A maior rede de estudos do Brasil

É possível a cessação da incapacidade do enfermo?


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

Carlos Eduardo Ferreira de Souza Verified user icon

Há mais de um mês

Devemos lembrar que a Lei 13.146/15 (Estatuto da Pessoa com Deficiência) modificou o art. 3º, do Código Civil, deixando de ser absolutamente incapaz o enfermo que não possui necessário discernimento de prática de ato, passando a ser relativamente incapaz, mas desde que, por causa transitória ou permanente, não puder exprimir sua contade (art. 4º, III, do CC):

"Art. 4o  São incapazes, relativamente a certos atos ou à maneira de os exercer:     

[...]

III - aqueles que, por causa transitória ou permanente, não puderem exprimir sua vontade;"

Feita a introdução, é possível responder que o enfermo pode se tornar absolutamente incapaz, desde que cesse a causa que o impedia de exprimir sua vontade. Exemplo clássico é daquele que se encontrava em coma, mas que cessado esse estado, volta a ter lucidez e a ser capaz de exprimir sua vontade.

Devemos lembrar que a Lei 13.146/15 (Estatuto da Pessoa com Deficiência) modificou o art. 3º, do Código Civil, deixando de ser absolutamente incapaz o enfermo que não possui necessário discernimento de prática de ato, passando a ser relativamente incapaz, mas desde que, por causa transitória ou permanente, não puder exprimir sua contade (art. 4º, III, do CC):

"Art. 4o  São incapazes, relativamente a certos atos ou à maneira de os exercer:     

[...]

III - aqueles que, por causa transitória ou permanente, não puderem exprimir sua vontade;"

Feita a introdução, é possível responder que o enfermo pode se tornar absolutamente incapaz, desde que cesse a causa que o impedia de exprimir sua vontade. Exemplo clássico é daquele que se encontrava em coma, mas que cessado esse estado, volta a ter lucidez e a ser capaz de exprimir sua vontade.

User badge image

Estudante PD

Há mais de um mês

Sim, visto que ele pode passar de relativamente incapaz para capaz segundo o artigo 4° CC.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas