A maior rede de estudos do Brasil

Qual a diferença entre Direito Solene e Direito Simples?


1 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

DLRV Advogados Verified user icon

Há mais de um mês

Cremos que a intenção da pergunta fora obter conhecimentos sobre os negócios jurídicos solenes e não-solenes.

Os solenes são aqueles formais. São negócios jurídicos para os quais as leis exigem formalidades.

Segundo Gonçalves, "quando a forma é exigida como condição de validade do negócio, este é solene e a formalidade é ad solemnitatem ou ad substantiam, isto é, constitui a própria substancia do ato, como a escritura pública na alienação de imóvel acima de certo valor (CC,art,108), o  testamento como manifestação de ultima vontade (arts. 1864 e s.), a renúncia da herança (art. 1.806) etc.’’

Os não-solenes, por sua vez, são os negócios jurídicos não formais, tendo as partes a liberdade.

Segundo Gonçalves, "como a lei não reclama nenhuma formalidade para o seu aperfeiçoamento, podem ser celebrados por qualquer forma, inclusive a verbal. Podem ser mencionados como exemplos, dentre inúmeros outros, os contratos de locação e de comodato.‘’

O negócio jurídico simples é aquele que se constitui por um único ato. Se contrapõe ao negócio jurídico complexo, que é aquele que necessita de mais de um ato ou declaração de vontade para que se complete, e ao coligado, que são os convergentes ao mesmo fim.

Cremos que a intenção da pergunta fora obter conhecimentos sobre os negócios jurídicos solenes e não-solenes.

Os solenes são aqueles formais. São negócios jurídicos para os quais as leis exigem formalidades.

Segundo Gonçalves, "quando a forma é exigida como condição de validade do negócio, este é solene e a formalidade é ad solemnitatem ou ad substantiam, isto é, constitui a própria substancia do ato, como a escritura pública na alienação de imóvel acima de certo valor (CC,art,108), o  testamento como manifestação de ultima vontade (arts. 1864 e s.), a renúncia da herança (art. 1.806) etc.’’

Os não-solenes, por sua vez, são os negócios jurídicos não formais, tendo as partes a liberdade.

Segundo Gonçalves, "como a lei não reclama nenhuma formalidade para o seu aperfeiçoamento, podem ser celebrados por qualquer forma, inclusive a verbal. Podem ser mencionados como exemplos, dentre inúmeros outros, os contratos de locação e de comodato.‘’

O negócio jurídico simples é aquele que se constitui por um único ato. Se contrapõe ao negócio jurídico complexo, que é aquele que necessita de mais de um ato ou declaração de vontade para que se complete, e ao coligado, que são os convergentes ao mesmo fim.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas