A maior rede de estudos do Brasil

Descrever a morfologia macroscópica do Bulbo, indicando os tratos sensitivos e motores. alguem sabe?


1 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

O bulbo raquidiano (medula alongada), situado na cavidade craniana, logo acima da medula espinhal, é um dos elementos mais importantes do sistema nervoso central.


Na face anterior do bulbo, vê-se um sulco mediano, que se inicia, em cima, por uma fosseta, o buraco cego, e que divide a face anterior em dois volumosos cordões, chamados pirâmides anteriores do bulbo. Na face posterior, se olharmos a sua metade inferior, vemos que há também um sulco mediano dividindo-a em dois cordões posteriores.


O bulbo difere da medula por causa dos seguintes fatores:
aparecimento de novos núcleos próprios do bulbo: núcleos grácil, cuneiforme e o núcleo olivar inferior.
decussação das pirâmides ou decussação motora: as fibras do trato córtico-espinhal percorrem as pirâmides bulbares e a maioria delas decussa, ou seja, muda de direção cruzando o plano mediano (decussação das pirâmides), para continuar como tracto córtico-espinhal lateral.
decussação dos lemniscos: as fibras dos fascículos grácil e cuneiforme da medula terminam fazendo sinapse em neurônios dos núcleos grácil e cuneiforme, que aparecem no funículo posterior, já nos níveis mais baixos, do bulbo. As fibras que se originam nestes núcleos são denominadas fibras arqueadas internas. Elas mergulham ventralmente, passam através da coluna posterior, contribuindo para fragmentá-la , cruzam o plano mediano (decussação sensitiva) e infletem-se cranialmente para constituir de cada lado o lemnisco medial.


Veja a representação abaixo:

sistema nervoso

O bulbo raquidiano (medula alongada), situado na cavidade craniana, logo acima da medula espinhal, é um dos elementos mais importantes do sistema nervoso central.


Na face anterior do bulbo, vê-se um sulco mediano, que se inicia, em cima, por uma fosseta, o buraco cego, e que divide a face anterior em dois volumosos cordões, chamados pirâmides anteriores do bulbo. Na face posterior, se olharmos a sua metade inferior, vemos que há também um sulco mediano dividindo-a em dois cordões posteriores.


O bulbo difere da medula por causa dos seguintes fatores:
aparecimento de novos núcleos próprios do bulbo: núcleos grácil, cuneiforme e o núcleo olivar inferior.
decussação das pirâmides ou decussação motora: as fibras do trato córtico-espinhal percorrem as pirâmides bulbares e a maioria delas decussa, ou seja, muda de direção cruzando o plano mediano (decussação das pirâmides), para continuar como tracto córtico-espinhal lateral.
decussação dos lemniscos: as fibras dos fascículos grácil e cuneiforme da medula terminam fazendo sinapse em neurônios dos núcleos grácil e cuneiforme, que aparecem no funículo posterior, já nos níveis mais baixos, do bulbo. As fibras que se originam nestes núcleos são denominadas fibras arqueadas internas. Elas mergulham ventralmente, passam através da coluna posterior, contribuindo para fragmentá-la , cruzam o plano mediano (decussação sensitiva) e infletem-se cranialmente para constituir de cada lado o lemnisco medial.


Veja a representação abaixo:

sistema nervoso

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas