A maior rede de estudos do Brasil

Jurisprudência - Causa de aumento de pena de uso de arma de fogo no crime de roubo

O parágrafo 2º, inciso II do artigo 157 prevê a causa de aumento de pena pela utilização de arma durante o crime de roubo. 

Quanto a essa causa de aumento de pena encontramos diversas teses:

1) É imprescindível a apreensão da arma para que ela seja periciada e, se comprovada sua potencialidade lesiva, incidirá essa causa de aumento de pena.

2) É prescindível a apreensão da arma, pois basta sua utilização para caracterizar essa causa de aumento de pena.

3) Deverá ser comprovada a potencialidade lesiva. No entanto, a palavra da vítima sobre a potencialidade lesiva poderá suprir a necessidade da perícia, por exemplo, na hipótese de a vítima presenciar um disparo com a arma de fogo utilizada.

4) Essa causa de aumento de pena deve ser analisada como um crime de mera conduta. 

 

Embora as situações 2 e 4 sejam próximas, a situação 2 é defendida por grande parte da jurisprudência (sem qualquer justificação, apenas aplica-se a causa de houver o emprego de arna) enquanto a situação 4 é uma hipótese trazida pela doutrina para justificar a aplicação quando não comprovada a potencialidade lesiva da arma.

Qual a opinião de vocês? Qual seria a hipótese mais indicada para aplicação?


2 resposta(s)

User badge image

Carlos Henrique

Há mais de um mês

Se essa fosse uma questão objetiva de prova e pedindo para marcar a alternativa correta, a resposta seria a opção 5...

5. (   ) – Nenhuma das anteriores.

xD

 

 Brincadeiras a parte, vamos ao contúdo. É sabido que o STJ havia inclusive sumulado o assunto, considerando o mero porte de arma como fator para causa de aumento de pena, mesmo sendo esta de brinquedo ou sem potencial lesivo (com defeito ou sem munição). No entanto, com a decisão do Resp 213.054, desde 2002 a súmula 175 deixou de ser aplicada.

 

Atualmente o entendimento das cortes, não considera mais o simples porte de arma como causa de aumento de pena, apenas configura grave ameaça. É prescindível a apreensão e perícia da arma para aumentar a pena, desde que resta comprovada por outros meios, e sendo comprovada a potencialidade lesiva da arma, inclusive com testemunho¹. Caso o réu alegar que a arma não possuía potencial lesivo, cabe a ele a comprovação.

E quanto à mera conduta, que seria o crime de porte ilegal de arma, é aplicada a regra de que o “crime maior absorve o crime menor”, ou seja, o porte da arma no crime de roubo irá incidir apenas como atos preparatórios (segunda fase do iter criminis).

Analisando essas minhas afirmações não consegui enquadrar em nenhuma das opções do enunciado. Abaixo vou deixa um link de para dar uma conferida, quem sabe se tenha dúvidas quanto ao assunto talvez elas sejam resolvidas.

 

http://www.dizerodireito.com.br/2012/08/sete-perguntas-interessantes-sobre-o.html

 __________________

1- Veja a Apelação Criminal 0057300-37.2010.8.19.0042

 

Se essa fosse uma questão objetiva de prova e pedindo para marcar a alternativa correta, a resposta seria a opção 5...

5. (   ) – Nenhuma das anteriores.

xD

 

 Brincadeiras a parte, vamos ao contúdo. É sabido que o STJ havia inclusive sumulado o assunto, considerando o mero porte de arma como fator para causa de aumento de pena, mesmo sendo esta de brinquedo ou sem potencial lesivo (com defeito ou sem munição). No entanto, com a decisão do Resp 213.054, desde 2002 a súmula 175 deixou de ser aplicada.

 

Atualmente o entendimento das cortes, não considera mais o simples porte de arma como causa de aumento de pena, apenas configura grave ameaça. É prescindível a apreensão e perícia da arma para aumentar a pena, desde que resta comprovada por outros meios, e sendo comprovada a potencialidade lesiva da arma, inclusive com testemunho¹. Caso o réu alegar que a arma não possuía potencial lesivo, cabe a ele a comprovação.

E quanto à mera conduta, que seria o crime de porte ilegal de arma, é aplicada a regra de que o “crime maior absorve o crime menor”, ou seja, o porte da arma no crime de roubo irá incidir apenas como atos preparatórios (segunda fase do iter criminis).

Analisando essas minhas afirmações não consegui enquadrar em nenhuma das opções do enunciado. Abaixo vou deixa um link de para dar uma conferida, quem sabe se tenha dúvidas quanto ao assunto talvez elas sejam resolvidas.

 

http://www.dizerodireito.com.br/2012/08/sete-perguntas-interessantes-sobre-o.html

 __________________

1- Veja a Apelação Criminal 0057300-37.2010.8.19.0042

 

User badge image

Rodrigo

Há mais de um mês

Carlos,

 

Eu tenho meu posicionamento, criei o tópico apenas para ver novos pontos de vista.

Em relação ao item 4, não me referi a um novo crime, mas sim que a causa de aumento de pena deve ser vista assim como é o um crime de mera condua. Uma espécie de "causa de aumento de pena de mera conduta".

 

Em São Paulo, pelo menos onde atuo, as decisões de primeiro grau têm sido no sentido de condenar pelo crime de roubo majorado pelo emprego de arma, independente de perícia ou testemunho da vítima afirmando sobre a potencialidade lesiva, o que ao meu ver, é uma decisão teratológica.

 

Enfim, como disse, criei a pergunta apenas para ampliar os horizontes e ver opiniões diferentes da minha.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes