A maior rede de estudos do Brasil

explique sobre as teses do determinismo biologico e geografico


2 resposta(s)

User badge image

LR

Há mais de um mês

 

Determinismo biológico: Há no determinismo biológico “o caráter orgânico e hereditário dos comportamentos considerados indesejados” (CAPONI, 2007: 344). Laraia considera essa uma teoria equivocada, pois as posturas comportamentais podem ser adquiridas através do processo de aprendizagem, “uma vez que, mesmo havendo diferenças determinadas biologicamente, como a de sexo, por exemplo, a antropologia tem comprovado que atividades atribuídas à mulher em uma dada cultura podem ser atribuídas ao homem em outra” (DOMINGUES, 2006: 69). Apesar das muitas constestações que a teoria do determinismo biológico gera, não é possível considera-la descarta-la ou submete-la a um tempo remoto, pois ainda está presente da produção de conhecimento da atualidade: “Aqueles que procuram o gene do alcoolismo acreditam que a descoberta permitirá provar que o alcoolismo é uma doença. Aqueles que procuram o gene da homossexualidade acreditam que a descoberta permitirá provar que a homossexualidade não é uma doença. Essa contraditória oposição nos lembra que ainda estamos numa face adolescente no que diz respeito a compreender a “biossociabilidade”, isto é, os modos possíveis de interação entre os fenômenos biológicos e os fatos sociais.” (HACKING, 2006). Dessa forma se faz “é necessário reconhecer que a crítica ao determinismo biológico não garante, por si própria, um esclarecimento sobre a complexa relação existente, nos diferentes âmbitos dos fenômenos humanos, entre fatores biológicos (sejam eles genéticos ou neurológicos) e fatores sociais” (CAPONI, 2007: 350).

Determinismo Geográfico: O determinismo geográfico é uma das doutrinas da Geografia Tradicional, geralmente associada as obras de Ratzel. O determinismo geográfico defendia “argumento de que as condições naturais determinam o comportamento do homem, interferindo na sua capacidade de progredir” (FIALHO, 2014: 207). Laraia recusa o pressuposto do determinismo geográfico que considera “os fatores ambientais como condição da diversidade cultural”, expondo como a pesquisas antropológicas de autores como Boas, Wissler e Kroeber, demonstram a limitação “do fator geográfico na formação da cultura”, comprovando a possibilidade de “encontrar uma diversidade cultural numa mesma localidade geográfica” (DOMINGUES, 2009: 70).

Referências Bibliográficas:

DOMINGUES, Regis Augusto. Cultura: um conceito antropológico. In Revista Antropos, vol.3, ano 2, dez. 2009.

HACKING, I. Biosocial identity: Which biology? Whose society? In: Biosocial for Columbia, 2006. No prelo.

FIALHO, Lia; MACHADO, Charliton; SALES, José Albio Moreira de. As corretes do pensamento geográfico e a geogradia ensinada no Ensino Fundamental: objetivos, objeto de estudos e a formação dos conceitos geográficos. In Revista Educação em foco – UEMG, v. 17, n.23, 2014.

 

 

Determinismo biológico: Há no determinismo biológico “o caráter orgânico e hereditário dos comportamentos considerados indesejados” (CAPONI, 2007: 344). Laraia considera essa uma teoria equivocada, pois as posturas comportamentais podem ser adquiridas através do processo de aprendizagem, “uma vez que, mesmo havendo diferenças determinadas biologicamente, como a de sexo, por exemplo, a antropologia tem comprovado que atividades atribuídas à mulher em uma dada cultura podem ser atribuídas ao homem em outra” (DOMINGUES, 2006: 69). Apesar das muitas constestações que a teoria do determinismo biológico gera, não é possível considera-la descarta-la ou submete-la a um tempo remoto, pois ainda está presente da produção de conhecimento da atualidade: “Aqueles que procuram o gene do alcoolismo acreditam que a descoberta permitirá provar que o alcoolismo é uma doença. Aqueles que procuram o gene da homossexualidade acreditam que a descoberta permitirá provar que a homossexualidade não é uma doença. Essa contraditória oposição nos lembra que ainda estamos numa face adolescente no que diz respeito a compreender a “biossociabilidade”, isto é, os modos possíveis de interação entre os fenômenos biológicos e os fatos sociais.” (HACKING, 2006). Dessa forma se faz “é necessário reconhecer que a crítica ao determinismo biológico não garante, por si própria, um esclarecimento sobre a complexa relação existente, nos diferentes âmbitos dos fenômenos humanos, entre fatores biológicos (sejam eles genéticos ou neurológicos) e fatores sociais” (CAPONI, 2007: 350).

Determinismo Geográfico: O determinismo geográfico é uma das doutrinas da Geografia Tradicional, geralmente associada as obras de Ratzel. O determinismo geográfico defendia “argumento de que as condições naturais determinam o comportamento do homem, interferindo na sua capacidade de progredir” (FIALHO, 2014: 207). Laraia recusa o pressuposto do determinismo geográfico que considera “os fatores ambientais como condição da diversidade cultural”, expondo como a pesquisas antropológicas de autores como Boas, Wissler e Kroeber, demonstram a limitação “do fator geográfico na formação da cultura”, comprovando a possibilidade de “encontrar uma diversidade cultural numa mesma localidade geográfica” (DOMINGUES, 2009: 70).

Referências Bibliográficas:

DOMINGUES, Regis Augusto. Cultura: um conceito antropológico. In Revista Antropos, vol.3, ano 2, dez. 2009.

HACKING, I. Biosocial identity: Which biology? Whose society? In: Biosocial for Columbia, 2006. No prelo.

FIALHO, Lia; MACHADO, Charliton; SALES, José Albio Moreira de. As corretes do pensamento geográfico e a geogradia ensinada no Ensino Fundamental: objetivos, objeto de estudos e a formação dos conceitos geográficos. In Revista Educação em foco – UEMG, v. 17, n.23, 2014.

 

User badge image

Paulo Pimentel

Há mais de um mês

São teses que procuram defender que a herança genética (biologia) e o clima / meio-ambiente (geografia) 
são aspectos que determinam as características de uma cultura

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes