A maior rede de estudos do Brasil

quais são as etapas do desenvolvimento humano


4 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Para resolução desta, foi utilizado conhecimentos sobre Embriologia.


A embriologia estuda a formação e o desenvolvimento humano, desde a fecundação até o nascimento. Ao longo do processo muitos genes são ativados e outros tantos desativados, surgindo a diferenciação celular, que forma as células especializadas que em seguida geram os tecidos e órgãos.


Na espécie humana há três principais fases do desenvolvimento do embrião:

  1. Clivagem ou Segmentação: Inúmeras e rápidas divisões mitóticas dão lugar aos blastômeros. Entre o terceiro e o quarto dia de fecundação há um maciço celular chamado de Mórula. A mórula é convertida em Blástula, onde o número de células faz com que uma cavidade interna desponte, preenchida de líquido produzido pelas próprias células.

  2. Gastrulação: Na terceira semana a blástula se transforma em Gástrula. Nessa fase há a formação dos folhetos germinativos: ectoderma, mesoderma e endoderma. A partir desses folhetos ocorre a diferenciação em tecidos e órgãos.

  3. Organogênese: Começa a diferenciação dos folhetos. Inicia com a neurulação, que consiste na formação do tubo neural. O notocorda e celoma também são formados. O embrião recebe o nome de Nêurula. Primeiros vestígios do sistema nervoso. Seu início se dá entre a terceira e quarta semana e termina na oitava semana.

  4. Depois da nona semana o embrião passa a ser chamado de feto.

Para resolução desta, foi utilizado conhecimentos sobre Embriologia.


A embriologia estuda a formação e o desenvolvimento humano, desde a fecundação até o nascimento. Ao longo do processo muitos genes são ativados e outros tantos desativados, surgindo a diferenciação celular, que forma as células especializadas que em seguida geram os tecidos e órgãos.


Na espécie humana há três principais fases do desenvolvimento do embrião:

  1. Clivagem ou Segmentação: Inúmeras e rápidas divisões mitóticas dão lugar aos blastômeros. Entre o terceiro e o quarto dia de fecundação há um maciço celular chamado de Mórula. A mórula é convertida em Blástula, onde o número de células faz com que uma cavidade interna desponte, preenchida de líquido produzido pelas próprias células.

  2. Gastrulação: Na terceira semana a blástula se transforma em Gástrula. Nessa fase há a formação dos folhetos germinativos: ectoderma, mesoderma e endoderma. A partir desses folhetos ocorre a diferenciação em tecidos e órgãos.

  3. Organogênese: Começa a diferenciação dos folhetos. Inicia com a neurulação, que consiste na formação do tubo neural. O notocorda e celoma também são formados. O embrião recebe o nome de Nêurula. Primeiros vestígios do sistema nervoso. Seu início se dá entre a terceira e quarta semana e termina na oitava semana.

  4. Depois da nona semana o embrião passa a ser chamado de feto.

User badge image

Thayna

Há mais de um mês

1) Período Pré-Natal

É comum pensar que a vida começa com o nascimento. Porém, os nove meses (em média) que o antecedem são responsáveis por um complexo desenvolvimento intrauterino. As características genéticas já começam a interagir com o meio no qual o bebê se encontra. A alimentação da mãe afeta diretamente no crescimento e o bebê passa a responder à voz da mãe, a distingui-la das demais, e ter preferência por ela.

2) Período da Primeira Infância

A primeira infância começa com o nascimento e vai até os 3 anos de idade. Nos primeiros meses, os cinco sentidos começam a se desenvolver. Na parte cognitiva, “as capacidades de aprender e lembrar estão presentes mesmo nas primeiras semanas. O uso de símbolos e a capacidade de resolver problemas se desenvolvem por volta do final do segundo ano de vida”. (Papalia, p. 40).

Neste período, a criança começa a formar vínculos fortes com os pais ou cuidadores. Há o início da percepção de si mesmo (autoconsciência) e o interesse por outras crianças.

3) Período da Segunda Infância

Segundo os desenvolvimentistas, os cientistas do desenvolvimento, a segunda infância vai dos 3 aos 6 anos de idade. O corpo tende a se tornar mais esguio e as partes do corpo começam a se assemelhar, em termos de proporções, com as de um adulto. O apetite tende a diminuir e podem aparecer distúrbios do sono, como insônia.

“O pensamento é um tanto egocêntrico, mas aumenta a compreensão do ponto de vista dos outros. A imaturidade cognitiva resulta em algumas ideias ilógicas sobre o mundo. Desenvolve-se a identidade de gênero” (Papalia, p. 40). É curioso que normalmente pensamos que o cérebro está em crescimento, que o córtex, a massa cinzenta, está em expansão, razão pela qual uma criança teria pensamentos menos lógicos ou abstratos que um adulto. Porém, como sabemos através das neurociências, “a substância cinzenta diminui em uma onda inversa à medida que o cérebro amadurece e conexões neurais são desativadas”, ou seja, com o tempo há uma perda na densidade da massa cinzenta, o que gera, paradoxalmente, um maior amadurecimento, um funcionamento mais eficiente.

4) Período da Terceira Infância

Nesta fase, há uma diminuição do crescimento físico. Existe a tendência de aparecem problemas respiratórios, entretanto, é uma das fases que, em média, nota-se a presença de maior saúde. Entre os 6 e 11 anos, há uma diminuição do egocentrismo, ou seja, a criança não é mais tão centrada em si mesma. A escolarização ajuda neste processo e igualmente na estimulação da memória e da linguagem (que melhoram independentemente da escola).

Certas crianças podem apresentar necessidades especiais de educação ou, no extremo oposto, talentos que exigem cuidado também. O conceito de si (autoconceito) fica mais complexo, o que pode igualmente gerar modificações na autoestima. A convivência com colegas com idade próxima é um fator a ser levado em conta neste período.

5) Período da Adolescência

Como vimos, a divisão da vida em etapas é arbitrário. O conceito de adolescência é recente. Segundo o dicionário etimológico: “A palavra “adolescente” vem do particípio presente do verbo em latim adolescere, crescer. Já o particípio passado, adultus deu origem à palavra “adulto”. Em português, as palavras seriam equivalentes a “crescente”e “crescido”, respectivamente”.

Muitas culturas não possuem esta ideia que temos da adolescência, como um período entre a infância e a idade adulta.

Como sabemos, nesta fase ocorre a maturidade reprodutiva, quando torna-se possível para os indivíduos serem pais ou mães. A saúde é afeta, geralmente, pelo comportamento, como transtornos alimentares ou uso de drogas.

Na cognição, “desenvolvem-se a capacidade de pensar em termos abstratos e de usar o raciocínio científico. O pensamento imaturo persiste em algumas atitudes e comportamentos. A busca pela identidade, incluindo a identidade sexual, torna-se central” (Papalia, p. 41).

6) Período Início da Vida Adulta

Os cientistas do desenvolvimento demarcam o início da vida adulta a partir dos 20 anos e indo até os 40. “A condição física atinge o auge, depois declina ligeiramente. O pensamento e os julgamentos morais tornam-se mais complexos. São feitas escolhas educacionais e vocacionais, após um período exploratório. Traços e estilos de personalidade tornam-se relativamente estáveis, mas as mudanças na personalidade podem ser influenciadas pelas fases e acontecimentos da vida.  São tomadas decisões sobre relacionamentos íntimos e estilos de vida pessoais, mas podem não ser duradouros. A maioria das pessoas casa-se e tem filhos” (Papalia, p. 41).

Aqui vemos que a fase anterior, a adolescência pode se prolongar, ainda e haver uma certa intersecção de fases. Afinal, não é possível demarcar com precisão quando começa a idade adulta. Alguns argumentam que esta se inicia com o primeiro trabalho e o auto-sustento, outros com o início da faculdade ou com a constituição de uma nova família.

User badge image

Andre

Há mais de um mês

Para resolução desta, foi utilizado conhecimentos sobre Embriologia.


A embriologia estuda a formação e o desenvolvimento humano, desde a fecundação até o nascimento. Ao longo do processo muitos genes são ativados e outros tantos desativados, surgindo a diferenciação celular, que forma as células especializadas que em seguida geram os tecidos e órgãos.


Na espécie humana há três principais fases do desenvolvimento do embrião:

  1. Clivagem ou Segmentação: Inúmeras e rápidas divisões mitóticas dão lugar aos blastômeros. Entre o terceiro e o quarto dia de fecundação há um maciço celular chamado de Mórula. A mórula é convertida em Blástula, onde o número de células faz com que uma cavidade interna desponte, preenchida de líquido produzido pelas próprias células.

  2. Gastrulação: Na terceira semana a blástula se transforma em Gástrula. Nessa fase há a formação dos folhetos germinativos: ectoderma, mesoderma e endoderma. A partir desses folhetos ocorre a diferenciação em tecidos e órgãos.

  3. Organogênese: Começa a diferenciação dos folhetos. Inicia com a neurulação, que consiste na formação do tubo neural. O notocorda e celoma também são formados. O embrião recebe o nome de Nêurula. Primeiros vestígios do sistema nervoso. Seu início se dá entre a terceira e quarta semana e termina na oitava semana.

  4. Depois da nona semana o embrião passa a ser chamado de feto.

User badge image

Andre

Há mais de um mês

Para resolução desta, foi utilizado conhecimentos sobre Embriologia.


A embriologia estuda a formação e o desenvolvimento humano, desde a fecundação até o nascimento. Ao longo do processo muitos genes são ativados e outros tantos desativados, surgindo a diferenciação celular, que forma as células especializadas que em seguida geram os tecidos e órgãos.


Na espécie humana há três principais fases do desenvolvimento do embrião:

  1. Clivagem ou Segmentação: Inúmeras e rápidas divisões mitóticas dão lugar aos blastômeros. Entre o terceiro e o quarto dia de fecundação há um maciço celular chamado de Mórula. A mórula é convertida em Blástula, onde o número de células faz com que uma cavidade interna desponte, preenchida de líquido produzido pelas próprias células.

  2. Gastrulação: Na terceira semana a blástula se transforma em Gástrula. Nessa fase há a formação dos folhetos germinativos: ectoderma, mesoderma e endoderma. A partir desses folhetos ocorre a diferenciação em tecidos e órgãos.

  3. Organogênese: Começa a diferenciação dos folhetos. Inicia com a neurulação, que consiste na formação do tubo neural. O notocorda e celoma também são formados. O embrião recebe o nome de Nêurula. Primeiros vestígios do sistema nervoso. Seu início se dá entre a terceira e quarta semana e termina na oitava semana.

  4. Depois da nona semana o embrião passa a ser chamado de feto.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas