A maior rede de estudos do Brasil

A respeito de Adam Smith e sua publicações, avalie as seguintes afirmações:

I- Adam Smith é reconhecido como pai da economia moderna por suas ideias originais expressas na publicação do livro A riqueza das nações, em 1776.

II-Como defensor do liberalismo economico, Smith não acreditava que a felicidade não era compatível com a virtude, e que a única e verdadeira virtude era a abnegação.

III-Em consideração as diferentes motivações da ação humana, Smith se preocupou em investigar a complementariedade entre a perseguição dos interesses coletivos e a atribuição de um papel das regras individualistas para o pleno funcionamento da vida comum em sociedade.

a- I

b-II

c-III

d-I e II

e-II e III


5 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

CONTEXTUALIZAÇÃO

Adam Smith foi um importante filósofo e economista que viveu no século XVIII. Considerado um dos grandes mentores da economia moderna, uma de suas obras mais importantes é “A Riqueza das Nações”, livro em que o autor disserta sobre a disciplina de economia e a trata com alto grau de complexidade e de autonomia. O autor era favorável ao liberalismo econômico, uma doutrina filosófica e econômica cuja base se relaciona com a capacidade individual da economia de se auto regular a partir da existência da “mão invisível, que orientaria um fenômeno de equilíbrio econômico de forma indireta, mesmo que os agentes não focassem em ações que levassem ao equilíbrio, no final das contas este prevaleceria.


RESOLUÇÃO

Adam Smith é considerado como sendo um dos pais da economia moderna pelo fato de ter explicitado e discutido temas como o acúmulo de riquezas e o histórico de mudanças na questão do trabalho em diversas sociedades. Contribuiu, dessa forma, para o desenvolvimento não só do pensamento econômico, mas também para o desenvolvimento da filosofia e da sociologia. A alternativa A está correta, uma vez que o título que representa parte das ideias de Smith, “A Riqueza das Nações”, foi publicado em 1776. Outro título que contribuiu bastante para o desenvolvimento do pensamento econômico foi “Teoria dos Sentimentos Morais”. Nesta, o autor avalia a relação entre os conceitos de moral, ética e felicidade humanas com o comportamento da sociedade humana e seus julgamentos. O autor indica em que medida a simpatia é importante para a garantia da felicidade geral dos agentes econômicos, com isso. A habilidade do homem de se colocar no lugar do outro e de entender outros sentimentos, e de se transportar para o corpo do outro agente e de sentir a mesma dor, numa dinâmica que envolve a etapa do reconhecimento e a do conhecimento. Dessa forma, para Smith, a felicidade da sociedade humana pode ser analisada a partir da antropologia e do conceito de que a abnegação é alto inviável e que não contribui para a manutenção do humanismo e da figura do homem como aquele que consegue se relacionar com outros e de entender e resolver problemas alheios. Smith, me sua obra “Teoria dos Sentimentos Morais”, de 1759, analisa as relações sociais, a ética e a moral da sociedade com o intuito de relacionar os interesses pessoais com os interesses coletivos da sociedade, demonstrando que ambos precisam existir para garantir um sentimento de felicidade coletiva a partir de um conjunto de sentimentos individuais de felicidade. Dessa forma, a cooperação se relaciona fortemente com os interesses próprios para que agentes possam compartilhar um sentimento de felicidade, segundo Adam Smith.


CONCLUSÃO

A partir do século XVIII o pensamento econômico teve grandes avanços a partir das contribuições de Adam Smith. Analisando a partir da antropologia e da ética moral, “Teoria dos Sentimentos Alheios” relaciona a importância da manutenção dos interesses pessoais com os interesses coletivos para que haja maior felicidade nos agentes econômicos. Sua outra obra, “A Riqueza das Nações”, disserta sobre as origens do sistema econômico, suas principais características, tais como trabalho, equilíbrio das funções oferta e demanda, de maneira a chegar ao ponto da discussão sobre a acumulação de capital por parte das nações e o processo que orienta a chamada Mão Invisível.


CONTEXTUALIZAÇÃO

Adam Smith foi um importante filósofo e economista que viveu no século XVIII. Considerado um dos grandes mentores da economia moderna, uma de suas obras mais importantes é “A Riqueza das Nações”, livro em que o autor disserta sobre a disciplina de economia e a trata com alto grau de complexidade e de autonomia. O autor era favorável ao liberalismo econômico, uma doutrina filosófica e econômica cuja base se relaciona com a capacidade individual da economia de se auto regular a partir da existência da “mão invisível, que orientaria um fenômeno de equilíbrio econômico de forma indireta, mesmo que os agentes não focassem em ações que levassem ao equilíbrio, no final das contas este prevaleceria.


RESOLUÇÃO

Adam Smith é considerado como sendo um dos pais da economia moderna pelo fato de ter explicitado e discutido temas como o acúmulo de riquezas e o histórico de mudanças na questão do trabalho em diversas sociedades. Contribuiu, dessa forma, para o desenvolvimento não só do pensamento econômico, mas também para o desenvolvimento da filosofia e da sociologia. A alternativa A está correta, uma vez que o título que representa parte das ideias de Smith, “A Riqueza das Nações”, foi publicado em 1776. Outro título que contribuiu bastante para o desenvolvimento do pensamento econômico foi “Teoria dos Sentimentos Morais”. Nesta, o autor avalia a relação entre os conceitos de moral, ética e felicidade humanas com o comportamento da sociedade humana e seus julgamentos. O autor indica em que medida a simpatia é importante para a garantia da felicidade geral dos agentes econômicos, com isso. A habilidade do homem de se colocar no lugar do outro e de entender outros sentimentos, e de se transportar para o corpo do outro agente e de sentir a mesma dor, numa dinâmica que envolve a etapa do reconhecimento e a do conhecimento. Dessa forma, para Smith, a felicidade da sociedade humana pode ser analisada a partir da antropologia e do conceito de que a abnegação é alto inviável e que não contribui para a manutenção do humanismo e da figura do homem como aquele que consegue se relacionar com outros e de entender e resolver problemas alheios. Smith, me sua obra “Teoria dos Sentimentos Morais”, de 1759, analisa as relações sociais, a ética e a moral da sociedade com o intuito de relacionar os interesses pessoais com os interesses coletivos da sociedade, demonstrando que ambos precisam existir para garantir um sentimento de felicidade coletiva a partir de um conjunto de sentimentos individuais de felicidade. Dessa forma, a cooperação se relaciona fortemente com os interesses próprios para que agentes possam compartilhar um sentimento de felicidade, segundo Adam Smith.


CONCLUSÃO

A partir do século XVIII o pensamento econômico teve grandes avanços a partir das contribuições de Adam Smith. Analisando a partir da antropologia e da ética moral, “Teoria dos Sentimentos Alheios” relaciona a importância da manutenção dos interesses pessoais com os interesses coletivos para que haja maior felicidade nos agentes econômicos. Sua outra obra, “A Riqueza das Nações”, disserta sobre as origens do sistema econômico, suas principais características, tais como trabalho, equilíbrio das funções oferta e demanda, de maneira a chegar ao ponto da discussão sobre a acumulação de capital por parte das nações e o processo que orienta a chamada Mão Invisível.


User badge image

Andre Smaira

Há mais de um mês

CONTEXTUALIZAÇÃO

Adam Smith foi um importante filósofo e economista que viveu no século XVIII. Considerado um dos grandes mentores da economia moderna, uma de suas obras mais importantes é “A Riqueza das Nações”, livro em que o autor disserta sobre a disciplina de economia e a trata com alto grau de complexidade e de autonomia. O autor era favorável ao liberalismo econômico, uma doutrina filosófica e econômica cuja base se relaciona com a capacidade individual da economia de se auto regular a partir da existência da “mão invisível, que orientaria um fenômeno de equilíbrio econômico de forma indireta, mesmo que os agentes não focassem em ações que levassem ao equilíbrio, no final das contas este prevaleceria.


RESOLUÇÃO

Adam Smith é considerado como sendo um dos pais da economia moderna pelo fato de ter explicitado e discutido temas como o acúmulo de riquezas e o histórico de mudanças na questão do trabalho em diversas sociedades. Contribuiu, dessa forma, para o desenvolvimento não só do pensamento econômico, mas também para o desenvolvimento da filosofia e da sociologia. A alternativa A está correta, uma vez que o título que representa parte das ideias de Smith, “A Riqueza das Nações”, foi publicado em 1776. Outro título que contribuiu bastante para o desenvolvimento do pensamento econômico foi “Teoria dos Sentimentos Morais”. Nesta, o autor avalia a relação entre os conceitos de moral, ética e felicidade humanas com o comportamento da sociedade humana e seus julgamentos. O autor indica em que medida a simpatia é importante para a garantia da felicidade geral dos agentes econômicos, com isso. A habilidade do homem de se colocar no lugar do outro e de entender outros sentimentos, e de se transportar para o corpo do outro agente e de sentir a mesma dor, numa dinâmica que envolve a etapa do reconhecimento e a do conhecimento. Dessa forma, para Smith, a felicidade da sociedade humana pode ser analisada a partir da antropologia e do conceito de que a abnegação é alto inviável e que não contribui para a manutenção do humanismo e da figura do homem como aquele que consegue se relacionar com outros e de entender e resolver problemas alheios. Smith, me sua obra “Teoria dos Sentimentos Morais”, de 1759, analisa as relações sociais, a ética e a moral da sociedade com o intuito de relacionar os interesses pessoais com os interesses coletivos da sociedade, demonstrando que ambos precisam existir para garantir um sentimento de felicidade coletiva a partir de um conjunto de sentimentos individuais de felicidade. Dessa forma, a cooperação se relaciona fortemente com os interesses próprios para que agentes possam compartilhar um sentimento de felicidade, segundo Adam Smith.


CONCLUSÃO

A partir do século XVIII o pensamento econômico teve grandes avanços a partir das contribuições de Adam Smith. Analisando a partir da antropologia e da ética moral, “Teoria dos Sentimentos Alheios” relaciona a importância da manutenção dos interesses pessoais com os interesses coletivos para que haja maior felicidade nos agentes econômicos. Sua outra obra, “A Riqueza das Nações”, disserta sobre as origens do sistema econômico, suas principais características, tais como trabalho, equilíbrio das funções oferta e demanda, de maneira a chegar ao ponto da discussão sobre a acumulação de capital por parte das nações e o processo que orienta a chamada Mão Invisível.


Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas