A maior rede de estudos do Brasil

Quais as diferenças entre o relevo apalachiano e o relevo jurássico?


5 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Neste exercício, serão definidos os conceitos de relevo apalachiano e relevo jurássico com o objetivo de diferenciá-los.


O relevo apalachiano se caracteriza pelo paralelismo de cristais e vales, originados a partir de total aplainamento de estrutura dobrada.

Sua evolução ocorre da seguinte forma:

- Inicia em uma sequência de estratos de reologia heterogênea (mais ou menos competente), com a implantação de rede de drenagem devido a ascensão epirogenética há a possibilidade de ocorrer sinclinais suspensos ao lado de anticlinais arrasados.

- Após a pediplanação geral, a drenagem tende a entalhar o talvegue, cortando camadas de diferentes resistências ortogonalmente à direção dos eixos das dobras. Neste ínterim, desenvolvem-se os tributários paralelos aos eixos das dobras, formando um padrão de drenagem retangular.

- A continuidade da evolução do relevo mostra a existência de cristas e vales paralelos. Há a manutenção de cristas monoclinais, anticlinais e/ou sinclinais, mantidos por camadas resistentes, mas também vales sinclinais e anticlinais.


O relevo jurássico (nomenclatura proveniente do Jura, região dobrada da França) é caracterizado pela intercalação de camadas de diferentes resistências responde pela inversão do relevo. Ou seja, as anticlinais são arrasadas, por corresponderem a material friável, enquanto as sinclinais ficam alçadas, por serem individualizados por rochas duras.

Sua evolução, a partir de um clima seco, ocorre da seguinte forma:

- Recuo paralelo da saliência topográfica anticlinal, com pediplanação tendo como nível de base os vales sinclinais. O material resultante preenche (inuma) as calhas sinclinais. No clima úmido, há organização do sistema hidrográfico que ocupam geralmente eixos das dobras.

- Os talvegues vão se aprofundando de forma significativa até a alteração climática, quando as vertentes tornam a recuar por desagregação mecânica, com alargamento de vales.

- Em nova mudança climática, com retorno do clima úmido há a reorganização da drenagem com implantação de rios nos antigos vales e novas drenagens perpendiculares aos mesmos



Resumindo, enquanto o relevo apalachiano é originado do total aplainamento de estrutura dobrada, o relevo jurássico é originado de uma sucessão regular de dobras.

Neste exercício, serão definidos os conceitos de relevo apalachiano e relevo jurássico com o objetivo de diferenciá-los.


O relevo apalachiano se caracteriza pelo paralelismo de cristais e vales, originados a partir de total aplainamento de estrutura dobrada.

Sua evolução ocorre da seguinte forma:

- Inicia em uma sequência de estratos de reologia heterogênea (mais ou menos competente), com a implantação de rede de drenagem devido a ascensão epirogenética há a possibilidade de ocorrer sinclinais suspensos ao lado de anticlinais arrasados.

- Após a pediplanação geral, a drenagem tende a entalhar o talvegue, cortando camadas de diferentes resistências ortogonalmente à direção dos eixos das dobras. Neste ínterim, desenvolvem-se os tributários paralelos aos eixos das dobras, formando um padrão de drenagem retangular.

- A continuidade da evolução do relevo mostra a existência de cristas e vales paralelos. Há a manutenção de cristas monoclinais, anticlinais e/ou sinclinais, mantidos por camadas resistentes, mas também vales sinclinais e anticlinais.


O relevo jurássico (nomenclatura proveniente do Jura, região dobrada da França) é caracterizado pela intercalação de camadas de diferentes resistências responde pela inversão do relevo. Ou seja, as anticlinais são arrasadas, por corresponderem a material friável, enquanto as sinclinais ficam alçadas, por serem individualizados por rochas duras.

Sua evolução, a partir de um clima seco, ocorre da seguinte forma:

- Recuo paralelo da saliência topográfica anticlinal, com pediplanação tendo como nível de base os vales sinclinais. O material resultante preenche (inuma) as calhas sinclinais. No clima úmido, há organização do sistema hidrográfico que ocupam geralmente eixos das dobras.

- Os talvegues vão se aprofundando de forma significativa até a alteração climática, quando as vertentes tornam a recuar por desagregação mecânica, com alargamento de vales.

- Em nova mudança climática, com retorno do clima úmido há a reorganização da drenagem com implantação de rios nos antigos vales e novas drenagens perpendiculares aos mesmos



Resumindo, enquanto o relevo apalachiano é originado do total aplainamento de estrutura dobrada, o relevo jurássico é originado de uma sucessão regular de dobras.

User badge image

Andre Smaira

Há mais de um mês

Neste exercício, serão definidos os conceitos de relevo apalachiano e relevo jurássico com o objetivo de diferenciá-los.


O relevo apalachiano se caracteriza pelo paralelismo de cristais e vales, originados a partir de total aplainamento de estrutura dobrada.

Sua evolução ocorre da seguinte forma:

- Inicia em uma sequência de estratos de reologia heterogênea (mais ou menos competente), com a implantação de rede de drenagem devido a ascensão epirogenética há a possibilidade de ocorrer sinclinais suspensos ao lado de anticlinais arrasados.

- Após a pediplanação geral, a drenagem tende a entalhar o talvegue, cortando camadas de diferentes resistências ortogonalmente à direção dos eixos das dobras. Neste ínterim, desenvolvem-se os tributários paralelos aos eixos das dobras, formando um padrão de drenagem retangular.

- A continuidade da evolução do relevo mostra a existência de cristas e vales paralelos. Há a manutenção de cristas monoclinais, anticlinais e/ou sinclinais, mantidos por camadas resistentes, mas também vales sinclinais e anticlinais.


O relevo jurássico (nomenclatura proveniente do Jura, região dobrada da França) é caracterizado pela intercalação de camadas de diferentes resistências responde pela inversão do relevo. Ou seja, as anticlinais são arrasadas, por corresponderem a material friável, enquanto as sinclinais ficam alçadas, por serem individualizados por rochas duras.

Sua evolução, a partir de um clima seco, ocorre da seguinte forma:

- Recuo paralelo da saliência topográfica anticlinal, com pediplanação tendo como nível de base os vales sinclinais. O material resultante preenche (inuma) as calhas sinclinais. No clima úmido, há organização do sistema hidrográfico que ocupam geralmente eixos das dobras.

- Os talvegues vão se aprofundando de forma significativa até a alteração climática, quando as vertentes tornam a recuar por desagregação mecânica, com alargamento de vales.

- Em nova mudança climática, com retorno do clima úmido há a reorganização da drenagem com implantação de rios nos antigos vales e novas drenagens perpendiculares aos mesmos