A maior rede de estudos do Brasil

Pais Surdos, filhos ouvintes, eu como professora posso agir para me comunicar com os pais do meu aluno e assim aproxima-los mais ao ambiente escolar ?

Estudo de Caso: Com relação aos alunos que são ouvintes e falantes filhos de pais surdos, ao não ter clareza sobre como agir, os profissionais da Educação acabam estabelecendo um abismo que os separa dos pais. Nesse ambiente os pais se tornam seres estranhos, e isso acaba trazendo sérios prejuízos à medida que a instituição não consegue atribuir a esses pais a condição de responsáveis, mas, sim, de surdos, cabendo à criança a responsabilidade dos pais, porque ela ouve. Você enquanto profissional da Educação de Henrique, garoto ouvinte de 9 anos cujos pais são surdos, de que forma agirá possibilitando a participação e acompanhamento da vida escolar do garoto? Como deverá ser a relação com os pais de Henrique? Comente entre 10 e 15 linhas.

Libras

FAEL


2 resposta(s)

User badge image

Altieres Silva

Há mais de um mês

O primeiro passo e o mais importante de todos é que o(a) professor(a) saiba se comunicar através da libras, fluentemente se possível, caso não tenha conhecimento em libras, terá de buscar algum intérprete/tradutor em libras para fazer esta ponte na comunicação. O fato de um profissional da educação saber se comunicar através da lingua de sinais, já despertará o interesse dos pais surdos, pois mostra que o mesmo tem apreço pela causa da educação e da inclusão. Dado este primeiro passo, para aproximar mais ainda os pais do ambiente escolar, aconselha-se mostrar à eles o que a escola tem feito e quais os planos para o trabalho de inclusão e acessibilidade, mostrar que a socialização entre ouvintes e não ouvintes ocorre (se não existe isso no ambiente escolar, faça o possível e o impossível pra que a interação ocorra). Saber qual a diferença entre exclusão, segregação, integração e inclusão, e mostre aos pais que a meta e objetivo de trabalho é a inclusão, diferentemente de integração, onde há a presença do considerado "diferente" no mesmo espaço de um grupo com outras características, porém sem inclusão, como cada um fica na sua "panelinha" sem se envolver com os demais. Quando houverem reuniões de pais, deixar no comunicado para os pais surdos, o aviso de que haverá intérprete/tradutor em libras, caso não seja possível conseguir um (devido a possibilidade de ser um serviço de custo $), importante que o(a) professor(a) saiba se comunicar em libras, de preferência também traduzir e interpretar tudo o que os demais pais disserem na reunião, pois as dúvidas e sugestões dos outros responsáveis podem ser as mesmas dos pais surdos. O fato é: precisa haver alguém que tenha fluência em libras, pelo menos se comunicar o necessário pra passar todas as informações escolares e entender o que os pais disserem pois, se não há comunicação, dificilmente os pais surdos vão se comprometer a ir num lugar onde não há acessibilidade e inclusão (que não é só parar alunos mas para pais também).

O primeiro passo e o mais importante de todos é que o(a) professor(a) saiba se comunicar através da libras, fluentemente se possível, caso não tenha conhecimento em libras, terá de buscar algum intérprete/tradutor em libras para fazer esta ponte na comunicação. O fato de um profissional da educação saber se comunicar através da lingua de sinais, já despertará o interesse dos pais surdos, pois mostra que o mesmo tem apreço pela causa da educação e da inclusão. Dado este primeiro passo, para aproximar mais ainda os pais do ambiente escolar, aconselha-se mostrar à eles o que a escola tem feito e quais os planos para o trabalho de inclusão e acessibilidade, mostrar que a socialização entre ouvintes e não ouvintes ocorre (se não existe isso no ambiente escolar, faça o possível e o impossível pra que a interação ocorra). Saber qual a diferença entre exclusão, segregação, integração e inclusão, e mostre aos pais que a meta e objetivo de trabalho é a inclusão, diferentemente de integração, onde há a presença do considerado "diferente" no mesmo espaço de um grupo com outras características, porém sem inclusão, como cada um fica na sua "panelinha" sem se envolver com os demais. Quando houverem reuniões de pais, deixar no comunicado para os pais surdos, o aviso de que haverá intérprete/tradutor em libras, caso não seja possível conseguir um (devido a possibilidade de ser um serviço de custo $), importante que o(a) professor(a) saiba se comunicar em libras, de preferência também traduzir e interpretar tudo o que os demais pais disserem na reunião, pois as dúvidas e sugestões dos outros responsáveis podem ser as mesmas dos pais surdos. O fato é: precisa haver alguém que tenha fluência em libras, pelo menos se comunicar o necessário pra passar todas as informações escolares e entender o que os pais disserem pois, se não há comunicação, dificilmente os pais surdos vão se comprometer a ir num lugar onde não há acessibilidade e inclusão (que não é só parar alunos mas para pais também).

User badge image

Rosinete Silva

Há mais de um mês

obrigado pelo texto, ajudou a abrir mais as idéias!!! bjs

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes