A maior rede de estudos do Brasil

qual o risco da associação entre benzodiazepinicos e barbitúricos?


1 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Os barbitúricos pertencem à família de fármacos derivados do ácido barbitúrico (combinação de uréia e ácido malônico) responsáveis pela depressão do sistema nervoso central (SNC).


Os barbitúricos, dependendo de sua fórmula e dosagem, podem apresentar um efeito sedativo (tranquilizante), hipnótico (induz ao sono), anticonvulsivo ou anestésico. Existem variedades com diferentes efeitos, vida média e toxidade.  Durante muito tempo foram utilizados como sedativos e hipnóticos para tratar pessoas com insônia severa e determinados distúrbios psicológicos, também foram usados como anticonvulsivos para o tratamento de alguns tipos de epilepsia e determinados quadros convulsivos.

Exceto em determinadas aplicações, o emprego destes fármacos têm sido bastante reduzido, e foram substituídos por benzodiazepínicos. Exemplo disto são o tiopental sódico, administrado de maneira endovenosa para induzir ou manter a anestesia cirúrgica e a sedação pré-operatória e o fenobarbital sódico que continua sendo utilizado no tratamento de emergência das convulsões.


Os riscos da associação destas duas drogas, se dá pelo seu mecânismo de ação:

  • Ambas agem no sistema GABAÉRGICOS, do Sistema Nervoso Central(SNC), resultando na depressão da atividade neuronal e consequente rebaixamento do nível de consciência.
  • Associar estas duas drogas pode induzir o paciênte a um estado de coma/torpor, até a uma possível falência respiratória.

fonte:http://anakarkow.pbworks.com/w/file/fetch/119820948/Psicof%C3%A1rmacos%20-%20Consulta%20R%C3%A1pida%20-%20Cordioli.pdf

Os barbitúricos pertencem à família de fármacos derivados do ácido barbitúrico (combinação de uréia e ácido malônico) responsáveis pela depressão do sistema nervoso central (SNC).


Os barbitúricos, dependendo de sua fórmula e dosagem, podem apresentar um efeito sedativo (tranquilizante), hipnótico (induz ao sono), anticonvulsivo ou anestésico. Existem variedades com diferentes efeitos, vida média e toxidade.  Durante muito tempo foram utilizados como sedativos e hipnóticos para tratar pessoas com insônia severa e determinados distúrbios psicológicos, também foram usados como anticonvulsivos para o tratamento de alguns tipos de epilepsia e determinados quadros convulsivos.

Exceto em determinadas aplicações, o emprego destes fármacos têm sido bastante reduzido, e foram substituídos por benzodiazepínicos. Exemplo disto são o tiopental sódico, administrado de maneira endovenosa para induzir ou manter a anestesia cirúrgica e a sedação pré-operatória e o fenobarbital sódico que continua sendo utilizado no tratamento de emergência das convulsões.


Os riscos da associação destas duas drogas, se dá pelo seu mecânismo de ação:

  • Ambas agem no sistema GABAÉRGICOS, do Sistema Nervoso Central(SNC), resultando na depressão da atividade neuronal e consequente rebaixamento do nível de consciência.
  • Associar estas duas drogas pode induzir o paciênte a um estado de coma/torpor, até a uma possível falência respiratória.

fonte:http://anakarkow.pbworks.com/w/file/fetch/119820948/Psicof%C3%A1rmacos%20-%20Consulta%20R%C3%A1pida%20-%20Cordioli.pdf

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas