A maior rede de estudos do Brasil

Alguém tem um resumão das teorias da ação?

(Teoria causalista, finalista, social e funcionalista)

Direito Penal I

MACKENZIE


4 resposta(s)

User badge image

Lyra

Há mais de um mês

não tenho um resumão, mas posso te escrever algumas considerações aqui.

Teoria da Ação no Causalismo/teoria mecanicista/naturalista -> represetada por Franz Von Lisz,Ernest Beling e Radbruch. O causalismo queria imprimir ao direito a mesma certeza que possui as ciências biológicas e exatas. O causalismo queria que o direito fosse uma ciência do "ser". A consequência é o seguinte conceito de ação: movimento coporal oriundo de impulsos nervosos que produz um resultado perceptível pelos sentidos. (isso não parece um conceito jurídico né?) Nota-se também que eles exigiam um alteração do mundo (resultado) perceptível pelos sentidos. Daí que no causalismo surgiu a noção de tipos normais e tipos anormais (possuem elementos subjetivos). Em relação ao conceito analítico de crime proposto por Merkel na Alemanha, em que crime é o fato típico, antijurídico e culpável, a Teoria Mecanicista, que era associada a teoria psicologica da culpabilidade, dizia que o dolo e a culpa não integram o fato típico (a conduta, para eles, é esvaziada de finalidade, pois a finalidade é subjetiva), mas sim a culpabilidade (ententidade como dolo e culpa. OBS: a imputabildiade era vista como um pressuposto da culpabilidade). Consequencia: você Grabiela está dirigindo seu veículo seguindo todas as normas de trânsito, quando inadivertidamente a Prof Regina pula na frente do seu carro e você não tem tempo de frear seu veículo. De acordo com a teoria naturalista você cometeu um fato típico, antijurídico (um injusto penal), mas não culpável, pois lhe falta dolo/culpa (se preferer um injusto penal não culpável).

não tenho um resumão, mas posso te escrever algumas considerações aqui.

Teoria da Ação no Causalismo/teoria mecanicista/naturalista -> represetada por Franz Von Lisz,Ernest Beling e Radbruch. O causalismo queria imprimir ao direito a mesma certeza que possui as ciências biológicas e exatas. O causalismo queria que o direito fosse uma ciência do "ser". A consequência é o seguinte conceito de ação: movimento coporal oriundo de impulsos nervosos que produz um resultado perceptível pelos sentidos. (isso não parece um conceito jurídico né?) Nota-se também que eles exigiam um alteração do mundo (resultado) perceptível pelos sentidos. Daí que no causalismo surgiu a noção de tipos normais e tipos anormais (possuem elementos subjetivos). Em relação ao conceito analítico de crime proposto por Merkel na Alemanha, em que crime é o fato típico, antijurídico e culpável, a Teoria Mecanicista, que era associada a teoria psicologica da culpabilidade, dizia que o dolo e a culpa não integram o fato típico (a conduta, para eles, é esvaziada de finalidade, pois a finalidade é subjetiva), mas sim a culpabilidade (ententidade como dolo e culpa. OBS: a imputabildiade era vista como um pressuposto da culpabilidade). Consequencia: você Grabiela está dirigindo seu veículo seguindo todas as normas de trânsito, quando inadivertidamente a Prof Regina pula na frente do seu carro e você não tem tempo de frear seu veículo. De acordo com a teoria naturalista você cometeu um fato típico, antijurídico (um injusto penal), mas não culpável, pois lhe falta dolo/culpa (se preferer um injusto penal não culpável).

User badge image

Lyra

Há mais de um mês

Teoria da Ação segundo os Neokantianos -> Reinhard Frank, Mezger, Goldschimit e Freudenthal aprimoraram a teoria causalista, mas não romperam com ela. Eles defendiam que a ação é um comportamento humano voluntário causador de um resultado. Eles avançaram no conceito de conduta, na medida em que dispensaram a ocorrência de um resultado perceptível pelos sentidos, mas eles ainda entendiam que o dolo e a culpa não integravam a conduta, devendo ser analisada na culpabilidade. A diferença é que se associaram com a teoria psicologico normativa da culpabilidade, dizendo que a culpabilidade é o dolo/culpa a imputabilidade e inexigibilidade de conduta diversa.

User badge image

Lyra

Há mais de um mês

Para a TEoria da Ação do Finalismo de Hans Welzel - conduta é o comportamento humano voluntário psiquicamente dirigido a um fim (antes dizia-se fim ilícito, que posteriormente foi corrigido retirando-se essa necessidade). o finalismo entende que toda conduta humana é orientada por uma finalidade, se eu te enviar flores, eu o fiz com uma finalidade, concorda? Por isso Welzel trasporta da culpabilidade para a conduta a análise do dolo e da culpa, pois não é há como dissocia-los. O finalismo é associado a teoria normativa pura da culpabilidade, que agora só é composta de imputabilidade, exigibilidade de conduta diversa e potencial consicência da ilicitude. O dolo e a culpa são verificadas por ocasião da conduta, que itegr ao substrato fato típico. Se na mesma situação você conduzir seu veículo e atingir prof Regina, não há crime pois inexiste fato típico, não há conduta penalmente relevante

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes