A maior rede de estudos do Brasil

gametofitica.

Em fumo, ocorre incompatibilidade gametofítica. Foi obtido uma nova cultivar com 6 alelos – S 1 , S2 , S3 , S4 , S5 ,S6 – que controlam a incompatibilidade. a) Quantos genótipos para essa série alélica são esperados nessa cultivar? b) Se em um campo ocorressem toods esses genótipos com a mesma frequência, qual a proporção de gametas abortados, considerando que os cruzamentos ocorram inteiramente ao acaso?

Biologia MolecularUNINASSAU TERESINA

3 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Para resolver o problema, precisaremos de conceitos de genética, com ênfase em alelos múltiplos e incompatibilidade.


a) Para calcular o número total de genótipos dessa série, usaremos a seguinte fórmula:

Em que: NGD é o número de genótipos diferentes e n é a quantidade de alelos.

Porém, não iremos considerar os homozigotos, que correspondem a uma quantidade n, ou seja, possuem 6 combinações homozigóticas. Então a expressão fica como:

Em que: NGH é o número de genótipos heterozigotos. Colocando os valores do enunciado obtemos:

Assim, obteremos 15 genótipos diferentes.


b) Como temos um caso de incompatibilidade gametofítico, ocorrerá aborto sempre que houver alelos em comum entre os genitores masculino e feminino. Assim, a frequência de gametas abortados é função de , sendo n o número de alelos da série. Desse modo, teremos:

Logo, dos casos de cruzamentos serão abortados, equivalente a 33,3%.

Fonte: Ramalho, Magno; Santos, João; Pinto, César; Souza, Eliane; Gonçalves, Flávia; Souza, João et al. Genética na Agropecuária. 5. ed. Lavras, MG: UFLA – Universidade Federal de Lavras, 2012.

Para resolver o problema, precisaremos de conceitos de genética, com ênfase em alelos múltiplos e incompatibilidade.


a) Para calcular o número total de genótipos dessa série, usaremos a seguinte fórmula:

Em que: NGD é o número de genótipos diferentes e n é a quantidade de alelos.

Porém, não iremos considerar os homozigotos, que correspondem a uma quantidade n, ou seja, possuem 6 combinações homozigóticas. Então a expressão fica como:

Em que: NGH é o número de genótipos heterozigotos. Colocando os valores do enunciado obtemos:

Assim, obteremos 15 genótipos diferentes.


b) Como temos um caso de incompatibilidade gametofítico, ocorrerá aborto sempre que houver alelos em comum entre os genitores masculino e feminino. Assim, a frequência de gametas abortados é função de , sendo n o número de alelos da série. Desse modo, teremos:

Logo, dos casos de cruzamentos serão abortados, equivalente a 33,3%.

Fonte: Ramalho, Magno; Santos, João; Pinto, César; Souza, Eliane; Gonçalves, Flávia; Souza, João et al. Genética na Agropecuária. 5. ed. Lavras, MG: UFLA – Universidade Federal de Lavras, 2012.

User badge image

Andre

Há mais de um mês

Para resolver o problema, precisaremos de conceitos de genética, com ênfase em alelos múltiplos e incompatibilidade.


a) Para calcular o número total de genótipos dessa série, usaremos a seguinte fórmula:

Em que: NGD é o número de genótipos diferentes e n é a quantidade de alelos.

Porém, não iremos considerar os homozigotos, que correspondem a uma quantidade n, ou seja, possuem 6 combinações homozigóticas. Então a expressão fica como:

Em que: NGH é o número de genótipos heterozigotos. Colocando os valores do enunciado obtemos:

Assim, obteremos 15 genótipos diferentes.


b) Como temos um caso de incompatibilidade gametofítico, ocorrerá aborto sempre que houver alelos em comum entre os genitores masculino e feminino. Assim, a frequência de gametas abortados é função de , sendo n o número de alelos da série. Desse modo, teremos:

Logo, dos casos de cruzamentos serão abortados, equivalente a 33,3%.

Fonte: Ramalho, Magno; Santos, João; Pinto, César; Souza, Eliane; Gonçalves, Flávia; Souza, João et al. Genética na Agropecuária. 5. ed. Lavras, MG: UFLA – Universidade Federal de Lavras, 2012.

User badge image

Andre

Há mais de um mês

Para resolver o problema, precisaremos de conceitos de genética, com ênfase em alelos múltiplos e incompatibilidade.


a) Para calcular o número total de genótipos dessa série, usaremos a seguinte fórmula:

Em que: NGD é o número de genótipos diferentes e n é a quantidade de alelos.

Porém, não iremos considerar os homozigotos, que correspondem a uma quantidade n, ou seja, possuem 6 combinações homozigóticas. Então a expressão fica como:

Em que: NGH é o número de genótipos heterozigotos. Colocando os valores do enunciado obtemos:

Assim, obteremos 15 genótipos diferentes.


b) Como temos um caso de incompatibilidade gametofítico, ocorrerá aborto sempre que houver alelos em comum entre os genitores masculino e feminino. Assim, a frequência de gametas abortados é função de  , sendo n o número de alelos da série. Desse modo, teremos:

Logo,   dos casos de cruzamentos serão abortados, equivalente a 33,3%.

Fonte: Ramalho, Magno; Santos, João; Pinto, César; Souza, Eliane; Gonçalves, Flávia; Souza, João et al. Genética na Agropecuária. 5. ed. Lavras, MG: UFLA – Universidade Federal de Lavras, 2012.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas