A maior rede de estudos do Brasil

Qual o mecanismo de ativação dos receptores NMDA?


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Os receptores N-metil-D-aspartato (NMDARs) são canais iônicos permeáveis ​​ao glutamato que medeiam a transmissão sináptica e sustentam a aprendizagem e a memória. A disfunção de NMDAR está diretamente implicada em doenças que variam de convulsão a isquemia. Apesar de sua importância fundamental, pouco se sabe sobre como o NMDAR transita entre estados inativos e ativos e como moléculas pequenas inibem ou ativam a ativação do canal iônico.


Os receptores N -metil-D-aspartato (NMDA) estão criticamente envolvidos no desenvolvimento e função do cérebro, incluindo aprendizagem e formação de memória e pertencem à família de receptores de glutamato ionotrópico (iGluRs), que são canais iônicos dependentes de glutamato, compostos de três famílias principais, o ácido α-amino-3-hidroxi-5-metil-4-isoxazol propiônico (AMPA) (GluA1- 4), cainato (GluK1-5) e receptores NMDA (GluN1, GluN2A-D e GluN3A-B).


Portanto, a ativação de receptores de NMDA requer a ligação de agonistas de neurotransmissores a um domínio de ligação ao ligante (LBD) e rearranjo estrutural de um domínio amino-terminal (ATD). Estruturas cristalinas recentes de receptores GluN1/GluN2B NMDA na presença de agonistas e um inibidor alostérico, ifenprodil, representam o estado alostericamente inibido. No entanto, o modo como o ATD e o LBD se movem para ativar o canal iônico do receptor NMDA permanece incerto.

Os receptores N-metil-D-aspartato (NMDARs) são canais iônicos permeáveis ​​ao glutamato que medeiam a transmissão sináptica e sustentam a aprendizagem e a memória. A disfunção de NMDAR está diretamente implicada em doenças que variam de convulsão a isquemia. Apesar de sua importância fundamental, pouco se sabe sobre como o NMDAR transita entre estados inativos e ativos e como moléculas pequenas inibem ou ativam a ativação do canal iônico.


Os receptores N -metil-D-aspartato (NMDA) estão criticamente envolvidos no desenvolvimento e função do cérebro, incluindo aprendizagem e formação de memória e pertencem à família de receptores de glutamato ionotrópico (iGluRs), que são canais iônicos dependentes de glutamato, compostos de três famílias principais, o ácido α-amino-3-hidroxi-5-metil-4-isoxazol propiônico (AMPA) (GluA1- 4), cainato (GluK1-5) e receptores NMDA (GluN1, GluN2A-D e GluN3A-B).


Portanto, a ativação de receptores de NMDA requer a ligação de agonistas de neurotransmissores a um domínio de ligação ao ligante (LBD) e rearranjo estrutural de um domínio amino-terminal (ATD). Estruturas cristalinas recentes de receptores GluN1/GluN2B NMDA na presença de agonistas e um inibidor alostérico, ifenprodil, representam o estado alostericamente inibido. No entanto, o modo como o ATD e o LBD se movem para ativar o canal iônico do receptor NMDA permanece incerto.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas