A maior rede de estudos do Brasil

De acordo com a Carta de 1824, como se apresentava o Poder Moderador na estrutura política do Império? Quem era seu titular? Quais eram suas atribuiçõ

De acordo com a Carta de 1824, como se apresentava o Poder Moderador na estrutura política do Império? Quem era seu titular? Quais eram suas atribuições?


2 resposta(s)

User badge image

Tânia

Há mais de um mês

O Poder Moderador era exercido pelo imperador, cuja vontade expressa tinha preponderância sobre os outros três poderes estabelecidos, quais sejam, o legislativo, o executivo e o judiciário. Segundo seu idealizador, a função natural do poder real em uma monarquia constitucional seria a de um mediador neutro, capaz de resolver os conflitos entre os três poderes instituídos e também entre as facções políticas. Na prática, a teoria de Benjamin Constant provou ser uma  anomalia: o monarca via em seu mecanismo um meio de intervir pessoalmente nas decisões dos três poderes básicos definidos desde a época de Montesquieu e sua Teoria da separação de poderes, de 1748. Dessa forma, a monarquia era apenas "aparentemente NÃO-ABSOLUTISTA".  

O Poder Moderador era exercido pelo imperador, cuja vontade expressa tinha preponderância sobre os outros três poderes estabelecidos, quais sejam, o legislativo, o executivo e o judiciário. Segundo seu idealizador, a função natural do poder real em uma monarquia constitucional seria a de um mediador neutro, capaz de resolver os conflitos entre os três poderes instituídos e também entre as facções políticas. Na prática, a teoria de Benjamin Constant provou ser uma  anomalia: o monarca via em seu mecanismo um meio de intervir pessoalmente nas decisões dos três poderes básicos definidos desde a época de Montesquieu e sua Teoria da separação de poderes, de 1748. Dessa forma, a monarquia era apenas "aparentemente NÃO-ABSOLUTISTA".  

User badge image

Sabrina

Há mais de um mês

Benjamin Constant defendia a separação entre Poder Executivo - cujas atribuições deveriam estar a cargo dos ministros do Rei - e o poder do Imperador, que deveria ser neutro ou moderador. Tal poder dava ao Monarca a possibilidade de moderar as disputas mais serias e gerais, interpretando a "vontade e o interesse nacional", não intervindo na administração do dia-a-dia. MAS tal separação de poderes não existia na prática, porque a figura de D. Pedro I era sagrada, inviolavel e não estava sujeito a responsabilidade alguma. O Imperador poderia dissolver as Camaras e convocar novas quando quisesse, poderia nomear senadores, tinha direito de sancionar as leis, etc. O Poder Judicial era completamente dependente das vontades de D. Pedro I, embora na Constituição fosse considerado independente. Agia sempre em favor do Imperador. 

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes