A maior rede de estudos do Brasil

O namoro rompido é passível de indenização?

Galerinha, atualmente quanto ao entendimento dos Superiores tribunais, é possível sem adentrar com o pedido de indenização, tanto moral quanto material, ao noivado desfeito por circunstâncias abruptas e não justificáveis. Mas, será que estes mesmos fatores se enquadram aos namoros rompidos injustificavelmente? Caso a resposta seja negativa, em quais patamares se encontram as diversificações entre os conceitos? Não são estes, noivado e namoro, fatores de seguridade ou inseguridade constante?


8 resposta(s)

User badge image

Ricardo Toledo

Há mais de um mês

Existe um estudo sobre a diferença entre o namoro qualificado (aquele namoro de muito tempo, mas sem a intenção de constituir família) e também a União Estável(esta com a intenção de constituir familia, quase o casamento).  A partir deste estudo, é possível ver que o namoro não é passivel de indenização, se for apenas um simples namoro em que ainda não exista esse fator de constituir familia. Entretanto, se este namoro possuir a intenção de constituir familia, ele na verdade pode ser considerado uma união estável, e consequentemente passível de indenização se ocorrer a dissolução. Nota-se que dependera muito do caso concreto.

Existe um estudo sobre a diferença entre o namoro qualificado (aquele namoro de muito tempo, mas sem a intenção de constituir família) e também a União Estável(esta com a intenção de constituir familia, quase o casamento).  A partir deste estudo, é possível ver que o namoro não é passivel de indenização, se for apenas um simples namoro em que ainda não exista esse fator de constituir familia. Entretanto, se este namoro possuir a intenção de constituir familia, ele na verdade pode ser considerado uma união estável, e consequentemente passível de indenização se ocorrer a dissolução. Nota-se que dependera muito do caso concreto.

User badge image

Necessio Adriann

Há mais de um mês

depende do caso concreto.

User badge image

Samuel santos

Há mais de um mês

o direito é casuistico, logo, observando em determinado caso que houve prejuizo similar ao noivado que enseja o direito a ireparacao, é possível sim a indenização.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes