Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Direito Penal - Parte Geral e Especial

José dispara cinco tiros de revolver contra Joaquim, jovem de 26 anos que acabará de estuprar sua filha. Contudo, em decorrência de um problema na arma, Jose erra seu alvo e atinge Rubem, senhor de 80 anos, ceifando-lhe a vida. Sendo assim, é correto afirmar que Jose responderá:

A) pelo homicídio de Rubem, agravado por ser vítima maior de 60 anos.

B) por tentativa de homicídio privilegiado de Joaquim e homicídio culposo de Rubem, agravado por ser vítima maior de 60 anos

C) apenas por tentativa de homicídio privilegiado, uma vez que ocorreu erro quanto a pessoa.

D) apenas por homicídio privilegiado consumado, já que ocorreu erro na execução

Direito Penal I

Humanas / Sociais


3 resposta(s)

User badge image

Telismar Júnior

Há mais de um mês

Pessoal, tudo bem? 

Na realidade, o gabarito da questão é letra D . 

No caso em tela, temos erro quanto à execução, logo o agente responde pela sua intenção, sendo homicídio privilegiado por relevante valor moral (Art. 121 § 1°, CP). Ademais, o agente responderá como se tivesse atingido o Joaquim. 

Art. 73. "Quando, por acidente ou erro no uso dos meios de execução, o agente, ao invés de atingir a pessoa que pretendia ofender, atinge pessoa diversa, responde como se tivesse praticado o crime contra aquela, atendendo-se ao disposto no § 3.º do art. 20 deste Código. No caso de ser também atingida a pessoa que o agente pretendia ofender, aplica-se a regra do art. 70 deste Código (concurso formal ) . 

Não foi erro quanto à pessoa, logo ele não responde pelas condições da vítima e sim pela pessoa que tinha volição e intenção. 

Pessoal, tudo bem? 

Na realidade, o gabarito da questão é letra D . 

No caso em tela, temos erro quanto à execução, logo o agente responde pela sua intenção, sendo homicídio privilegiado por relevante valor moral (Art. 121 § 1°, CP). Ademais, o agente responderá como se tivesse atingido o Joaquim. 

Art. 73. "Quando, por acidente ou erro no uso dos meios de execução, o agente, ao invés de atingir a pessoa que pretendia ofender, atinge pessoa diversa, responde como se tivesse praticado o crime contra aquela, atendendo-se ao disposto no § 3.º do art. 20 deste Código. No caso de ser também atingida a pessoa que o agente pretendia ofender, aplica-se a regra do art. 70 deste Código (concurso formal ) . 

Não foi erro quanto à pessoa, logo ele não responde pelas condições da vítima e sim pela pessoa que tinha volição e intenção. 

User badge image

Jackeline Alves Cerpa

Há mais de um mês

Letra C

Pois, José agiu sobre relevante valor socia e moral, sendo assim uma causa de privilegio. E o mesmo incorreu no caso de erro quanto a pessoa, uma vez que sua intenção era matar o estuprador de sua filha, e por uma situação alheia a sua vontade acabou por matar o idoso. Por isso, responderá como se o crime tivesse ocorrido contra Joaquim.

User badge image

wellington figueiredo barbosa

Há mais de um mês

Alternativa C

Porque José agiu sobre relevante valor social e moral, por esse fato uma causa de privilegio. E o mesmo incorreu no caso de erro quanto a pessoa, uma vez que sua intenção era matar o estuprador de sua filha, e por uma situação alheia a sua vontade acabou por matar o idoso. Nisso, responderá como se o crime tivesse ocorrido contra Joaquim.

Essa pergunta já foi respondida!