A maior rede de estudos do Brasil

Sobre homicídio

  1Caim,com dezessete (17) anos ,sabendo que é inimputável,planeja a  morte de sue desafeto Judas (24) anos de idade.O menor obtém uma arma de fogo,esconde-se em um terreno baldio e, no momento em que Judas atravessa a rua que dá acesso á sua casa,efetua três disparos . A vitima não  neste morre no momento,uma vez que é socorrida e levada ao hospital.Com a intervenção cirúrgica,Judas sobrevive por um breve tempo e vem a morre dois meses depois do comportamento de Caim,em razão dos ferimentos ocasionados pelos disparos . No momento da morte (resultado),Caim já tinha dezoito anos. Pergunta-se : O autor desse fato responderá  por homicídio(crime)? Fundamente  sua resposta:

 

 

2.O principio na intervenção mínima é de suma importância para a proteção do cidadão contra o arbítrio estatal. Ele possui duas consequências garantidoras para o indivíduo. Conceitue,aponte os seus aspectos , de exemplos e por fim ,demonstre em qual consectário reside o princípio da insignificância


2 resposta(s)

User badge image

Lyra

Há mais de um mês

comete ato infracional - voce deve verficiar o momento da conduta, nao o momento do resultado - literalidade do art 4 do CP

o principio da itnervenção mínima é um mecanismos de interpretação restritiva do tipo penal. O princípio da intervenção mínima é um consecatório do principio da intervenção mínima, mais especificamente sua face da fragmentariedade. Sua consequencia é a exclusão da tipicidade, ou melhor, da tipicidade material. entende-se que não há interesse na repressão penal quando a conduta não viola efetivamente o direito tutelado pela lei penal 

comete ato infracional - voce deve verficiar o momento da conduta, nao o momento do resultado - literalidade do art 4 do CP

o principio da itnervenção mínima é um mecanismos de interpretação restritiva do tipo penal. O princípio da intervenção mínima é um consecatório do principio da intervenção mínima, mais especificamente sua face da fragmentariedade. Sua consequencia é a exclusão da tipicidade, ou melhor, da tipicidade material. entende-se que não há interesse na repressão penal quando a conduta não viola efetivamente o direito tutelado pela lei penal 

User badge image

Erica

Há mais de um mês

Muito obrigada  suas resposta me ajudaram bastante

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes