A maior rede de estudos do Brasil

como ocorre a prescrição intercorrente?


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

Carlos Eduardo Ferreira de Souza Verified user icon

Há mais de um mês

A prescrição intercorrente é uma causa de extinção da execução (art. 924, V, do CPC/15).

Ocorre quando o exequente (credor), por inércia própria, deixa de dar regular andamento ao processo, perdendo, assim, a pretensão executiva em face do devedor.

Nos termos do art. 921, do CPC/15, a execução pode ser suspensa por ausência de bens penhorárveis pelo prazo de um ano, período em que também se suspenderá a prescrição. Entretanto, decorrido um ano, não havendo manifestação do exequente passa a ser contada novamente a prescrição intercorrente.

Quanto ao prazo da prescrição intercorrente, será o mesmo estipulado legalmente para a prescrição do direito de ação (diversos prazos previstos nos arts. 205 e 206, do CC, bem como em outros diplomas legais).

Sumula 150 do STF:

“Prescreve a execução no mesmo prazo de prescrição da ação”

A prescrição intercorrente é uma causa de extinção da execução (art. 924, V, do CPC/15).

Ocorre quando o exequente (credor), por inércia própria, deixa de dar regular andamento ao processo, perdendo, assim, a pretensão executiva em face do devedor.

Nos termos do art. 921, do CPC/15, a execução pode ser suspensa por ausência de bens penhorárveis pelo prazo de um ano, período em que também se suspenderá a prescrição. Entretanto, decorrido um ano, não havendo manifestação do exequente passa a ser contada novamente a prescrição intercorrente.

Quanto ao prazo da prescrição intercorrente, será o mesmo estipulado legalmente para a prescrição do direito de ação (diversos prazos previstos nos arts. 205 e 206, do CC, bem como em outros diplomas legais).

Sumula 150 do STF:

“Prescreve a execução no mesmo prazo de prescrição da ação”

User badge image

Rafael

Há mais de um mês

A prescrição intercorrente ocorre após propositura da ação, com seu princípio após a citação na fase de execução. Esta, fica caracterizada, diante da inércia do autor que deveria prezar pelo regular andamento do processo.

Assim a paralisação do processo deve se dar exclusivamente por culpa do autor.

Diante o exposto, o CPC prevê a aplicação da prescrição intercorrente em seu artigo 921, inciso III, do NCPC/15, que trata das causas de suspensão do processo de execução.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas