A maior rede de estudos do Brasil

O QUE É CONFISSÃO QUALIFICADA?

Direito Processual Penal I

Humanas / Sociais


4 resposta(s)

User badge image

Ninna

Há mais de um mês

o réu reconhece os fatos alegados pelo autor, mas nega as conseqüências jurídicas. Essa, segundo a doutrina, é a CONFISSÃO QUALIFICADA

o réu reconhece os fatos alegados pelo autor, mas nega as conseqüências jurídicas. Essa, segundo a doutrina, é a CONFISSÃO QUALIFICADA

User badge image

Estudante

Há mais de um mês

A confissão qualificada é quando o indivíduo confessa a prática do crime, porém, menciona uma causa que exclua o crime ou isenta-o de pena. Por exemplo: A confessa que matou B, entretanto, ele diz que só fez isso porque B teria pegado uma arma para matá-lo. Nesse caso, verifica-se uma legítima defesa que poderia excluir a ilicitude da conduta de A. Sendo assim, essa confissão é qualificada. 

User badge image

Dri

Há mais de um mês

A famosa Confissão Qualificada pode ser entendida quando o réu admite a prática do delito, porém, alega como defesa motivos defensivos, descriminantes e/ou exculpantes, a doutrina afirma que há confissão qualificada quando o agente reconhecer espontaneamente (sem ser constrangido) a prática de um fato típico perante autoridade, porém, concomitantemente, alega motivo etiquetado como (i) excludente da ilicitude ou de (ii) culpabilidade em sua defesa.

Imagine-se, pois, uma situação em que Zeca reconhece que matou Antônio, mas assim atuou logo após ter sido ameaçado por Antônio, que mostrou uma arma municiada para ele. Percebe-se que, em nosso exemplo, Zeca confessou a autoria do delito, mas o fez acompanhado de arguição de excludente da ilicitude (legítima defesa), caracterizando-se a confissão qualificada.

O grande problema aqui é que, de acordo com a posição prevalente no Supremo Tribunal Federal, a confissão qualificada não pode ser compreendida como atenuante prevista no CPB, razão pela qual se o agente apresenta alguma excludente de culpabilidade ou de ilicitude acompanhando o reconhecimento espontâneo da autoria do fato típico, não faria jus à benesse legal.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes