A maior rede de estudos do Brasil

Qual a diferença de Lei Complementar e Lei Ordinária ? Além do quórum ?

Gostaria de Saber qual a diferença dessas leis e ainda um exemplo palável pra ter como referência.

Introdução ao Direito I

Humanas / Sociais


3 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

DLRV Advogados Verified user icon

Há mais de um mês

A Lei Complementar, como o próprio nome diz, tem o propósito de complementar, explicar ou adicionar algo à constituição, tendo seu âmbito material predeterminado pelo constituinte. Quanto ao quórum para aprovação, a lei complementar exige maioria absoluta.

Exemplos de Lei Complementar:

  • LC nº 7 - Institui o Programa de Integração Social;
  • LC nº 162 - Institui o Programa Especial de Regularização Tributária das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte optantes pelo Simples Nacional;
  • Entre outros.

No que se refere a lei ordinária, o seu campo material é alcançado por exclusão. Se a constituição não exige a elaboração de lei complementar, a lei ordinária será a via adequada. A lei ordinária exige apenas maioria simples de votos para ser aceita.

Exemplos de Lei ordinária:

  • Lei nº 8.069/1990 - Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente;
  • Lei nº 13.105/2015 - Dispõe sobre o Código de Processo Civil;
  • Entre outros.

Importa ressaltar, no entanto, que a jurisprudência do STF determina que não há hierarquia entre lei ordinária e lei complementar. Elas apenas atuam em campos diversos.

A Lei Complementar, como o próprio nome diz, tem o propósito de complementar, explicar ou adicionar algo à constituição, tendo seu âmbito material predeterminado pelo constituinte. Quanto ao quórum para aprovação, a lei complementar exige maioria absoluta.

Exemplos de Lei Complementar:

  • LC nº 7 - Institui o Programa de Integração Social;
  • LC nº 162 - Institui o Programa Especial de Regularização Tributária das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte optantes pelo Simples Nacional;
  • Entre outros.

No que se refere a lei ordinária, o seu campo material é alcançado por exclusão. Se a constituição não exige a elaboração de lei complementar, a lei ordinária será a via adequada. A lei ordinária exige apenas maioria simples de votos para ser aceita.

Exemplos de Lei ordinária:

  • Lei nº 8.069/1990 - Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente;
  • Lei nº 13.105/2015 - Dispõe sobre o Código de Processo Civil;
  • Entre outros.

Importa ressaltar, no entanto, que a jurisprudência do STF determina que não há hierarquia entre lei ordinária e lei complementar. Elas apenas atuam em campos diversos.

User badge image

João Henrique Ribeiro Nunes

Há mais de um mês

As leis complementares são a resposta do legislador infraconstitucional ao chamamento proveniente do poder constituinte, originário ou reformador, na própria carta constitucional, para regulamentar determinada matéria. Dependem da prerrogativa material para serem produzidas. Já as leis ordinárias, de requisitos formais comuns, se destinam a regular todas as questões que não sejam de exclusividade de Lei Complementar.

Se gostou, não esqueça de indicar. Espero ter ajudado!

User badge image

Lyra

Há mais de um mês

a diferença entre elas, além do quorum diferenciado, é a matéria, por isso posso te afirmar Lei complementar não prevalece sobre lei ordinária. Cada uma deve tratar de um determinado assunto, sendo que a CF exigirá a regulamentação por lei complementar expressamente, caso contrário o tema será tratar por lei ordinária. Cuidado: você pode encontrar leis que inicialmente eram ordinárias, mas hoje tem status de lei complementar (ex: o Cdogio Tributario Nacional)..isso ocorre porque a Constituição pode exigir regulamentação por lei complementar onde já existia uma lei ordinária tratando do assunto (= fenômeno da recepção... o único requisito é que seja materialmente compatível com a nova ordem constitucional).

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas