A maior rede de estudos do Brasil

Qual relação de tacqueville com a ciência política?


12 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Aléxis de Tocqueville fundamenta o poder político e explica a participação dos cidadãos nas decisões políticas. O autor demonstra em suas obras que o pensamento político– tanto em termos teórico-metodológicos, quanto em termos conclusivos – o torna um diferencial em relação ao pensamento político não só dos Antigos – Platão e Aristóteles – mas também dos Modernos – Hobbes e Rousseau. Dessa forma, Tocqueville procura revelar, por meio do método “tipo ideal”, como e porque o Estado americano surgiu e quais fatores e processos condicionam a participação política dos cidadãos americanos; outros autores partem de princípios gerais abstratamente construídos para demonstrar como o Estado e a participação política devam ser.

Aléxis de Tocqueville fundamenta o poder político e explica a participação dos cidadãos nas decisões políticas. O autor demonstra em suas obras que o pensamento político– tanto em termos teórico-metodológicos, quanto em termos conclusivos – o torna um diferencial em relação ao pensamento político não só dos Antigos – Platão e Aristóteles – mas também dos Modernos – Hobbes e Rousseau. Dessa forma, Tocqueville procura revelar, por meio do método “tipo ideal”, como e porque o Estado americano surgiu e quais fatores e processos condicionam a participação política dos cidadãos americanos; outros autores partem de princípios gerais abstratamente construídos para demonstrar como o Estado e a participação política devam ser.

User badge image

A.

Há mais de um mês

Tocqueville trata bastante a questão da liberdade e da igualdade, assim também como a democracia, que está diretamente relacionado à ciência política. Os estudos dele tratam das realidades concretas que vão desde a descrição de hábitos e costumes de um povo e de sua organização social, até a explicação de sua estruturação, de suas instituições políticas e das relações do Estado com a própria sociedade.

User badge image

Francisco

Há mais de um mês

Falar de TOCQUEVILLE é falar da questão da liberdade, da igualdade e, também, da democracia. Herdado do JUSNATURALISMO e do CONTRATUALISMO, em Tocqueville este tema é o ponto central do que poderia ser uma nova ciência política.

User badge image

Francisco

Há mais de um mês

DEMOCRACIA: UM PROCESSO UNIVERSAL Seus estudos dizem respeito a realidades concretas que abrangem desde a descrição de hábitos e costumes de um povo e sua organização social até a explicação de sua estrutura de dominação, de suas instituições políticas e das relações do Estado com a sociedade civil. Assim são suas obras sobre a democracia na América, a Revolução Francesa e o Antigo Regime, a colonização da Argélia etc. Mas em todas essas, a preocupação fundamental é encontrar a possível coexistência harmônica entre um processo de desenvolvimento igualitário e a manutenção da liberdade.

Abordar, portanto, a questão da liberdade e da igualdade, em Tocqueville, é necessariamente falar de democracia. Em primeiro lugar porque Tocqueville identifica igualdade com democracia. Em segundo lugar porque, ao não trabalhar apenas com indagações abstratas, procura entender a questão da liberdade e da igualdade onde elas não foram contraditórias. Para ele, isso estava acontecendo nos Estados Unidos da América, por volta de 1830.

A maneira pela qual retira da realidade pesquisada fatos significativos para a compreensão do fenômeno democrático, o cuidado com que os relaciona, buscando aí encontrar a racionalidade que lhes é específica, permite que se veja no seu estudo que Tocqueville pretende construir um conceito definidor de democracia, como ocorre em sua maior obra, A Democracia na América, publicada em dois volumes em 1835 e 1840.

Ao elaborar esse conceito de democracia, Tocqueville acaba por apresentá-lo como um processo de caráter universal. O processo democrático, que ele define como um constante aumento da igualdade de condições, diz respeito a toda a humanidade. Como tal, a democracia é vista como inevitável e mesmo providencial, pois ela seria a própria vontade divina, realizando-se na história da humanidade. No entanto, não quer dizer que o processo igualitário se repetirá da mesma forma em outros lugares. Para Tocqueville, cada nação terá seu próprio desenvolvimento democrático. Nessa diversidade de caminhos que as nações podem percorrer, o fator mais importante para defini-los é a ação política do seu povo.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas