A maior rede de estudos do Brasil

Quanto ao exercício do direito pelo sujeito ativo, qual a diferença de uma obrigação propter rem para uma obrigação pessoal?

Direito Civil III

UNITOLEDO


2 resposta(s)

User badge image

Victória Antonieto

Há mais de um mês

"Obrigação propter rem é a que recai sobre uma pessoa, por força de determinado direito real. Só existe em razão da situação jurídica do obrigado, de titular do domínio ou de detentor de determinada coisa. São obrigações que surgem pela força da lei (ex vi legis), atreladas a direitos reais, mas com eles não se confundem, em sua estruturação. [...]

As obrigações propter rem distinguem-se também das obrigações comuns, especialmente pelos modos de transmissão.  As obrigações comuns transmitem-se por meio de negócios jurídicos, como cessão de crédito, sub-rogação, assunção de dívida, endosso, sucessão por morte etc., que atingem diretamente a relação creditória. Nas obrigações propter rem a substituição do titular passivo (aquele que se obriga a prestação por titularidade ou posse do bem) opera-se por via indireta, com a aquisição do direito sobre a coisa advém o dever de prestar que se encontra ligado ao bem. Assim, por exemplo, se alguém adquirir por usucapião uma quota do condomínio, é sobre o novo condômino que recai a obrigação de concorrer para as despesas de conservação da coisa."

 

REF: Gonçalves, Carlos Roberto. Direito das Obrigações. 9. ed. São Paulo: Editora Saraiva, 2012. 436p.
 Vade Mecum. 23. ed. São Paulo: Editora Saraiva, 2017.

"Obrigação propter rem é a que recai sobre uma pessoa, por força de determinado direito real. Só existe em razão da situação jurídica do obrigado, de titular do domínio ou de detentor de determinada coisa. São obrigações que surgem pela força da lei (ex vi legis), atreladas a direitos reais, mas com eles não se confundem, em sua estruturação. [...]

As obrigações propter rem distinguem-se também das obrigações comuns, especialmente pelos modos de transmissão.  As obrigações comuns transmitem-se por meio de negócios jurídicos, como cessão de crédito, sub-rogação, assunção de dívida, endosso, sucessão por morte etc., que atingem diretamente a relação creditória. Nas obrigações propter rem a substituição do titular passivo (aquele que se obriga a prestação por titularidade ou posse do bem) opera-se por via indireta, com a aquisição do direito sobre a coisa advém o dever de prestar que se encontra ligado ao bem. Assim, por exemplo, se alguém adquirir por usucapião uma quota do condomínio, é sobre o novo condômino que recai a obrigação de concorrer para as despesas de conservação da coisa."

 

REF: Gonçalves, Carlos Roberto. Direito das Obrigações. 9. ed. São Paulo: Editora Saraiva, 2012. 436p.
 Vade Mecum. 23. ed. São Paulo: Editora Saraiva, 2017.

User badge image

Júnior Oliveira

Há mais de um mês

As obrigações propter rem são aquelasque "decorrem da coisa", independentemente de quem seja o seu propriertário. É o caso, por exemplo, das obrigações de cotas condominiais. Seja quem for o proprietário, eventual dívida de condomínio recairá sobre a coisa, mesmo que o atual dono não tenha sido quem o responsável pela dívida.

Já as obrigações pessoais são o contrário, pois recaem sobre o devedor, não sobre coisas. Por exemplo, se compro um carro com um cheque sem fundo, o credor pode ajuizar ação monitória contra mim, e apenas contra mim, não em face de umm eventual novo dono do automóvel.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes