A maior rede de estudos do Brasil

porque a concentração de lactato é maior e o conteúdo de glicogênio muscular é menor durante o exercicio realizado no calor

Fisiologia I

FANEC


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

O lactato é produzido pelo organismo após a queima da glicose (glicólise), para o fornecimento de energia sem a presença de oxigênio (metabolismo anaeróbico láctico). Em atividades físicas de longa duração, o suprimento de oxigênio nem sempre é suficiente.


A produção de energia para a realização de um exercício físico se dá a partir da “quebra” de uma molécula de ATP (adenosina trifosfato), que funciona como o combustível para a contração muscular. Existem 3 mecanismos principais para produção dessa energia:

1. Sistema do metabolismo anaeróbico alático (sistema ATP-creatina-fosfato), ou seja, sem a produção de lactato.

2. Sistema do metabolismo anaeróbico láctico (glicólise), ou seja, que leva à produção do lactato.

3. Sistema de metabolismo aeróbico, também sem a produção de lactato.


Assim, a dosagem do lactato pode trazer importante informação para o atleta e seu treinador, tanto quanto à situação atual de treinamento e “performance” do atleta, como com relação às demandas metabólicas do organismo e sua capacidade de suportar estímulos de exercícios especificamente selecionados. A avaliação do “fitness” individual e das condições de treinamento, que dependem desse condicionamento físico, são uma área de interesse cada vez maior dentro dos programas de treinamento físico.


O corpo humano é uma máquina complexa, que nos permite realizar, desde movimentos banais do cotidiano, como correr uma maratona, ou até desafios ainda maiores. Mas, nada disso seria possível sem um combustível potente, responsável por providenciar energia necessária para os nossos músculos. E está aí o papel do glicogênio muscular.

O lactato é produzido pelo organismo após a queima da glicose (glicólise), para o fornecimento de energia sem a presença de oxigênio (metabolismo anaeróbico láctico). Em atividades físicas de longa duração, o suprimento de oxigênio nem sempre é suficiente.


A produção de energia para a realização de um exercício físico se dá a partir da “quebra” de uma molécula de ATP (adenosina trifosfato), que funciona como o combustível para a contração muscular. Existem 3 mecanismos principais para produção dessa energia:

1. Sistema do metabolismo anaeróbico alático (sistema ATP-creatina-fosfato), ou seja, sem a produção de lactato.

2. Sistema do metabolismo anaeróbico láctico (glicólise), ou seja, que leva à produção do lactato.

3. Sistema de metabolismo aeróbico, também sem a produção de lactato.


Assim, a dosagem do lactato pode trazer importante informação para o atleta e seu treinador, tanto quanto à situação atual de treinamento e “performance” do atleta, como com relação às demandas metabólicas do organismo e sua capacidade de suportar estímulos de exercícios especificamente selecionados. A avaliação do “fitness” individual e das condições de treinamento, que dependem desse condicionamento físico, são uma área de interesse cada vez maior dentro dos programas de treinamento físico.


O corpo humano é uma máquina complexa, que nos permite realizar, desde movimentos banais do cotidiano, como correr uma maratona, ou até desafios ainda maiores. Mas, nada disso seria possível sem um combustível potente, responsável por providenciar energia necessária para os nossos músculos. E está aí o papel do glicogênio muscular.

User badge image

Carlos eduardo

Há mais de um mês

Quando uma atividade fisica é realizada em altas temepraturas o corpo realiza trabalho para resfriar o corpo superaquecido e para a realizar a atividade muscular, o que consome as reservas musculares de glicogênio e inicia processos celulares anaerobios para a produçao de energia, esses processos anaerobios resultam em lactato como um dos produtos.

 

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas