A maior rede de estudos do Brasil

Como ocorre a gametogenese masculina?

histologia e embriologia

2 resposta(s)

User badge image

Mariana

Há mais de um mês

Nos homens, a meiose e a espermatogênese só são iniciadas nos testículos a partir da puberdade e daí continuam no revestimento epitelial dos túbulos seminíferos. As células germinativas imaturas, chamadas espermatogônias, estão localiza-das ao redor da extremidade mais externa desses túbulos, onde proliferam continuamente por divisão mitótica comum. Algumas destas célulasfilha cessam a proliferação, e diferenciam-se em espermatócitos primários.

Estas células iniciam a primeira prófase meióticas, na qual os cromossomos homólogos emparelhados participam do entrecruzamento e progridem na meiose I produzindo dois espermatócitos secundários, cada um contendo 22 cromossomos autossômicos duplicados e um cromossomo sexual, X ou Y duplicado.

Os espermatócitos secundários progridem na meiose II, produzindo 4 espermátides, cada uma contendo um número haplóide de cromossomos. Essas espermátides haplóides sofrem diferenciação morfológica originando os espermatozóides, que escapam para a luz dos túbulos seminíferos. Os espermatozóides passam, então, para o epidídimo, um tubo enrolado localizado nos testículos, onde são estocados e maturados. Cada espermatogônia dá origem a 4 espermatozóides.

As células germinativas masculinas falham em completar a divisão citoplasmática (citocinese) na mitose e meiose. Em conseqüência, grandes clones de célulasfilha em diferenciação, descendentes da mesma espermatogônia em maturação, permanecem ligadas por pontes citoplasmáticas, formando um sincício. As pontes citoplasmáticas persistem até o final da diferenciação dos espermatozóides, quando estes são liberados para a luz do túbulo.

Os espermatozóides sofrem a maior parte da sua maturação após o núcleo ter completado a meiose e tornando- se, portanto, haplóide. A presença das pontes citoplasmáticas entre eles significa que os espermatozóides haplóides compartilham um único citoplasma com seus vizinhos, de modo que todos possam receber os produtos de um genoma diplóide completo. Assim, o genoma diplóide controla a diferenciação do espermatozóide, da mesma forma que o faz na diferenciação do óvulo.

Nos homens, a meiose e a espermatogênese só são iniciadas nos testículos a partir da puberdade e daí continuam no revestimento epitelial dos túbulos seminíferos. As células germinativas imaturas, chamadas espermatogônias, estão localiza-das ao redor da extremidade mais externa desses túbulos, onde proliferam continuamente por divisão mitótica comum. Algumas destas célulasfilha cessam a proliferação, e diferenciam-se em espermatócitos primários.

Estas células iniciam a primeira prófase meióticas, na qual os cromossomos homólogos emparelhados participam do entrecruzamento e progridem na meiose I produzindo dois espermatócitos secundários, cada um contendo 22 cromossomos autossômicos duplicados e um cromossomo sexual, X ou Y duplicado.

Os espermatócitos secundários progridem na meiose II, produzindo 4 espermátides, cada uma contendo um número haplóide de cromossomos. Essas espermátides haplóides sofrem diferenciação morfológica originando os espermatozóides, que escapam para a luz dos túbulos seminíferos. Os espermatozóides passam, então, para o epidídimo, um tubo enrolado localizado nos testículos, onde são estocados e maturados. Cada espermatogônia dá origem a 4 espermatozóides.

As células germinativas masculinas falham em completar a divisão citoplasmática (citocinese) na mitose e meiose. Em conseqüência, grandes clones de célulasfilha em diferenciação, descendentes da mesma espermatogônia em maturação, permanecem ligadas por pontes citoplasmáticas, formando um sincício. As pontes citoplasmáticas persistem até o final da diferenciação dos espermatozóides, quando estes são liberados para a luz do túbulo.

Os espermatozóides sofrem a maior parte da sua maturação após o núcleo ter completado a meiose e tornando- se, portanto, haplóide. A presença das pontes citoplasmáticas entre eles significa que os espermatozóides haplóides compartilham um único citoplasma com seus vizinhos, de modo que todos possam receber os produtos de um genoma diplóide completo. Assim, o genoma diplóide controla a diferenciação do espermatozóide, da mesma forma que o faz na diferenciação do óvulo.

User badge image

Letícia

Há mais de um mês

A gametogênese é o processo que viabiliza a reprodução sexuada dos organismos animais, a partir da formação de células reprodutivas (os gametas).

Essa formação ocorre exclusivamente nas gônadas, ou seja, nas glândulas especializadas na produção de espermatozóides (nos testículos dos organismos masculinos) e óvulos ou ovócito primário (nos ovários dos organismos femininos).

O processo inicia-se com a multiplicação das células germinativas (diplóides – 2N), também denominadas de espermatogônias e ovogônias, por meio de sucessivas divisões mitóticas seguidas por divisões meióticas, quando propriamente são formados os gametas (células haplóides – N).

No gênero masculino, esse mecanismo é contínuo, apresentando algumas variações durante a vida do indivíduo. Contudo tendo o seu princípio caracterizado no instante em que o organismo atinge a maturação (a puberdade), geralmente entre 13 e 16 anos de idade e declinando com o envelhecimento.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes