A maior rede de estudos do Brasil

Se a escopalmanina fosse uma pro-droga quais seriam seus efeitos sobre o ritmo cardíaco esperado para a administração da mesma com o omeprazol? pq?


4 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Os pró-fármacos são fármacos em sua forma inativa ou substancialmente menos ativas que quando administrados, sofrerão uma biotransformação in vivo, passando a produzir metabólitos ativos. Estes podem melhorar a absorção ou a ação. Exemplo: Pivampicilina (pró-fármaco) versus ampicilina (fármaco)


Vários outros termos, tais como fármaco latente, derivados biorreversíveis, conjugados fármaco-transportador biolábil ou congêneres, foram utilizados como sinonímia para pró-fármaco. Este foi posteriormente padronizado e definido como derivado química e farmacologicamente inativo da molécula matriz, que requer transformação no organismo para liberar o fármaco ativo.


Para otimizar as características físico-químicas de um fármaco pode-se derivar certos grupos funcionais polares com pequenas moléculas orgânicas biorreversíveis, mascarando tais características sem alterar permanentemente as propriedades da molécula. Tal estratégia tem sido utilizada com sucesso, onde grupos funcionais tais como álcoois são convertidos em ésteres os quais podem ser rapidamente hidrolisados in vivo quimicamente ou enzimaticamente


A escopolamina é classificada como uma substância anticolinérgica, possui efeitos alucinógenos fortes, resultando em redução da frequência cardíaca, vamos supor que a sua ativação farmacológica fosse feita na acidez estomacal, a partir do uso de omeprazol, que neutraliza essa acidez, o resultado seria um efeito prejudicado dessa medicação, resultando no aumento da frequência cardíaca deste paciente

Fonte: http://cadernodefarmacia.blogspot.com/2013/03/pro-farmacos.html

Acessado em 19/09/18

Os pró-fármacos são fármacos em sua forma inativa ou substancialmente menos ativas que quando administrados, sofrerão uma biotransformação in vivo, passando a produzir metabólitos ativos. Estes podem melhorar a absorção ou a ação. Exemplo: Pivampicilina (pró-fármaco) versus ampicilina (fármaco)


Vários outros termos, tais como fármaco latente, derivados biorreversíveis, conjugados fármaco-transportador biolábil ou congêneres, foram utilizados como sinonímia para pró-fármaco. Este foi posteriormente padronizado e definido como derivado química e farmacologicamente inativo da molécula matriz, que requer transformação no organismo para liberar o fármaco ativo.


Para otimizar as características físico-químicas de um fármaco pode-se derivar certos grupos funcionais polares com pequenas moléculas orgânicas biorreversíveis, mascarando tais características sem alterar permanentemente as propriedades da molécula. Tal estratégia tem sido utilizada com sucesso, onde grupos funcionais tais como álcoois são convertidos em ésteres os quais podem ser rapidamente hidrolisados in vivo quimicamente ou enzimaticamente


A escopolamina é classificada como uma substância anticolinérgica, possui efeitos alucinógenos fortes, resultando em redução da frequência cardíaca, vamos supor que a sua ativação farmacológica fosse feita na acidez estomacal, a partir do uso de omeprazol, que neutraliza essa acidez, o resultado seria um efeito prejudicado dessa medicação, resultando no aumento da frequência cardíaca deste paciente

Fonte: http://cadernodefarmacia.blogspot.com/2013/03/pro-farmacos.html

Acessado em 19/09/18

User badge image

patovick

Há mais de um mês

Seria efeitos que iriam atingir o ritmo cardíaco, no caso seria taquicardia.

User badge image

Andre

Há mais de um mês

Os pró-fármacos são fármacos em sua forma inativa ou substancialmente menos ativas que quando administrados, sofrerão uma biotransformação in vivo, passando a produzir metabólitos ativos. Estes podem melhorar a absorção ou a ação. Exemplo: Pivampicilina (pró-fármaco) versus ampicilina (fármaco)


Vários outros termos, tais como fármaco latente, derivados biorreversíveis, conjugados fármaco-transportador biolábil ou congêneres, foram utilizados como sinonímia para pró-fármaco. Este foi posteriormente padronizado e definido como derivado química e farmacologicamente inativo da molécula matriz, que requer transformação no organismo para liberar o fármaco ativo.


Para otimizar as características físico-químicas de um fármaco pode-se derivar certos grupos funcionais polares com pequenas moléculas orgânicas biorreversíveis, mascarando tais características sem alterar permanentemente as propriedades da molécula. Tal estratégia tem sido utilizada com sucesso, onde grupos funcionais tais como álcoois são convertidos em ésteres os quais podem ser rapidamente hidrolisados in vivo quimicamente ou enzimaticamente


A escopolamina é classificada como uma substância anticolinérgica, possui efeitos alucinógenos fortes, resultando em redução da frequência cardíaca, vamos supor que a sua ativação farmacológica fosse feita na acidez estomacal, a partir do uso de omeprazol, que neutraliza essa acidez, o resultado seria um efeito prejudicado dessa medicação, resultando no aumento da frequência cardíaca deste paciente

Fonte: http://cadernodefarmacia.blogspot.com/2013/03/pro-farmacos.html

Acessado em 19/09/18

User badge image

Andre

Há mais de um mês

 

Os pró-fármacos são fármacos em sua forma inativa ou substancialmente menos ativas que quando administrados, sofrerão uma biotransformação in vivo, passando a produzir metabólitos ativos. Estes podem melhorar a absorção ou a ação. Exemplo: Pivampicilina (pró-fármaco) versus ampicilina (fármaco)


Vários outros termos, tais como fármaco latente, derivados biorreversíveis, conjugados fármaco-transportador biolábil ou congêneres, foram utilizados como sinonímia para pró-fármaco. Este foi posteriormente padronizado e definido como derivado química e farmacologicamente inativo da molécula matriz, que requer transformação no organismo para liberar o fármaco ativo.


Para otimizar as características físico-químicas de um fármaco pode-se derivar certos grupos funcionais polares com pequenas moléculas orgânicas biorreversíveis, mascarando tais características sem alterar permanentemente as propriedades da molécula. Tal estratégia tem sido utilizada com sucesso, onde grupos funcionais tais como álcoois são convertidos em ésteres os quais podem ser rapidamente hidrolisados in vivo quimicamente ou enzimaticamente


A escopolamina é classificada como uma substância anticolinérgica, possui efeitos alucinógenos fortes, resultando em redução da frequência cardíaca, vamos supor que a sua ativação farmacológica fosse feita na acidez estomacal, a partir do uso de omeprazol, que neutraliza essa acidez, o resultado seria um efeito prejudicado dessa medicação, resultando no aumento da  frequência cardíaca deste paciente 

Fonte: http://cadernodefarmacia.blogspot.com/2013/03/pro-farmacos.html

Acessado em 19/09/18

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas