A maior rede de estudos do Brasil

como o bulbo arterioso contribui na formação ventricular?


5 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Ele contribui, pois, está ventral ao ventrículo primitivo depois que o coração em desenvolvimento assume sua forma em forma de S. Juntos, o bulbo arterioso e o ventrículo primitivo dão origem aos ventrículos do coração formado.


As paredes adjacentes do bulbo e do ventrículo aproximam-se, fundem-se e finalmente desaparecem, e o bulbo agora se comunica livremente com o ventrículo direito, enquanto a junção do bulbo com o ventrículo é diretamente ventral e aplicada ao canal atrial.


Pelo crescimento do septo ventricular, o bulbo da corda é em grande parte separado do ventrículo esquerdo, mas permanece como parte integrante do ventrículo direito, do qual forma o infundíbulo.

Ele contribui, pois, está ventral ao ventrículo primitivo depois que o coração em desenvolvimento assume sua forma em forma de S. Juntos, o bulbo arterioso e o ventrículo primitivo dão origem aos ventrículos do coração formado.


As paredes adjacentes do bulbo e do ventrículo aproximam-se, fundem-se e finalmente desaparecem, e o bulbo agora se comunica livremente com o ventrículo direito, enquanto a junção do bulbo com o ventrículo é diretamente ventral e aplicada ao canal atrial.


Pelo crescimento do septo ventricular, o bulbo da corda é em grande parte separado do ventrículo esquerdo, mas permanece como parte integrante do ventrículo direito, do qual forma o infundíbulo.

User badge image

Luiz

Há mais de um mês

Durante a quinta semana formam-se tumefações nas paredes do bulbo arterioso. Estas tumefações, chamadas cristas bulbares, são inicialmente preenchidas com geléia cardiaca, mas depois são invadidas por células mesenquimais. Cristas troncais semelhantes formam-se no tronco arterioso, continua com as cristas bulbares. A orientação em espiral das cristas, possivelmente causadas pela corrente sanguínea vinda dos ventrículos, resulta em um septo aortopulmonar espiral, quando esta cristas se fundem. Este septo divide o bulbo arterioso e o tronco arterioso em dois canais, a aorta ascendente e o tronco pulmonar. Devido à forma espiralada do septo aortopulmonar, o tronco pulmonar se enrola em torno da aorta ascendente.

O bulbo arterioso é incorporado gradualmente pelas paredes dos ventrículos. No ventrículo direito adulto, ele é representado pelo infundíbulo ou cone arterioso, que da origem ao tronco pulmonar. No ventrículo esquerdo adulto, o bulbo arterioso forma as paredes do vestíbulo aórtico, a parte da cavidade ventricular logo abaixo da valva aórtica.

User badge image

Andre

Há mais de um mês

Ele contribui, pois, está ventral ao ventrículo primitivo depois que o coração em desenvolvimento assume sua forma em forma de S. Juntos, o bulbo arterioso e o ventrículo primitivo dão origem aos ventrículos do coração formado.


As paredes adjacentes do bulbo e do ventrículo aproximam-se, fundem-se e finalmente desaparecem, e o bulbo agora se comunica livremente com o ventrículo direito, enquanto a junção do bulbo com o ventrículo é diretamente ventral e aplicada ao canal atrial.


Pelo crescimento do septo ventricular, o bulbo da corda é em grande parte separado do ventrículo esquerdo, mas permanece como parte integrante do ventrículo direito, do qual forma o infundíbulo.

User badge image

Luiz

Há mais de um mês

Isso é durante a formação cardiovascular que é o primeiro a entrar em funcionamento no embrião, permitindo que o sangue comece a circular no final da terceira semana. Esse desenvolvimento rápido é necessário porque o embriao em ligeiro crescimento precisa de um método eficiente de aquisição de oxigênio e nutrientes, e de excreção de dioxido de carbono e outros produtos.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas