A maior rede de estudos do Brasil

Bom dia gente. Alguém sabe me dizer qual o parasita que infecta o intestino depois vai para o pulmão e depois volta para o intestino?


2 resposta(s)

User badge image

Thiago Viana de Almeida

Há mais de um mês

O nome ténia inclui um grupo de parasitas intestinais do género Taenia, pertencentes ao grupo dos Platyhelminthes, os vermes de corpo achatado. Três espécies são capazes de infectar humanos na sua forma adulta: T. saginata, T. solium e T. asiatica, todas com morfologia semelhante e por isso mais facilmente diferenciadas com recurso a técnicas moleculares ou pela análise microscópica de características anatómicas.

A vida de uma ténia começa num ovo. O ovo é constituído pelo embrião (a oncosfera) e por uma camada protectora (a embriosfera), que permite que o embrião permaneça vivo no meio ambiente durante dois a três meses, depositado em vegetação, solo ou água contaminada por fezes humanas. Quando é ingerida pelo hospedeiro intermédio (geralmente um animal herbívoro como um porco ou uma vaca) e chega ao seu intestinto, a oncosfera liberta-se da sua protecção e penetra na parede do intestino, viajando depois pela corrente sanguínea até aos tecidos do herbívoro, geralmente o tecido muscular. Aqui altera-se numa forma larvar designada cisticerco, que forma um cisto dentro do tecido conjuntivo do músculo. O cisticerco (constituído por um único escólex) tem um diâmetro máximo de geralmente 1 cm (mas conhecem-se caso em que chegam a ter 10-15 cm), e permite à ténia ficar imune às defesas do hospedeiro num estado dormente, que pode durar até alguns anos em T. solium, até que o cisticerco seja ingerido pelo hospedeiro definitivo. Os humanos gostam muito de carne de porco e de vaca, por isso o hospedeiro definitivo podemos bem ser nós!

O nome ténia inclui um grupo de parasitas intestinais do género Taenia, pertencentes ao grupo dos Platyhelminthes, os vermes de corpo achatado. Três espécies são capazes de infectar humanos na sua forma adulta: T. saginata, T. solium e T. asiatica, todas com morfologia semelhante e por isso mais facilmente diferenciadas com recurso a técnicas moleculares ou pela análise microscópica de características anatómicas.

A vida de uma ténia começa num ovo. O ovo é constituído pelo embrião (a oncosfera) e por uma camada protectora (a embriosfera), que permite que o embrião permaneça vivo no meio ambiente durante dois a três meses, depositado em vegetação, solo ou água contaminada por fezes humanas. Quando é ingerida pelo hospedeiro intermédio (geralmente um animal herbívoro como um porco ou uma vaca) e chega ao seu intestinto, a oncosfera liberta-se da sua protecção e penetra na parede do intestino, viajando depois pela corrente sanguínea até aos tecidos do herbívoro, geralmente o tecido muscular. Aqui altera-se numa forma larvar designada cisticerco, que forma um cisto dentro do tecido conjuntivo do músculo. O cisticerco (constituído por um único escólex) tem um diâmetro máximo de geralmente 1 cm (mas conhecem-se caso em que chegam a ter 10-15 cm), e permite à ténia ficar imune às defesas do hospedeiro num estado dormente, que pode durar até alguns anos em T. solium, até que o cisticerco seja ingerido pelo hospedeiro definitivo. Os humanos gostam muito de carne de porco e de vaca, por isso o hospedeiro definitivo podemos bem ser nós!

User badge image

dilma larréa de alencar

Há mais de um mês

é o Strongilóde stercolaries, confere a ortografia

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes