A maior rede de estudos do Brasil

Relaxamento da prisão Xliberdade provisória

Gente, eu gostaria de saber a diferença entre o relaxamento da prisão e a liberdade provisória pois o caso concreto da semana 6 trata desses dois tipos de recursos para restabelecimento da liberdade.


4 resposta(s)

User badge image

JAQUELINE

Há mais de um mês

Basicamente:

Liberdade Provisória: *Incide nos casos de prisão em flagrante.* Essa Prisão é legal e *condiciona a liberdade de forma vinculada com o compromisso de comparecimento a todos os atos do procecesso.

Do outro lado o:

Relaxamento de Prisão: *Incide em qualquer prisão ilegal e não só na prisão em flagrante. *Somente em Prisão ilegal e *Restaura totalmente a liberdade do suposto infrator.

Basicamente:

Liberdade Provisória: *Incide nos casos de prisão em flagrante.* Essa Prisão é legal e *condiciona a liberdade de forma vinculada com o compromisso de comparecimento a todos os atos do procecesso.

Do outro lado o:

Relaxamento de Prisão: *Incide em qualquer prisão ilegal e não só na prisão em flagrante. *Somente em Prisão ilegal e *Restaura totalmente a liberdade do suposto infrator.

User badge image

Marcus Vinicius

Há mais de um mês

Eu tive muitas duvidas sobre o tema, hoje vejo de forma clara a diferença que explico abaixo:

- Se a prisão sofre qualquer mácula ou vicio de legalidade a peça a ser apresentada é o relaxamento (ex: após a prisão em flagrante o delegado deveria encaminhar o apf ao juiz dentro de 24 horas, o que não foi feito, logo, a prisão se tornou ilegal e deve ser relaxada)

- Já na liberdade provisória a prisão é legal e respeito a legislação que a regula, entretanto, a manutenção da prisão não é necessária, pois a soltura do acusado, não trará a instrução criminal, bem como a ordem publica qualquer dano (ex: Um sujeito é presa portando ilegalmente uma arma, só que, este e réu primário, tem residência fixa, trabalha, etc... logo mesmo o sujeito tendo de fato cometido o delito e sido preso em estado de flagrância, a manutenção da prisão é desnecessária, podendo o sujeito responder a todo o processo em liberadade até o momento da sentença condenatória, e se condenado, ai sim passe a cumprir a pena)

 

 

User badge image

Rodrigo

Há mais de um mês

Prezada Alessandra,

Pessoalmente eu acho esse tema encontra-se entre os mais interessantes de Processo e Prática Penal. Vamos ao tema:

A prisão em flagrante tem suas hipóteses previstas no artigo 302 do Código de Processo Penal. O instituto da prisão em flagrante ocorre em várias etapas, que se iniciam com a "apreensão" do indivíduo durante ou logo após a prática do crime, até a manutenção da restrição da liberdade, após feitas todas as formalidades da prisão em flagrante.

É sabido que a prisão só pode ocorrer em flagrante delito ou com mandado judicial.

Acontece que muitas vezes o indivíduo é pego pela Polícia, levado a delegacia e muitas vezes, formalmente, não há flagrante e nem mandado. O indivíduo acaba ficando preso por um suposto flagrante, no entanto, na analise do caso é latente que a situação não foi flagrante. Dessa forma, se houve ilegalidade no fagrante, o peça judicial cabível será a de relaxamento da prisão em flagrante, onde você apontará ao juiz os motivos que demonstram que não houve flagrante ou que o flagrante é ilegal. 

Em relação a Liberdade Provisória, não há dúvidas quanto a legalidade do flagrante. Nessa peça houve o flagrante, que está legalmente em dia (ou não, nesse caso pede-se o Relaxamento e subsidiariamente a LP), mas o indiciado não reúne as características que a lei impõe para a decretação da prisão preventiva (artigos 312 e ss). 

Logo, ambos os institutos são completamente diferentes. Você analisará: se houver ilegalidade na prisão em flagrante, utilize o relaxamento. Para a LP você verificará a real necessidade da decretação da preventiva.

Espero ter ajudado!

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes