A maior rede de estudos do Brasil

POLÊMICA - Será que existe imparcialidade dos juízes?

GARANTIA DA IMPARCIALIDADE


14 resposta(s)

User badge image

Maykon

Há mais de um mês

Lyra, pefeito! Mas essa polêmica existe até hoje porque o código processual penal é de 1941, ao passo que a constituição é de 1988.  Não gosto do princípio do "porque sim" (aquele que as pessoas quando respondem algo, fundamenta no porque sim - há é isso é aquilo, por que? porque sim) ao contrário de você. A expressão "polêmica" não foi por acaso, muitos doutrinadores entende que não há a onfesa ao princípio acusatório, outros sim. AGRADESSO GRANDIOSAMENTE POR SUA OPINIÃO. Meu intuíto foi justamente este, disperta opiniões. 

Lyra, pefeito! Mas essa polêmica existe até hoje porque o código processual penal é de 1941, ao passo que a constituição é de 1988.  Não gosto do princípio do "porque sim" (aquele que as pessoas quando respondem algo, fundamenta no porque sim - há é isso é aquilo, por que? porque sim) ao contrário de você. A expressão "polêmica" não foi por acaso, muitos doutrinadores entende que não há a onfesa ao princípio acusatório, outros sim. AGRADESSO GRANDIOSAMENTE POR SUA OPINIÃO. Meu intuíto foi justamente este, disperta opiniões. 

User badge image

Flavio

Há mais de um mês

O ser humano é repleto de sentimentos e emoções, por isso não consegue ser imparcial. #MinhaHumildeOpinião  

User badge image

Lyra

Há mais de um mês

Maykon... qualquer iniciativa do juiz antes da propositura da ação penal exige atenção. Grande parte da doutrina entende que o juiz não deve ter iniciativa probatória nenhuma antes do oferecimento da denúncia. Contudo, outra parte entede que seria possível excepcionalmente essa produção probatória em homeangem a proteção da prova. Em relação a possibilidade de atuação residual do juiz na produção probatória no curso da ação penal há vários entendimentos. Eu, que tenho um olhar mais pro societate, entendo que não há ofensa ao princípio acusatório (imparciliadade), pois quando um juiz mandar produzir uma prova ele não sabe qual será o resultado, entendo que isso não contamina sua decisão...quando se produz uma prova, ela poderá ser favoral ou contra o réu. Há doutrina capitaneada por adovgados e defensores publicos que defende que o juiz não deveria ter essa iniciatvia, pois se ele tem dúvida sobre a acusação deveria, então, absolver o reu (in dubio pro reu)

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes