Avaliação Objetiva 2

1

No debate acadêmico entre proporcionalismo e majoritarianismo, tanto do ponto de vista teórico quanto do exercício prático da política, é correto afirmar que:

Peso: 1.0

 

   Objetivo central da adoção de um sistema proporcional de representação é a construção de sólidas, amplas e coesas maiorias parlamentares, capazes de eleger e sustentar um gabinete em condições de governar sem problemas maiores.

 

    Os defensores do sistema proporcional preocupam-se mais com a solidez governamental, deixando para um segundo plano a representação da sociedade.

 

    Historicamente originário da Inglaterra, o sistema majoritário tem sua origem vinculada à concepção medieval de representação territorial.

 

    A representação proporcional permite que um partido consiga eleger a maioria absoluta de cadeiras parlamentares, formando governos, sem a necessidade de construção de alianças políticas.

 


2

Ainda no debate entre proporcionalismo e majoritarianismo, é correto afirmar que:

Peso: 1.0

 

    O sistema de representação majoritário reconhece a diversidade sócio-econômica da sociedade e, por conseguinte, a existência de demandas contraditórias que pressionam o sistema eleitoral.

 

    No sistema majoritário, o poder é delegado a uma maioria. Para corrigir tal distorção, o melhor método é a adoção da monarquia absolutista.

 

    Nos sistemas de representação proporcional, a estabilidade, segundo seus defensores, é o resultado da possibilidade de expressão das clivagens fundamentais da sociedade, sem cuja representação torna-se impossível a integração sócio-política e a estabilidade governamental e política.

 

    O objetivo da representação majoritária é a busca na aproximação da votação de cada partido nas eleições com sua representação parlamentar, ou seja, com sua parcela de cadeiras no parlamento.

 


3

Um dos elementos chave da política é a representação política. Isto porque o conceito possui implicações tanto do ponto vista teórico como do ponto de vista prático. Representação política é uma relação entre o conjunto dos cidadãos de um determinado país e os seus representantes. Assim, podemos afirmar que:

I - Na representação política, a população delega (transmite poderes) para os seus representantes (políticos).

II - A população delega os poderes necessários para que os políticos decidam sobre questões nacionais, definidas constitucionalmente.

III - A população não delega seus poderes, ela decide as questões nacionais por si mesmas.

Peso: 1.0

 

    Apenas as afirmativas I e III estão corretas.

 

    Apenas a afirmativa I está correta.

 

    Apenas a afirmativa II está correta.

 

    Apenas as afirmativas I e II estão corretas

 


4

Assinale a(as) afirmações que estão corretas:

I - Nos governos parlamentaristas, as funções de chefe de estado e de governo são separadas em duas instituições exercidas por duas pessoas diferentes.

II -No sistema parlamentar, o chefe de governo é eleito pelo parlamento. Assim, no parlamentarismo, é fundamental que um partido, ou alguns partidos em aliança detenham a maioria de cadeiras na Câmara de Deputados para tornar viável a escolhado primeiro-ministro.

III - No presidencialismo as funções exercidas pelo chefe do estado e de chefe de governo são exercidas por uma única pessoa.

IV - O Presidente da República, que é eleito diretamente. No sistema presidencialista não existe nenhuma regra formal departicipação do poder legislativo na formação do governo nem na participação no governo.

Peso: 1.0

 

    Apenas a alternativa I está correta.

 

    Apenas as alternativa I e IV estão corretas.

 

    Apenas as alternativas II e III estão corretas.

 

    Todas as alternativas estão corretas.

 


5

Assinale as afimativas corretas:

I - A representação política é a base de todo sistema democrático.

II - A definição de representação política diz respeito à possibilidade de controle do poder, atribuída a quem não podeexercer diretamente o poder.

III - A representação pode ser definida como um mecanismo particular para a o exercício de controle entre governantes egovernados.

IV - A representação não pode ser definida como um mecanismo particular para a o exercício de controle entre governantes egovernados.

 

Peso: 1.0

 

    Apenas as alternativas I, II e IV estão corretas.

 

    A penas as afirmativas I, II e III estão corretas.

 

    Apenas as alternativas II e IV estão corretas.

 

    Todas as alternativas estão corretas.

 


6

Na discussão teórica sobre o Presidencialismo e Parlamentarismo no Brasil é correto afimar:

Peso: 1.0

 

    O funcionamento do presidencialismo no Brasil, dado o poder muito grande exercido pelo poder executivo e pelo presidente da república em particular, vem sendo chamado de presidencialismo imperial. Em outros momentos históricos, como o que nós vivenciamos atualmente, o presidencialismo, dada sua especificidade, pode ser chamado de ¿presidencialismo de coalizão¿, que pode ser considerada uma forma híbrida de presidencialismo clássico com alguns elementos do sistema parlamentarista.

 

    Em 1988, com a nova Constituição Brasileira, o Presidente da República reduziu- se às possibilidades de legislar, ou seja, possibilidade de que o presidente da república não mais intervenha diretamente no processo legislativo. Destaque para o papel exercido pelas Medidas Provisórias. Este faz com que o Presidente não mais adote medidas ¿com força de lei¿.

 

    A marca característica do Presidencialismo no Brasil é que ele não se organiza de forma a tornar fundamental a construção de sólidas maiorias no Parlamento. O que foi caracterizado por Sérgio Abranches, o presidencialismo de coalizão, tem como pressupostos a não separação de poderes e o não pluralismo partidário no Congresso. Neste sistema, o Presidente não articula a sua base de apoios através da não distribuição de cargos e de recursos orçamentários entre os grandes partidos políticos.

 

    Repúblicas presidencialistas têm se concentrado no continente americano e no asiático. Na América Central e do Sul, todos os países são presidencialistas, exceto o Suriname.

 


7

No capítulo "Democracia: conceitos fundamentais", sobre representação política, é correto afirmar que:

Peso: 1.0

 

    Os regimes representativos também não se opõem às experiências de democracia direta, pois o povo tem voz e vez de se representar através da participação direta.

 

    O regime político representativo não se opõe às experiências autocráticas e absolutistas, pois sempre há uma forma direta ou indireta do poder dos súditos.

 

    O conceito de representação política tem sido usado sempre com o mesmo sentido e com a mesma prática.

 

    Elegemos nossos representantes no parlamento para que eles, entre outras atividades, controlem o poder executivo, já que não temos as condições necessárias para exercer esta atividade diretamente.

 


8

No capítulo "Participação social. Questões teóricas e prática no Brasil", é correto afirmar que:

Peso: 1.0

 

    Os movimentos sociais no Brasil surgem em meados do século XX e entram em refluxo durante o período de vigência do regime militar, entre 1964 e 1985.

 

    Muitos dos impasses da democracia no mundo contemporâneo, como os baixos índices de participação política e a diminuição do papel exercido pelos partidos políticos, não podem ser contrabalançados com o aumento dos mecanismos diretos de participação.

 

    As experiências e as tentativas de orçamento participativo em grandes centros urbanos, onde a democracia direta convivia com a representativa na deliberação sobre os recursos dos fundos públicos, foi um fracasso e é hoje criticado e negado por ser inconstitucional e não democrático.

 

    A Igreja Católica, com sua estrutura ligada diretamente ao Vaticano, não tem desempenhado um papel relevante nos movimentos sociais.

 


9

Partindo de uma crítica a democracia representativa, os defensores da democracia direta e de todas as suas experiências concetas, como por exemplo o orçamento participativo(OP), partem de um mesmo fundo comum:

Peso: 1.0

 

    Os limites da democracia direta.

 

    Os limites da democracia plebiscitária.

 

    Os limites da democracia representativa.

 

    Todas as alternativas estão incorretas.

 


10

A Constituição de 1988 consagra  e mescla instrumentos de participação direta com instrumentos da democracia representativa, tais como:

Peso: 1.0

 

    Plebiscito, referendo e impeachment.

 

    Referendo, iniciativa popular e democracia direta.

 

    Iniciativa popular, plebiscito e impeachment.

 

    Plebiscito, referendo e iniciativa popular.
Disciplina:Política, Democracia e Participação Social1.519 materiais

1 resposta(s)

Carregar mais