A maior rede de estudos do Brasil

Max weber

o. Leia atentamente o texto abaixo: Mauro era um renomado médico diretor do departamento de cardiologia do Hospital Universitário Pedro Ernesto. Teve três filhos homens que seguiram seus passos: João que se tornou cirurgião plástico e se empregou na ONG Médico Sem Fronteiras, sempre viaja para zonas de conflito com o objetivo de atender às vitimas; Pedro que também se tornou cirurgião plástico e abriu um consultório em um abastado bairro nobre da cidade onde se ocupa principalmente de cirurgias plásticas em seios, nádegas e cirurgias de rosto rejuvenescedoras; Já Cláudio se tornou cardiologista e trabalha no mesmo hospital e departamento que seu pai. Com base nos tipos ideais de ação social de Max Weber, podemos dizer que as ações dos três filhos de Mauro, João, Pedro e Cláudio ao escolherem suas profissões, correspondem respectivamente: Ação afetiva, ação racional com relação a fins e ação tradicional. Ação afetiva, ação racional com relação a valores e ação com relação a fins. Ação racional com relação a fins, ação racional com relação a valores a ação afetiva. Ação racional com relação a fins, ação racional com relação a valores e ação tradicional. Ação racional com relação a valores, ação racional com relação a fins e ação tradicional.

2 resposta(s)

User badge image

Gustavo Melo

Há mais de um mês

Os tipos de ação social de Max Weber

O alemão Max Weber (1864 – 1920) é o sociólogo clássico que definiu a sociologia como "uma ciência que pretende compreender interpretativamente a ação social e assim explicá-la causalmente em seus desenvolvimentos e efeitos. Por ação entende-se, neste caso, um comportamento humano sempre e na medida em que o agente ou agentes o relacionem a um sentido subjetivo." Uma piscadela de olhos, gesto que sinaliza alguma coisa, é um comportamento que tem um sentido para quem o praticou. A piscadela é uma ação. É diferente de um tique nervoso que faz alguém piscar os olhos automaticamente, sem que nenhum sentido seja atribuído a esse ato. O tique não é uma ação no sentido weberiano.

 

Ação Afetiva ou Emocional
De acordo com a Teoria de Max Weber, uma ação afetiva é movida por emoções imediatas, ou seja, por sentimentos. Não tem qualquer motivação racional, visto que não há um objetivo pré-estabelecido.

Não é racional. É a ação inspirada por emoções imediatas tais como vingança, desespero, admiração, orgulho, medo, inveja ou entusiasmo. Na ação afetiva o agente segue um impulso e não elabora as conseqüências da sua ação. É a ação de quem larga tudo por amor. É a ação de quem dá um tiro na cara da mulher quando descobre que foi traído. É a ação de quem larga o emprego porque foi xingado pelo chefe. A “ação afetiva” se diferencia da “racional com respeito a valores” porque nesta última o agente elabora racionalmente o sentido de sua ação de modo que sua conduta seja fiel aos valores aos quais adere. Como foi dito, na ação afetiva não existe elaboração racional das conseqüências.

A ação afetiva se difere da ação racional em relação a valores porque não é guiada por valores e não traça caminhos para alcançá-los.

 

Ação racional com respeito a fins
De acordo com este tipo, o sentido racional da ação se encontra na escolha dos meios mais adequados para a realização de um fim. O único critério de seleção dos meios é a sua capacidade de realizar o objetivo estabelecido. Qualquer meio eficiente é válido tão somente por sua eficiência, independentemente de avaliações morais ou éticas. É o tipo de ação mais freqüente na sociedade moderna. É a ação do empresário capitalista, é a ação do político que leu Maquiavel, é a ação do crime organizado, é a ação de Auschwitz.

 

Ação Tradicional
Também não é racional. Ocorre quando o agente cumpre hábitos e costumes arraigados simplesmente porque é o que sempre foi feito. Quando o grau de automatismo é muito alto, o comportamento pode deixar de ter um sentido subjetivo para o agente. Neste caso, deixaria de ser ação. É a ação daquelas pessoas que se casam na igreja e batizam os filhos sem nunca terem sido religiosas, mas apenas porque todo mundo faz assim.

Espero ter ajudado ;)

Os tipos de ação social de Max Weber

O alemão Max Weber (1864 – 1920) é o sociólogo clássico que definiu a sociologia como "uma ciência que pretende compreender interpretativamente a ação social e assim explicá-la causalmente em seus desenvolvimentos e efeitos. Por ação entende-se, neste caso, um comportamento humano sempre e na medida em que o agente ou agentes o relacionem a um sentido subjetivo." Uma piscadela de olhos, gesto que sinaliza alguma coisa, é um comportamento que tem um sentido para quem o praticou. A piscadela é uma ação. É diferente de um tique nervoso que faz alguém piscar os olhos automaticamente, sem que nenhum sentido seja atribuído a esse ato. O tique não é uma ação no sentido weberiano.

 

Ação Afetiva ou Emocional
De acordo com a Teoria de Max Weber, uma ação afetiva é movida por emoções imediatas, ou seja, por sentimentos. Não tem qualquer motivação racional, visto que não há um objetivo pré-estabelecido.

Não é racional. É a ação inspirada por emoções imediatas tais como vingança, desespero, admiração, orgulho, medo, inveja ou entusiasmo. Na ação afetiva o agente segue um impulso e não elabora as conseqüências da sua ação. É a ação de quem larga tudo por amor. É a ação de quem dá um tiro na cara da mulher quando descobre que foi traído. É a ação de quem larga o emprego porque foi xingado pelo chefe. A “ação afetiva” se diferencia da “racional com respeito a valores” porque nesta última o agente elabora racionalmente o sentido de sua ação de modo que sua conduta seja fiel aos valores aos quais adere. Como foi dito, na ação afetiva não existe elaboração racional das conseqüências.

A ação afetiva se difere da ação racional em relação a valores porque não é guiada por valores e não traça caminhos para alcançá-los.

 

Ação racional com respeito a fins
De acordo com este tipo, o sentido racional da ação se encontra na escolha dos meios mais adequados para a realização de um fim. O único critério de seleção dos meios é a sua capacidade de realizar o objetivo estabelecido. Qualquer meio eficiente é válido tão somente por sua eficiência, independentemente de avaliações morais ou éticas. É o tipo de ação mais freqüente na sociedade moderna. É a ação do empresário capitalista, é a ação do político que leu Maquiavel, é a ação do crime organizado, é a ação de Auschwitz.

 

Ação Tradicional
Também não é racional. Ocorre quando o agente cumpre hábitos e costumes arraigados simplesmente porque é o que sempre foi feito. Quando o grau de automatismo é muito alto, o comportamento pode deixar de ter um sentido subjetivo para o agente. Neste caso, deixaria de ser ação. É a ação daquelas pessoas que se casam na igreja e batizam os filhos sem nunca terem sido religiosas, mas apenas porque todo mundo faz assim.

Espero ter ajudado ;)

User badge image

Gustavo Melo

Há mais de um mês

COMPLEMENTANDO..

Vale ressaltar que, a tarefa da sociologia para Weber é interpretar a ação social. Interpretar é captar o sentido da ação. Para orientar o trabalho de interpretação, Weber estabeleceu quatro “tipos puros” de ação social. São chamados “tipos puros” porque só existem como arranjo de idéias no mundo conceitual. A realidade é muito mais complexa do que os tipos propostos. O objetivo é usar a simplicidade conceitual dos tipos para ordenar a realidade, organizá-la de forma simplificada para que possa ser compreendida de acordo com as limitações do intelecto humano (incapaz de apreender toda a infinita complexidade do real). Do qual além dos já citados existe a:

Ação Racional com respeito a valores
A diferença em relação à primeira é que o fim é um VALOR que pode ter conteúdo ético, moral, religioso, político ou estético. O que dá sentido à ação é a sua racionalidade quanto aos valores que a guiaram. A ação é orientada pela fidelidade aos valores que inspiram a conduta. Desde que fiel aos valores, o comportamento é válido por si mesmo. A “ação racional com respeito a valores” pode tender para a irracionalidade tanto mais quanto maior for a adesão aos valores absolutos. É a ação do crente que prefere pregar para as paredes a fazer alguma adaptação de suas idéias de acordo com o gosto do público. É a ação do artista que prefere não vender nenhuma obra a fazer concessões à patuléia. É a ação do político que prefere perder as eleições a renegar a sua ideologia.

 

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes