A maior rede de estudos do Brasil

Ação negatória de paternidade, sendo ela pós mortem, precisa necessariamente os avós parternos serem autores?


3 resposta(s)

User badge image

Estudante PD

Há mais de um mês

http://semanaacademica.org.br/system/files/artigos/artigo_-_negatoria_de_patenidade.pdf Talvez ajude esse artigo.
http://semanaacademica.org.br/system/files/artigos/artigo_-_negatoria_de_patenidade.pdf Talvez ajude esse artigo.
User badge image

Júnior Oliveira

Há mais de um mês

O STJ já enfrentou o caso e decidiu não ser possível negar reconhecimento de paternidade depois da morte. De acordo com o ministro Marco Buzzi, “somente o pai registral tem legitimidade ativa para impugnar o ato de reconhecimento de filho, por ser ação de estado, que protege direito personalíssimo e indisponível do genitor”. Portanto, não há que se falar em avós paternos como únicos legitimados. Apenas em caso de morte do genitor após o ajuizamento da ação por si seria possível o prosseguimento do feito pelos herdeiros do falecido.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes