A maior rede de estudos do Brasil

explique as fases do envelhecimento segundo logal e fits pat


1 resposta(s)

User badge image

beatriz leite

Há mais de um mês

FASES  DA  VIDA  -  SEGUNDA  PARTE   

    

No final da primeira parte deste texto, escrevi que me propunha, numa segunda parte, “desenvolver as caraterísticas da juventude e da idade adulta ”, o que vou fazer, acrescentando velhice e quarta idade.

C1 – FASE ADULTA – JUVENTUDE

Como já escrevi na 1ª parte, a juventude ocorre, normalmente, entre os 16 e os 30 anos.  É nesta fase que cresce a expetativa de vida e a possibilidade de alcançar melhores condições de existência, resultantes do avanço da economia e da medicina.

É, também, nesta fase, que são tomadas as decisões mais importantes, como seja o caminho de vida a seguir. Para tomar as decisões, o indivíduo socorre-se de meios adequados, como sejam os testes psicotécnicos e, principalmente, o conselho avisado dos pais e educadores. Antes de mais, os pais e educadores não devem admirar-se do período de desencanto que os jovens têm com as gerações anteriores.

Costuma associar-se este período da vida à rebeldia e a movimentos detratores do passado, sobretudo quando, como agora, a organização política está em crise, designadamente, com o desemprego principalmente dos jovens, com a melhor preparação de sempre, que são obrigados a procurar um modo de vida noutras paragens. O que nem é mau, porquanto está a dar-se um intercâmbio de culturas e de ideias, que são saudáveis e aproveitam a todos. Dou como exemplo o programa ERASMUS, de que os jovens tanto gostam e que tantos  benefícios traz aos países.

Entendo que os estados, no sentido de orientar e proteger os jovens, devem garantir a criação de planos e programas para facilitar o desenvolvimento da juventude, de forma a equilibrar a rebeldia própria da idade e a orientá-la, contrabalançando-a e sublimando-a com políticas sociais adequadas. A sociologia e a psicologia são ciências que devem ter um papel determinante no acompanhamento individual e coletivo

FASES  DA  VIDA  -  SEGUNDA  PARTE   

    

No final da primeira parte deste texto, escrevi que me propunha, numa segunda parte, “desenvolver as caraterísticas da juventude e da idade adulta ”, o que vou fazer, acrescentando velhice e quarta idade.

C1 – FASE ADULTA – JUVENTUDE

Como já escrevi na 1ª parte, a juventude ocorre, normalmente, entre os 16 e os 30 anos.  É nesta fase que cresce a expetativa de vida e a possibilidade de alcançar melhores condições de existência, resultantes do avanço da economia e da medicina.

É, também, nesta fase, que são tomadas as decisões mais importantes, como seja o caminho de vida a seguir. Para tomar as decisões, o indivíduo socorre-se de meios adequados, como sejam os testes psicotécnicos e, principalmente, o conselho avisado dos pais e educadores. Antes de mais, os pais e educadores não devem admirar-se do período de desencanto que os jovens têm com as gerações anteriores.

Costuma associar-se este período da vida à rebeldia e a movimentos detratores do passado, sobretudo quando, como agora, a organização política está em crise, designadamente, com o desemprego principalmente dos jovens, com a melhor preparação de sempre, que são obrigados a procurar um modo de vida noutras paragens. O que nem é mau, porquanto está a dar-se um intercâmbio de culturas e de ideias, que são saudáveis e aproveitam a todos. Dou como exemplo o programa ERASMUS, de que os jovens tanto gostam e que tantos  benefícios traz aos países.

Entendo que os estados, no sentido de orientar e proteger os jovens, devem garantir a criação de planos e programas para facilitar o desenvolvimento da juventude, de forma a equilibrar a rebeldia própria da idade e a orientá-la, contrabalançando-a e sublimando-a com políticas sociais adequadas. A sociologia e a psicologia são ciências que devem ter um papel determinante no acompanhamento individual e coletivo

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes