexo e gênero em vários níveis se desenvolvem: genes , cromossomos , gônadas , hormônios , anatomia e psique .


As diferenças entre os sexos variam muito e incluem diferenciação fisiológica. As diferenças dicotômicas do sexo são desenvolvimentos que são totalmente característicos de um sexo apenas. Exemplos de diferenças dicotômicas entre os sexos incluem aspectos dos órgãos genitais específicos de sexo, como ovários , útero ou uretra fálica . Em contraste, as diferenças sexo-dimórficas são questões de grau.


Algumas delas são principalmente estatísticas, com muita sobreposição entre as populações masculina e feminina. No entanto, mesmo as diferenças dicotômicas entre os sexos não são absolutas na população humana, e há indivíduos que são exceções ou fêmeas fenotípicas com cariótipo XY ou que exibem características biológicas e / ou comportamentais de ambos os sexos.

User badge image

Gabriel

Há mais de um mês

A diferenciação sexual se manifesta pelo Sexo Cromossômico, Sexo Gonadal, Sexo Genital e pelo Sexo Fenotípico.

SEXO CROMOSSÔMICO

- é o primeiro sexo determinado, no momento da fertilização

- SRY: gene que determina o sexo no cromossomo Y

- TDF: fator determinante testicular

- DAX-1: gene que determina o sexo no cromossomo X

A formação do Sistema Reprodutor Feminino ocorre pela falta de estímulos do cromossomo Y

SEXO GONADAL

- O desenvolvimento das gônadas ocorre pela migração das células germinativas primordiais do Saco Vitelino até a Crista Genital

Desenvolvimento dos Testículos: o TDF estimula a condensação dos cordões sexuais primários, fazendo com que penetrem na Medula da gônada, formando os Túbulos Seminíferos. As células germinativas primordiais são convertidas em espermatogônias.

Desenvolvimento dos Ovários: a ausência de TDF resulta na incorporação das células germinativas primordiais nos cordões sexuais na região cortical, até que se rompam, e faça com que as células se organizem individualmente, e sejam convertidas em Oogônias, que associadas com as células do Estroma, formam os Folículos Primordiais

SEXO GENITAL

No início, há a presença dos Ducots de Wolf e dos Ductos de Müller

Genitália Interna Masculina: testículo fetal produz testosterona e AMH (hormônio anti-mülleriano), este último causa a regressão dos Ductos de Muller, estimulando o desenvolvimento dos Ductos de Wolf, formando assim os Ductos Genitais Masculinos (ductos eferentes e deferentes, e epidídimo)

Genitália Interna Feminina: a ausência de testosterona causa a regressão dos Ductos de Wolf, e a ausência de AMH causa o desenvolvimento dos Ductos de Müller

SEXO FENOTÍPICO

Ocorre quando o Tubérculo Genital (genitália externa indiferenciada) se alonga e forma o Falo Primordial

Genitália Externa Masculina: testosterona é convertida em Dihidrotestosterona pela enzima 5α-redutase, resultando na masculinização da genitália externa

  • FALO PRIMORDIAL: glande do pênis
  • PREGAS UROGENITAIS: fusão progressiva ao longo da superfície do pênis
  • INTUMISCÊNCIAS LABIOESCROTAIS: escroto

Genitália Externa Feminina: ausencia de andrógenos resulta na feminilização da genitália externa

  • FALO PRIMORDIAL: clitóris
  • PREGAS UROGENITAIS: pequenos lábios
  • INTUMISCÊNCIAS LABIOESCROTAIS: grandes lábios
User badge image

Gabriel

Há mais de um mês

Nos bovinos, a migração das células germinativas ocorre entre os dias 30-35, a diferenciação dos cordões sexuais aos 40 dias, o início da foliculogênese na fêmea aos 90 dias.

O regresso do Ducto de Müller no macho ocorre aos 50 dias, e a regressão do Ducto de Wolf na fêmea aos 70 dias.

User badge image

Gabriel

Há mais de um mês

O Freemartinismo ocorre em gestações gemelares, com sexos diferentes. Durante a gestação de gêmeos, a membrana placental é compartilhada pelos fetos. As anastomoses entre os vasos fetais servem de caminho e transporte para os hormônios produzidos pelo feto macho, sendo transportado até a fêmea, alterando a função e fisiologia da gônada, seus ductos e a genitália externa, tornando a fêmea infértil.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas