A maior rede de estudos do Brasil

como era o direito nas sociedades primitivas?

dê exemplos, caracteristicas, como era 


3 resposta(s)

User badge image

Rayssa Kêmily Ferreira

Há mais de um mês

De forma simples e objetiva, defino o direito nas sociedades como um Direito oriundo dos costumes ou seja consuetudinário, onde as bases de relações eram intrelaçadas com a religião e a moral adotada pela tribo. Tudo que o chefe dizia virava lei e para que a lei se propagasse para as geralções seguinte era passada de pai para filho na forma oral da linguagem. 
Recapitulando
Direito Primitivo: 

a) oriundo dos costumes
b) a palavra do chefe era Lei
c) contaminado pela religião.

De forma simples e objetiva, defino o direito nas sociedades como um Direito oriundo dos costumes ou seja consuetudinário, onde as bases de relações eram intrelaçadas com a religião e a moral adotada pela tribo. Tudo que o chefe dizia virava lei e para que a lei se propagasse para as geralções seguinte era passada de pai para filho na forma oral da linguagem. 
Recapitulando
Direito Primitivo: 

a) oriundo dos costumes
b) a palavra do chefe era Lei
c) contaminado pela religião.

User badge image

Ezequiel Flamenguista

Há mais de um mês

Direito arcaico é denominado para os sistemas legais que regeram as populações sem escrita. Realizando um paralelo com muitas populações existentes na segunda metade do século XX, vê-se que muitas delas ainda hoje vivem de acordo com esse direito primitivo. O processo contemporâneo de colonização acarretou um surto de pluralismo jurídico, havendo a presença de um direito europeu para os não indígenas e um direito arcaico para as populações autóctones.

A família deu as bases para o direito primitivo, que nasceu nos antigos princípios que nortearam a sua constituição, tendo sido derivado das crenças religiosas universalmente admitidas na idade primitiva desses povos, exercendo seu domínio sobre as inteligências e vontades.

Vê-se a fundamentação em revelações divinas e sagradas, no período anterior às legislações escritas e os códigos formais. A transmissão das práticas primárias de controle era feita oralmente. O medo de uma vingança divina, pelo desrespeito aos seus ditames, fez com que o direito passasse a ser respeitado religiosamente. Portanto, as sanções legais estavam profundamente associadas às sanções rituais.

Na evolução do direito, o autor identifica três estágios: “o direito que provém dos deuses, o direito confundido com os costumes e, finalmente, o direito identificado com a lei”. Inicialmente, o direito era considerado sagrado, como expressão das divindades. Tal prática desenvolve-se na direção da prática normativa consuetudinária, sendo a expressão de um conjunto disperso de usos, práticas e costumes.

No direito antigo pode ser identificada uma mescla de prescrições civis, religiosas e morais, sendo que, neste cenário, o povo romano foi o que mais avançou para uma autonomia diante da religião e da moral.

A tradição conservava a regulamentação no chamado direito arcaico, que não era passível de legislação. Além disso, cada uma das organizações sócias possuía um direito único, sendo este direito profundamente influenciado pelas crenças dos antepassados, pelo ritualismo simbólico e pela força das divindades, havendo no religioso um sincretismo entre as regras de cunho social, moral e jurídico. 

As fontes do direito das sociedades primitivas são poucas, resumindo-se aos costumes, preceitos verbais, às decisões pela tradição etc. Para Malinowski, além das regras jurídicas sancionadas por um aparato social com poderosa força cogente, subsistiam outros tipos diferenciados de normas tradicionais gerados por motivos psicológicos. O autor tenta desmistificar a lei criminal entendida como núcleo exclusivo de todo e qualquer direito primitivo.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes