A maior rede de estudos do Brasil

Um membro de um par de gêmeos monozigóticos é afetado por uma doença autossômica dominante, enquanto o outro membro do par não...

Cite dois modos diferentes pelos quais isto pode ocorrer.

Alguém pode ajudar, por favor?

Genética I

UNIFAL


3 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Uma doença autossômica é uma doença onde o par de genes responsáveis pelo seu surgimento não está ligada aos cromossomos sexuais, ou seja, independente do sexo a chances de se ter essa característica é a mesma tanto para meninos quanto para meninas.

Uma doença dominante é uma doença que precisa, obrigatoriamente, da presença de pelo menos um gene dominante, geralmente é em heterozigose, dois alelos dominantes de uma doença genética dominante pode representar a inviabilidade da vida.

Gêmeos podem ser tanto monozigóticos, onde um ovulo apenas é fecundado por um espermatozoides e se divide em duas culturas celulares; e pode ser dizigóticos, onde dois óvulos são fecundados por dois espermatozoides.

Considerando que a mãe é normal, ou seja, recessiva para essa doença, e o pai possui um par dominante para a doença, a chance de ocorrer em gêmeos monozigotos é de 1/4 e de ocorrer em dizigotos é de 2/4.

Veja o esquema:

mulher normal - aa
homem afetado - Aa

Cruzamento: aa x Aa
                      Aa , Aa, aa, aa  (50% afetado – Aa    e   50% normal – aa)

Uma doença autossômica é uma doença onde o par de genes responsáveis pelo seu surgimento não está ligada aos cromossomos sexuais, ou seja, independente do sexo a chances de se ter essa característica é a mesma tanto para meninos quanto para meninas.

Uma doença dominante é uma doença que precisa, obrigatoriamente, da presença de pelo menos um gene dominante, geralmente é em heterozigose, dois alelos dominantes de uma doença genética dominante pode representar a inviabilidade da vida.

Gêmeos podem ser tanto monozigóticos, onde um ovulo apenas é fecundado por um espermatozoides e se divide em duas culturas celulares; e pode ser dizigóticos, onde dois óvulos são fecundados por dois espermatozoides.

Considerando que a mãe é normal, ou seja, recessiva para essa doença, e o pai possui um par dominante para a doença, a chance de ocorrer em gêmeos monozigotos é de 1/4 e de ocorrer em dizigotos é de 2/4.

Veja o esquema:

mulher normal - aa
homem afetado - Aa

Cruzamento: aa x Aa
                      Aa , Aa, aa, aa  (50% afetado – Aa    e   50% normal – aa)

User badge image

Graphic Designer

Há mais de um mês

Meu bem., vamos lá...suponhamos que o homem é heterozigoto (Aa) e a mulher aa (normal), temos o cruzamento Aa x aa, que dará 50% ou 1/2 de filhos Aa (portadores) e 50% ou 1/2 de aa (normais). Nesse caso a mulher estiver grávida de gêmeos monozigóticos a probabilidade de pelo menos um (no caso ambos) serem afetados é 1/2 ou 50% ,

Fórmula = Aa x aa = Aa, Aa, aa, aa (50% (Aa) afetados e 50% (aa) normais)
Gêmeos monozigóticos , como resultam de um único óvulo e um único espermatozóide , tem 1/2 ou 50% de probabilidade de serem afetados pela doença.

Espero ter ajudado!

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas