A maior rede de estudos do Brasil

Qual a diferença entre Direito 'erga omnes' e Dever Geral de Abstenção?

Gostaria de saber se um conceito engloba o outro, se um possui significado mais abrangente e o outro é mais específico.

Não entendi muito bem essa difereça. Obrigada.


3 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

DLRV Advogados Verified user icon

Há mais de um mês

Um direito erga omnes é aquele direito que pode ser exercido contra todos (papel positivo).

Já o dever geral de abstenção é um dever genérico, que abrange todos os não titulares de um direito, que devem se abster (papel negativo).

Um direito erga omnes é aquele direito que pode ser exercido contra todos (papel positivo).

Já o dever geral de abstenção é um dever genérico, que abrange todos os não titulares de um direito, que devem se abster (papel negativo).

User badge image

Estudante

Há mais de um mês

Um direito é considerado "erga omnes" quando é oponível a terceiros, que devem respeitar o titular desse direito. Ex: direito de propriedade.

O dever geral de abstenção no contexto da ciência jurídica é um dever geral de conduta que se impõe a todos os sujeitos, independente de ser titular de um direito ou não. É mais amplo que a oponiblidade "erga omnes", mas a contém. É um princípio geral do direito e provém da máxima "neminem laedere" ou seja não lesar a ninguém. Expressa-se muitas vezes na frase "o meu direito vai até onde o seu começa..."

Espero ter ajudado!

Abraços.

User badge image

Igor

Há mais de um mês

   Boa noite Juliana Pereira,

   

   Isso foi o que consegui entender e encontrar sobre a pergunta.

   

   O Direito Erga omnes é aquele que , seguindo o direito Constitucional da Igualdade encontrado no caput do artigo 5º da CR/88 (Constituição Federal de 1988), equivale a todos de mesma forma, em igual preço ou proporção.

 

Ex.: Todos são iguais perante a lei, sendo que o direito de votar em um representante de João é igual ao de Davie ou Lucrécia.

 

   Já o Dever Geral de Abstenção é quando uma das partes tem como dever, por conta do Direito do outro de adquirir tal bem, sedê-lo ao segundo. 

 

Ex.: Quando um fazendeiro se apropria de forma indevida das terras de um agricultor que faz uso da terra para seu próprio sustento, o primeiro logo tem o dever de ceder o território ocupado de forma ilegal para o segundo pelo direito que este tem sobre o bem.

   

   No mais, espero ter conseguido ajudar. Foi o que consegui pesquisar. Se houver algum equívoco, gostaria que alguém também postasse o que achou, complementando e também corrigindo minha resposta.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas