A maior rede de estudos do Brasil

Por que a quantização do momento angular não foi observada na física clássica?

A pergunta refere-se a quantização do momento angular; esta faz-se de estudo na Mecânica Quântica de Schroedinger... 


4 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Para a resolução desta questão devemos utilizar conceitos relacionados à disciplina de “Física Moderna”, mais especificamente “Mecânica Quântica”.


Sob o ponto de vista da física clássica, fenômenos microscópicos não são percebidos. Grandezas ínfimas como o “quantum de luz” ou o “momento angular intrínseco” fazem parte do escopo da mecânica quântica, uma das áreas da física moderna que pretende analisar os fenômenos em micro, até mesmo nano escala.

Dentro de um átomo, um elétron possui um momento angular intrínseco, também chamado de “Spin” . A denominação “intrínseco” significa que o “Spin” é uma característica fundamental do elétron, assim como a massa e a carga elétrica.

Idealizando o “Spin” no mundo real, sob as bases da física clássica, ele seria como o movimento de rotação do elétron em torno de seu próprio eixo, porém este modelo não é satisfatório segundo observações empíricas.


Portanto, devido ao fato de o “Spin” ser uma propriedade intrínseca do elétron, que por sua vez é uma partícula subatômica, torna-se impossível quantizá-lo sob a ótica da física clássica, que trata o átomo como uma porção indivisível da matéria.


Fonte: “Fundamentos da Física vol. 4 – Física Moderna”

Autores: Halliday & Resnick

8a edição

Ed. LTC

Para a resolução desta questão devemos utilizar conceitos relacionados à disciplina de “Física Moderna”, mais especificamente “Mecânica Quântica”.


Sob o ponto de vista da física clássica, fenômenos microscópicos não são percebidos. Grandezas ínfimas como o “quantum de luz” ou o “momento angular intrínseco” fazem parte do escopo da mecânica quântica, uma das áreas da física moderna que pretende analisar os fenômenos em micro, até mesmo nano escala.

Dentro de um átomo, um elétron possui um momento angular intrínseco, também chamado de “Spin” . A denominação “intrínseco” significa que o “Spin” é uma característica fundamental do elétron, assim como a massa e a carga elétrica.

Idealizando o “Spin” no mundo real, sob as bases da física clássica, ele seria como o movimento de rotação do elétron em torno de seu próprio eixo, porém este modelo não é satisfatório segundo observações empíricas.


Portanto, devido ao fato de o “Spin” ser uma propriedade intrínseca do elétron, que por sua vez é uma partícula subatômica, torna-se impossível quantizá-lo sob a ótica da física clássica, que trata o átomo como uma porção indivisível da matéria.


Fonte: “Fundamentos da Física vol. 4 – Física Moderna”

Autores: Halliday & Resnick

8a edição

Ed. LTC

User badge image

to ze

Há mais de um mês

Os efeitos da quantização do momento angular já eram conhecidos, até já eram calculados, por exemplo na equação de rydberg, mas não havia explicação para essas equações. Eram obtidas diretamente da experiencia sem modelo teorico para justificar. Em 1802 Wollaston verificou pela primeira vez que o espetro do sol não era continuo como se pensava. Ou seja os efeitos da quantização já eram conhecidos, só que não havia ainda explicação. Foi para explicar estes fenomenos e outros que a mecanica quantica foi desenvolvida.

User badge image

Andre Smaira

Há mais de um mês

Por que a quantização do momento angular não foi observada na física clássica?

A pergunta refere-se a quantização do momento angular; esta faz-se de estudo na Mecânica Quântica de Schroedinger...


Para a resolução desta questão devemos utilizar conceitos relacionados à disciplina de “Física Moderna”, mais especificamente “Mecânica Quântica”.


Sob o ponto de vista da física clássica, fenômenos microscópicos não são percebidos. Grandezas ínfimas como o “quantum de luz” ou o “momento angular intrínseco” fazem parte do escopo da mecânica quântica, uma das áreas da física moderna que pretende analisar os fenômenos em micro, até mesmo nano escala.

Dentro de um átomo, um elétron possui um momento angular intrínseco, também chamado de “Spin” . A denominação “intrínseco” significa que o “Spin” é uma característica fundamental do elétron, assim como a massa e a carga elétrica.

Idealizando o “Spin” no mundo real, sob as bases da física clássica, ele seria como o movimento de rotação do elétron em torno de seu próprio eixo, porém este modelo não é satisfatório segundo observações empíricas.


Portanto, devido ao fato de o “Spin” ser uma propriedade intrínseca do elétron, que por sua vez é uma partícula subatômica, torna-se impossível quantizá-lo sob a ótica da física clássica, que trata o átomo como uma porção indivisível da matéria.


Fonte: “Fundamentos da Física vol. 4 – Física Moderna”

Autores: Halliday & Resnick

8a edição

Ed. LTC

User badge image

Andre Smaira

Há mais de um mês

Para a resolução desta questão devemos utilizar conceitos relacionados à disciplina de “Física Moderna”, mais especificamente “Mecânica Quântica”.


Sob o ponto de vista da física clássica, fenômenos microscópicos não são percebidos. Grandezas ínfimas como o “quantum de luz” ou o “momento angular intrínseco” fazem parte do escopo da mecânica quântica, uma das áreas da física moderna que pretende analisar os fenômenos em micro, até mesmo nano escala.

Dentro de um átomo, um elétron possui um momento angular intrínseco, também chamado de “Spin” . A denominação “intrínseco” significa que o “Spin” é uma característica fundamental do elétron, assim como a massa e a carga elétrica.

Idealizando o “Spin” no mundo real, sob as bases da física clássica, ele seria como o movimento de rotação do elétron em torno de seu próprio eixo, porém este modelo não é satisfatório segundo observações empíricas.


Portanto, devido ao fato de o “Spin” ser uma propriedade intrínseca do elétron, que por sua vez é uma partícula subatômica, torna-se impossível quantizá-lo sob a ótica da física clássica, que trata o átomo como uma porção indivisível da matéria.


Fonte: “Fundamentos da Física vol. 4 – Física Moderna”

Autores: Halliday & Resnick

8a edição

Ed. LTC

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas