A maior rede de estudos do Brasil

Lei Complementar e Lei Ordinária.

Estou com dificuldades para interpretar Lei Complementar e Lei Ordinária. Alguém se habilita a dar um conceito?


6 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

DLRV Advogados Verified user icon

Há mais de um mês

A Lei Complementar, como o próprio nome diz, tem o propósito de complementar, explicar ou adicionar algo à constituição, tendo seu âmbito material predeterminado pelo constituinte. Quanto ao quórum para aprovação, a lei complementar exige maioria absoluta.

Exemplos de Lei Complementar:

  • LC nº 7 - Institui o Programa de Integração Social;
  • LC nº 162 - Institui o Programa Especial de Regularização Tributária das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte optantes pelo Simples Nacional;
  • Entre outros.

No que se refere a lei ordinária, o seu campo material é alcançado por exclusão. Se a constituição não exige a elaboração de lei complementar, a lei ordinária será a via adequada. A lei ordinária exige apenas maioria simples de votos para ser aceita.

Exemplos de Lei ordinária:

  • Lei nº 8.069/1990 - Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente;
  • Lei nº 13.105/2015 - Dispõe sobre o Código de Processo Civil;
  • Entre outros.

Importa ressaltar, no entanto, que a jurisprudência do STF determina que não há hierarquia entre lei ordinária e lei complementar. Elas apenas atuam em campos diversos.

A Lei Complementar, como o próprio nome diz, tem o propósito de complementar, explicar ou adicionar algo à constituição, tendo seu âmbito material predeterminado pelo constituinte. Quanto ao quórum para aprovação, a lei complementar exige maioria absoluta.

Exemplos de Lei Complementar:

  • LC nº 7 - Institui o Programa de Integração Social;
  • LC nº 162 - Institui o Programa Especial de Regularização Tributária das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte optantes pelo Simples Nacional;
  • Entre outros.

No que se refere a lei ordinária, o seu campo material é alcançado por exclusão. Se a constituição não exige a elaboração de lei complementar, a lei ordinária será a via adequada. A lei ordinária exige apenas maioria simples de votos para ser aceita.

Exemplos de Lei ordinária:

  • Lei nº 8.069/1990 - Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente;
  • Lei nº 13.105/2015 - Dispõe sobre o Código de Processo Civil;
  • Entre outros.

Importa ressaltar, no entanto, que a jurisprudência do STF determina que não há hierarquia entre lei ordinária e lei complementar. Elas apenas atuam em campos diversos.

User badge image

João Henrique Ribeiro Nunes

Há mais de um mês

As leis complementares são a resposta do legislador infraconstitucional ao chamamento proveniente do poder constituinte, originário ou reformador, na própria carta constitucional, para regulamentar determinada matéria. Dependem da prerrogativa material para serem produzidas. Já as leis ordinárias, de requisitos formais comuns, se destinam a regular todas as questões que não sejam de exclusividade de Lei Complementar.

Se gostou, não esqueça de indicar. Espero ter ajudado!

User badge image

Bruno Alecio

Há mais de um mês

Num entendimento mais simplificado, a Lei Complementar é determinada no teor da Constituição Federal para tratar de um tema em específico. Já a Lei Ordinária trata de temas recorrentes na própria sociedade que necessitam ser normatizados, desde que não estejam mencionados na própria Constituição como assunto para Lei Complementar.
Ambas necessitam passar pelo processo legislativo e tem critérios diferenciados para a aprovação, conforme já foi explicado.

User badge image

Alexce Chaves da silva

Há mais de um mês

lei ordinária é considerado uma lei comum aprovada co maioria simples dos deputados presentes ja a lei complementar é destinada a regulamentar dispositivo constante na constituição e necessita de aprovação absoluta.

espero ter ajudado e bons estudos.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas