A maior rede de estudos do Brasil

Leis infra-constitucinais

Prezados, 

 

Quando uma determinada lei de um estado vai de encontro a CF, como se dá a alteração dessa mesma? Quem é que determina (qual dos 3 poderes)?

Conhecem algum exemplo real?

 

Obrigado! :)

Direito Constitucional IPIO XII - DIR

6 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

Júnior Oliveira Verified user icon

Há mais de um mês

Quando uma lei estadual contraria dispositivo da Constituição Federal, estamos diante de uma lei inconstitucional, que deve ser declarada nula de pleno direito pelo Poder Judiciário. Nesse caso, não cabe "alteração" da lei, a menos que uma nova lei seja aprovada alterando a lei anterior.

A iniciativa para essa nova lei pode ser de qualquer dos Poderes, levando-se em conta qual agente tem competência para essa iniciativa.

 

Quando uma lei estadual contraria dispositivo da Constituição Federal, estamos diante de uma lei inconstitucional, que deve ser declarada nula de pleno direito pelo Poder Judiciário. Nesse caso, não cabe "alteração" da lei, a menos que uma nova lei seja aprovada alterando a lei anterior.

A iniciativa para essa nova lei pode ser de qualquer dos Poderes, levando-se em conta qual agente tem competência para essa iniciativa.

 

User badge image

irina

Há mais de um mês

De acordo com a corrente majoritária, a lei infraconstitucional (hierarquicamente inferior à constitucional) que for de encontro com a lei constitucional pode ser suspensa por qualquer um dos três poderes, que têm competência para propor a ADIN(Ação Direta de Inconstitucionalidade) que , porém, só pode ser aplicada pelo poder judiciário. A aplicação da ADIN pode se dar pelo método concentrado (pelo STF) ou pelo método difuso (por qualquer juiz ou qualquer tribunal judiciário).

User badge image

Lyra

Há mais de um mês

BOa tarde prezada colega, primeiramente um toque falar lei-infraconstitucional é um pleonasmo, é certo que alguns até chamam a CF de Lei Maior ou Lex Matter, contudo não é técnicamente adequado. A Constituição não é lei. Por isso, quando você se referir a lei, obrigatoriamente você se refere a uma norma infraconstitucional, portanto basta falar LEI. A Constituição é o fundamento de validade de todas as normas do ordenamento jurídico, nenhuma lei, decreto, resolução, ato administrativo pode violar uma norma constitucional. Para garantir que as normas contrárias à CF não produzam efeitos, evidenciando o pórtico da supremacia da constituição, existem alguns mecanismos de controle. Os 3 poderes podem realizar o controle de constitucionalidade. Vejamos:

Legislativo - o poder legislativo realiza, em regra, um controle prévio à vigência da lei. Os próprios parlamentares e a Comissão de Constituição e JUstiça fazem um primeiro controle de constitucionalidade. Há doutrina que fala que o legislativo também exerce controle posterior quando suspende ato normativo do executivo que exorbita os limites da delegação legislativa.

Executivo - o chefe do executivo também realiza um controle prévio. O Chefe do executivo pode vetar uma lei por motivo político ou jurídico. Apenas o veto jurídico é uma hipótese de controle. No veto juríico o presidente fala que a lei ou parte dela é inconstitucional. Sobre o controle posterior de constitucionalidade existe 3 correntes:

==> o presidente pode deixar de aplicar uma lei que entnede inconstitucional

==> o presidente não pode deixar de aplicar, devendo propor Açao direta de inconstitucional

==> o presidente pode deixar de aplicar desde que promova, simultaneamente, a ADI

por fim, o judiciáiro também exercer controle de constitucionalidade. A regra é a atuação posterior, ou seja, retirando do ordenamento a lei inconstitucional. Exceção: mandado de segurança proposto pelo parlamentar, com fundamento no direito a higidez do processo legislativo, para trancar as deliberações sobre emenda constitucional tendente a abolir clausula petrea. O cotnrole posterior do judiciáiro pode ser feito pela via de ação ou incidental. O controle pela via de ação é aquela relizada apenas do STF e pelos TJ para retirar do ordenamento uma norma, é um controle objetivo, não se tutela diireitos subjetivos, aqui se tutela o ordneamento jurídico. Na via incidental qualquer órgão do juciiáiro pode declarar inconstitucionalidade.. você entra com uma ação e usa como um dos argumentos a inconstitucionalidade...aqui a inconstitucionalidade é uma questão de tutela de direito subjetivo.

 

User badge image

erlaine

Há mais de um mês

Ei Lyra, boa noite!

 

Minha professora fala desse modo: "Lei infraconstitucional", muito obrigado pelo toque. 
Sua resposta me ajudou muito! Obrigada!

#Umdiaeuchegolá! rs...

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas