A maior rede de estudos do Brasil

Legitimidade do Governador de Estado para ADC

Alguém sabe se Governador de Estado é legitimado ativo para propor ADC? É que apesar da descrição do Artigo 103 da CF, meu professor disse que não é, mas só encontro material dizendo que o Governador é sim legitimado.Alguém pode me ajudar?


2 resposta(s)

User badge image

João Henrique

Há mais de um mês

A polêmica levantada pelo vosso mestre me parece inédita, pois além de firgurar diretamente na Carta Constitucional, na Lei 9868/99 observamos:

Art. 2º Podem propor a ação direta de inconstitucionalidade: I - o Presidente da República; II - a Mesa do Senado Federal; III - a Mesa da Câmara dos Deputados; IV - a Mesa de Assembléia Legislativa ou a Mesa da Câmara Legislativa do Distrito Federal; V - o Governador de Estado ou o Governador do Distrito Federal; VI - o Procurador-Geral da República; VII - o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil; VIII - partido político com representação no Congresso Nacional; IX - confederação sindical ou entidade de classe de âmbito nacional. Parágrafo único. (VETADO)

William Douglas e Sylvio Motta comentam: Inicialmente percebe-se a inclusão de legitimados ativos especiais que, originariamente, não constam expressamente do artigo 103, caput da Constituição. O Governador do Distrito Federal e a Mesa da Câmara Legislativa do Distrito Federal foram incluídos em virtude de precedentes jurisprudenciais do Supremo Tribunal Federal autorizarem a dilatação desse rol de legitimados ativos para propositura de ação direta de inconstitucionalidade e de ação de inconstitucionalidade por omissão. O parágrafo único vetado afirma que "As entidades referidas no inciso IX, inclusive as federações sindicais de âmbito nacional, deverão demonstrar que a pretensão por elas deduzida tem pertinência direta como os seus objetivos institucionais." Na verdade o Presidente da República pretendia vetar apenas a expressão "federações sindicais", mas como não é admissível o veto a palavra isolada se viu obrigado a vetar todo o dispositivo. Reconhecendo inclusive que,
com isso, contraria a jurisprudência, já consagrada, do Supremo Tribunal Federal, que exige dos legitimados ativos especiais a demonstração da pertinência temática como pressuposto de admissibilidade da ação direta de inconstitucionalidade.

Nada há contra a legitimação dos Governadores de Estado e Distrital, nem doutrinária, nem jurisprudencialmente analisando. "A quem alega, recai o ônus da prova".

Espero ter ajudado. Não esqueçam de indicar Δ.

A polêmica levantada pelo vosso mestre me parece inédita, pois além de firgurar diretamente na Carta Constitucional, na Lei 9868/99 observamos:

Art. 2º Podem propor a ação direta de inconstitucionalidade: I - o Presidente da República; II - a Mesa do Senado Federal; III - a Mesa da Câmara dos Deputados; IV - a Mesa de Assembléia Legislativa ou a Mesa da Câmara Legislativa do Distrito Federal; V - o Governador de Estado ou o Governador do Distrito Federal; VI - o Procurador-Geral da República; VII - o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil; VIII - partido político com representação no Congresso Nacional; IX - confederação sindical ou entidade de classe de âmbito nacional. Parágrafo único. (VETADO)

William Douglas e Sylvio Motta comentam: Inicialmente percebe-se a inclusão de legitimados ativos especiais que, originariamente, não constam expressamente do artigo 103, caput da Constituição. O Governador do Distrito Federal e a Mesa da Câmara Legislativa do Distrito Federal foram incluídos em virtude de precedentes jurisprudenciais do Supremo Tribunal Federal autorizarem a dilatação desse rol de legitimados ativos para propositura de ação direta de inconstitucionalidade e de ação de inconstitucionalidade por omissão. O parágrafo único vetado afirma que "As entidades referidas no inciso IX, inclusive as federações sindicais de âmbito nacional, deverão demonstrar que a pretensão por elas deduzida tem pertinência direta como os seus objetivos institucionais." Na verdade o Presidente da República pretendia vetar apenas a expressão "federações sindicais", mas como não é admissível o veto a palavra isolada se viu obrigado a vetar todo o dispositivo. Reconhecendo inclusive que,
com isso, contraria a jurisprudência, já consagrada, do Supremo Tribunal Federal, que exige dos legitimados ativos especiais a demonstração da pertinência temática como pressuposto de admissibilidade da ação direta de inconstitucionalidade.

Nada há contra a legitimação dos Governadores de Estado e Distrital, nem doutrinária, nem jurisprudencialmente analisando. "A quem alega, recai o ônus da prova".

Espero ter ajudado. Não esqueçam de indicar Δ.

User badge image

Helena

Há mais de um mês

Acredito que sim, o governador de Estado é legitimado especial e por essa razão deve comprovar pertinência temática para propor ADC.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes