A maior rede de estudos do Brasil

Na seara processual civil, o que são omissões processuais negociais e no que diferem-se dos atos-fatos processuais?


2 resposta(s)

User badge image

Júnior Oliveira

Há mais de um mês

O ato-fato é um ato humano em que a vontade não importa. A revelia e a ausência de recurso são atos-fatos. Portanto, para efeitos processuais, não importa se o réu quis ou não deixar de contestar/recorrer.

Via de regra, a contumácia, a inércia ou a omissão são atos-fatos processuais. Não é, contudo, toda omissão ou inércia que se caracteriza como ato-fato. Há omissões negociais. Ocorre quando o réu deixa de opor a exceção de incompetência relativa, por exemplo. A renúncia tácita à convenção de arbitragem também é uma omissão negocial. 

Em suma, há dois tipos de omissão no processo: a omissão contumacial e a omissão negocial. A primeira é um ato-fato, a segunda um negócio jurídico. O assistente, por exemplo, não pode se manifestar de forma contrária à vontade do assistido. Ou seja, o assistente não pode se manifestar quando a omissão for negocial.

Dessa forma, se o assistido for réu e não apresentar exceção de incompetência ou não suscitar preliminar de convenção de arbitragem, o assistente não poderá fazê-lo. Em contrapartida, caso o assistido não conteste ou não recorra, o assistente poderá fazê-lo, já que a revelia e a ausência de recurso são atos-fatos, ou seja, a vontade não faz diferença.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes