A maior rede de estudos do Brasil

diferença de homicídio privilegiado, qualificado e hediondo

Direito Penal IVUNIMONTES

2 resposta(s)

User badge image

Suellen Lorrany

Há mais de um mês

Homicídio doloso privilegiado – caso de diminuição de pena – favorável ao réu (1/6 a 1/3) – 3ª fase.

Art. 121, § 1º - Se o agente comete o crime impelido por motivo de relevante valor social ou moral, ou sob o domínio de violenta emoção, logo em seguida a injusta provocação da vítima, o juiz pode reduzir a pena de 6 a 20 anos de 1/6 a 1/3.

A lei prevê 3 causas:

1. Motivo de relevante valor social: Fundado no interesse coletivo. Ex: “traidor da pátria”; matar uma pessoa que praticou diversos crimes em um município; matar um político que desviou milhões de verba pública.

2. Motivo de relevante valor moral: é motivo de enobrecedor, de interesse individual.

Ex: Pai que mata estuprador da filha.

Homicídio qualificado - Artigo 121 - parágrafo segundo – É a conduta típica do homicídio onde se aumenta a pena pela prática do crime, pela sua ocorrência nas seguintes condições:

  • mediante paga ou promessa de recompensa,
  • ou por outro motivo torpe;
  • por motivo fútil;
  • com emprego de veneno, fogo, explosivo, asfixia, tortura ou outro meio insidioso ou cruel, ou do qual possa resultar perigo comum;  
  • por traição, emboscada, ou mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa do ofendido;
  • e para assegurar a execução, a ocultação, a impunidade ou a vantagem de outro crime.

A Lei 8.072/90 dos crimes Hediondos  diz que o homicídio qualificado enquadra-se como crime hediondo. O homicídio simples não se enquadra, salvo se não tiver grupo de extermínio, como também não é crime hediondo o homicídio privilegiado.

O homicídio privilegiado e qualificado ao mesmo tempo é hediondo? Visto que o homicídio privilegiado é? Não enquadra-se como crime hediondo, seja por que a lei só determinou o qualificado, e não falou homicídio privilegiado-qualificado (homicídio hibrido). O privilégio retira a hediondez. A pena nesse tipo penal será de 12 a 30 anos (pena de homicídio qualificado), com redução de 1/6 a 1/3 (privilégio do homicídio privilegiado).

Além das qualificadoras citadas acima a respeito do homicídio, são considerados também crime hediondo o Feminicídio (crime de ódio baseado no gênero, homicídio em razão da condição mulher), genocídio e homicídio praticado contra autoridade ou agente descrito no artigo 142 e 144 da CF, integrantes do sistema prisional e da Força Nacional de Segurança Pública, no exercício de função ou de decorrência dela, ou contra seu cônjuge, companheiro ou parente consanguíneo até terceiro grau, em razão dessa condição.

Os crimes hediondos são Insuscetíveis de: graça, anistia e indulto*

  • Graça (indulto individual)- é a clemência destinada a uma pessoa determinada, não dizendo respeito a fatos criminosos. Extingue a pena e não o crime
  • Indulto coletivo – é a clemência destinada a um grupo de sentenciados tendo em vista a duração das penas aplicadas, podendo exigir requisitos subjetivos e objetivos. Concedido pelo Presidente da República por meio de Decreto.
  • Anistia – é a declaração pelo Poder Público de que determinados fatos se tornem impuníveis por motivo de utilidade social. Dá clemência a determinado FATO

*De acordo com a doutrina embora não haja expressa previsão na Constituição Federal o indulto também é incabível. O termo “graça” foi usado em sentido amplo.

Insuscetíveis de fiança. – Cabe liberdade provisória sem fiança concedida pelo juiz.

 

Homicídio doloso privilegiado – caso de diminuição de pena – favorável ao réu (1/6 a 1/3) – 3ª fase.

Art. 121, § 1º - Se o agente comete o crime impelido por motivo de relevante valor social ou moral, ou sob o domínio de violenta emoção, logo em seguida a injusta provocação da vítima, o juiz pode reduzir a pena de 6 a 20 anos de 1/6 a 1/3.

A lei prevê 3 causas:

1. Motivo de relevante valor social: Fundado no interesse coletivo. Ex: “traidor da pátria”; matar uma pessoa que praticou diversos crimes em um município; matar um político que desviou milhões de verba pública.

2. Motivo de relevante valor moral: é motivo de enobrecedor, de interesse individual.

Ex: Pai que mata estuprador da filha.

Homicídio qualificado - Artigo 121 - parágrafo segundo – É a conduta típica do homicídio onde se aumenta a pena pela prática do crime, pela sua ocorrência nas seguintes condições:

  • mediante paga ou promessa de recompensa,
  • ou por outro motivo torpe;
  • por motivo fútil;
  • com emprego de veneno, fogo, explosivo, asfixia, tortura ou outro meio insidioso ou cruel, ou do qual possa resultar perigo comum;  
  • por traição, emboscada, ou mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa do ofendido;
  • e para assegurar a execução, a ocultação, a impunidade ou a vantagem de outro crime.

A Lei 8.072/90 dos crimes Hediondos  diz que o homicídio qualificado enquadra-se como crime hediondo. O homicídio simples não se enquadra, salvo se não tiver grupo de extermínio, como também não é crime hediondo o homicídio privilegiado.

O homicídio privilegiado e qualificado ao mesmo tempo é hediondo? Visto que o homicídio privilegiado é? Não enquadra-se como crime hediondo, seja por que a lei só determinou o qualificado, e não falou homicídio privilegiado-qualificado (homicídio hibrido). O privilégio retira a hediondez. A pena nesse tipo penal será de 12 a 30 anos (pena de homicídio qualificado), com redução de 1/6 a 1/3 (privilégio do homicídio privilegiado).

Além das qualificadoras citadas acima a respeito do homicídio, são considerados também crime hediondo o Feminicídio (crime de ódio baseado no gênero, homicídio em razão da condição mulher), genocídio e homicídio praticado contra autoridade ou agente descrito no artigo 142 e 144 da CF, integrantes do sistema prisional e da Força Nacional de Segurança Pública, no exercício de função ou de decorrência dela, ou contra seu cônjuge, companheiro ou parente consanguíneo até terceiro grau, em razão dessa condição.

Os crimes hediondos são Insuscetíveis de: graça, anistia e indulto*

  • Graça (indulto individual)- é a clemência destinada a uma pessoa determinada, não dizendo respeito a fatos criminosos. Extingue a pena e não o crime
  • Indulto coletivo – é a clemência destinada a um grupo de sentenciados tendo em vista a duração das penas aplicadas, podendo exigir requisitos subjetivos e objetivos. Concedido pelo Presidente da República por meio de Decreto.
  • Anistia – é a declaração pelo Poder Público de que determinados fatos se tornem impuníveis por motivo de utilidade social. Dá clemência a determinado FATO

*De acordo com a doutrina embora não haja expressa previsão na Constituição Federal o indulto também é incabível. O termo “graça” foi usado em sentido amplo.

Insuscetíveis de fiança. – Cabe liberdade provisória sem fiança concedida pelo juiz.

 

User badge image

Estudante

Há mais de um mês

A diferença é que:

1 - No homicídio privilegiado a pena prevista é menor do que a prevista para o homicídio simples.

2 - No homicídio qualificado a pena prevista é maior do que a prevista para o homicídio simples.

3 - Homicídio classificado como hediondo é apenas aquele previsto na lei 8.072 de 1990.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes